BRASILEIRÃO

É o maior prazer vê-lo renovar

Entenda por que o novo acordo com Diego Alves reduz riscos do passado, quando Flamengo perdeu Bruno e Felipe após conquistas relevantes e se viu obrigado a apostar em goleiros inexperientes

Marcos Paulo Lima
postado em 19/12/2020 00:33
 (crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)
(crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)

Arenovação de Diego Alves com o Flamengo exorciza uma maldição vivida pelo clube na última década. Goleiros titulares em títulos impactantes do clube não tiveram vida-longa com a camisa rubro-negra nos capítulos seguintes às conquistas relevantes. Heróis no Brasileirão (2009) e na Copa do Brasil (2013), Bruno e Felipe deixaram o time, respectivamente, pouco tempo depois de colocarem seus nomes na história do time carioca.

Pilar da conquista do título brasileiro de 2009, o goleiro Bruno construía status de ídolo até ser acusado e, posteriormente, condenado pelo assassinato da ex-companheira Eliza Samúdio. À época, começava a virar o Rogério Ceni do Flamengo, com gols em cobrança de falta, e era cobiçado pelo Milan, numa sinalização de que não duraria muito tempo no Brasil. A reviravolta extracampo fez com que o Flamengo lançasse — e queimasse — precocemente promessas das divisões de base como Marcelo Lomba e Paulo Victor.

Felipe desembarcou no Flamengo em 2011 para assumir as traves rubro-negras. Participou da campanha do título carioca invicto naquele ano e na edição de 2014, mas a maior conquista do goleiro viria dois anos depois: a Copa do Brasil 2013 contra o Athletico-PR sob o comando de Jayme de Almeida. No ano seguinte, deixou o clube pela porta dos fundos após divergências com o então técnico Vanderlei Luxemburgo.

Felipe tinha contrato até o fim de 2015, contudo, perdeu espaço com a efetivação do jovem Paulo Victor, e não atuava desde 20 de julho de 2014. “Confirmo que o goleiro Felipe foi demitido pelo Flamengo. A decisão de demissão não significa um litígio entre as partes. As consequências jurídicas da demissão do goleiro Felipe serão tratadas de forma amigável e com o diálogo profissional que o caso demanda”, disse à época o empresário do jogador, Marcelo Robalinho. Felipe deixou o Fla um ano depois do título na Copa do Brasil. e saiu após 188 partidas com a camisa rubro-negra.

Desta vez, o vice de futebol Marcos Braz e o diretor Bruno Spindel conseguiram contornar a iminente saída de Diego Alves do Flamengo. Quanto tudo indicava o adeus do herói dos títulos do Carioca, Libertadores e Brasileirão em 2019; e da Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e Estadual neste ano, o representante do jogador, de 35, Eduardo Maluf, acenou, na noite de quinta-feira, com a possibilidade de renovar o acordo por mais um ano. Uma das cláusulas do novo acordo permite a saída dele do Flamengo sem multa rescisória em caso de boa oferta.

“Estou aqui para anunciar minha renovação de contrato. Mais um ano vestindo este manto sagrado. Poder estender esse vínculo vitorioso com todos vocês. Dizer que, hoje, estou no lugar onde meu coração quer. Estou muito feliz, espero que a gente tenha mais um ano de vitórias, conquistas e que a gente possa se encontrar o mais rápido possível no Maracanã lotado, para comemorarmos juntos”, disse Diego Alves nas redes sociais. O goleiro está no clube desde 2017. Contabiliza 157 jogos. Arriscava sair um ano depois da fase mais vitoriosa no time.

Ontem, o zagueiro Rodrigo Caio comemorou a permanência do camisa 1. “Ficamos felizes. É um jogador importante para o grupo. É um líder, representa muito para os atletas e para a instituição. Feliz que a gente possa contar com ele. Espero que ele continue dando alegrias para nós e para a Nação”, festejou.

A renovação com Diego Alves é uma prevenção contra os traumas de 2017. Há três anos, o Flamengo perdeu a final da Copa do Brasil para o Cruzeiro por não ter um goleiro experiente. Alex Muralha e o menino Thiago não corresponderam à época. Diego Alves havia chegado ao Flamengo, porém, não estava regularizado. Na Copa do Brasil deste ano, o promissor Hugo Souza falhou em um lance crucial para a vitória do São Paulo por 2 x 1 na partida de ida, no Maracanã. Logo, a diretoria escolheu dar mais milhas ao jovem talento com Diego ao lado.

Thiago Maia
O Flamengo teve outra boa notícia ontem. O empréstimo do volante Thiago Maia está renovado até o fim de 2021, sem custos adicionais. Dono dos direitos econômicos do jogador, o Lille arcará com os salários. O jogador se recupera de uma cirurgia no joelho. O preço estipulado para venda é 7 milhões de euros (R$ 43 milhões).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE