BRASILEIRÃO

Tricolor surpreende o ex-líder

Atlético-MG apaga, leva virada do Bahia e cai para terceiro. Resultado faz com que o Galo fique atrás de Internacional e Flamengo

João Vitor Marques
postado em 20/10/2020 00:37

O primeiro tempo do Atlético, ontem, era de manual: posse de bola, segurança defensiva e vantagem. O segundo, porém, foi para esquecer. Após abrir o placar com Savarino, o time alvinegro sofreu um apagão em Pituaçu, sofreu a virada e viu o Bahia vencer por 3 x 1, com gols de Daniel e Gilberto (2), em partida válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Escrever crônicas das partidas do Atlético sem repetir termos, análises e expressões tem sido tarefa árdua. Afinal, o time alvinegro — nas vitórias e nas derrotas — tem sido o protótipo ideal do que quer Jorge Sampaoli: ofensivo, agressivo na marcação e dominante na maior parte do tempo. Contra o Bahia, não foi diferente.

E a declaração de Juninho Capixaba ao SporTV ao fim do primeiro tempo é prova disso: “A gente não conseguiu encaixar o jogo. O esquema deles é difícil de marcar. Eles colocam muitos jogadores na linha da frente”, disse, ofegante, o lateral tricolor que marcou Jefferson Savarino.

Foi dos pés do venezuelano que saiu o único gol da etapa inicial. Aos 20 minutos, o atacante aproveitou passe do “centroavante” Réver e, de dentro da área, concluiu com precisão: 1 x 0.
Para a etapa final, o técnico Mano Menezes (que, suspenso, acompanhou o jogo das tribunas) abandonou o esquema sem centroavante e colocou Gilberto em campo na vaga do volante Edson. As tentativas de mudar o cenário da partida continuaram com as entradas de Marco Antônio e Daniel na equipe.

O empate tricolor veio num lance fortuito, originado em bola parada. Aos 23 minutos, Gilberto cobrou falta com força, e Everson espalmou para o centro da área. Na sobra, Gregore ajeitou de cabeça para Daniel finalizar para o gol: 1 x 1. Apenas quatro minutos depois, Marco Antônio quase virou o jogo, mas parou em defesa espetacular do goleiro alvinegro. Daí em diante, a partida ficou aberta, com boas oportunidades para os dois lados.

Numa bobagem de Guga — que recuou mal para Everson —, Gilberto se antecipou, driblou o goleiro, teve calma para fintar Igor Rabello e chutar para o gol aberto. Virada tricolor: 2 x 1. Sampaoli tentou modificar a equipe e lançá-la ao ataque. A estratégia, porém, deu errado. Num novo contra-ataque, o centroavante do Bahia saiu frente a frente com o goleiro e deu números finais ao jogo, em Pituaçu: 3 x 1.

Botafogo
Após ter feito um bom primeiro tempo e uma etapa complementar nem tão intensa, o Botafogo não saiu de um empate sem gols diante do lanterna Goiás, no Estádio Nilton Santos.

O time goiano, com o resultado, leva um ponto fora de casa, mas continua na lanterna, com apenas 11 pontos, com duas vitórias, cinco empates e oito derrotas. Já são sete jogos sem triunfar. O Botafogo, por outro lado, soma 19 e figura no 13º posto da classificação do Brasileirão.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação