Copa do Brasil

A festa paulista

Palmeiras bate América-MG, por 2 x 0, garante classificação na final e buscará quarto título no torneio. Time alviverde celebra a superação de dificuldades, como as seguidas infecções do elenco pelo coronavírus

Correio Braziliense
postado em 31/12/2020 01:18
 (crédito: Cesar Greco/Agencia Palmeiras)
(crédito: Cesar Greco/Agencia Palmeiras)

O exigente torcedor do Palmeiras terminou a quarta-feira com um sorriso no rosto. Se, na semana passada, foi dormir desconfiado com o empate por 1 x 1 contra o América-MG, ontem, o sono será tranquilo. Em Belo Horizonte, o time venceu o rival por 2 x 0 e vai decidir a Copa do Brasil pela quinta vez, em busca do quarto título, em duas partidas contra o Grêmio que prometem mobilizar o país.

Para chegar à decisão, o Palmeiras precisou passar por uma série de obstáculos nas últimas semanas. Única equipe brasileira a disputar as últimas três competições do calendário — Brasileirão, Libertadores e a Copa do Brasil — o time sofreu com o desgaste físico imposto pela quantidade de partidas disputadas e ainda teve quase que o elenco inteiro infectado pelo novo coronavírus.

O técnico Abel Ferreira se virava como podia para manter o time com bom rendimento nas competições. À medida que os jogadores testavam negativo, começava a luta para a recuperação física.

Ontem, no primeiro tempo, esse foi um fator visível. O time do Palmeiras é bom, mas sofre fisicamente, ainda mais contra um adversário muito bem montado, como é o América-MG do técnico Lisca — que deverá subir para a Série A com tranquilidade.

O Palmeiras marcou forte nos 45 minutos iniciais, mas errou muitos passes. O time mineiro também se desdobrou na marcação, o que fez com que as raras chances de gol surgissem apenas em lances de bola parada e em arremates de longa distância.

Imposição

Na última parte do primeiro tempo, o América-MG dominou o jogo na base da imposição física. O time subiu as linhas de marcação, fechou ainda mais a saída de bola do Palmeiras e deu trabalho para os marcadores do time de Abel Ferreira.

O segundo tempo começou com maior movimentação. Lisca mandou Felipe Augusto ao campo. A alteração fez o América-MG ganhar mais espaço e o time passou a oferecer maior perigo. Depois dos 10 minutos, Raphael Veiga errou passe e o time mineiro partiu no contra-ataque. Ademir recebeu a bola pela direita, cortou para o meio e bateu, mas a bola passou perto da trave esquerda.

Abel Ferreira percebeu que a desvantagem física do time seria crucial e fez três alterações de uma vez, mandando a campo Gustavo Scarpa, Patrick de Paula e Lucas Lima. Pela primeira vez no jogo, o Palmeiras respirou. Com mais toque de bola, o time segurou o ímpeto do adversário e fez mais.

Aos 23, abriu o placar com um bonito gol. Rony recebeu na direita e tocou para Luiz Adriano. O centroavante dominou fora da área, ajeitou e bateu colocado, rasteiro, no canto do goleiro Cavichioli.

Aos 40 do segundo tempo, Rony sofreu falta pela esquerda do ataque. Lucas Lima cobrou na área, Mayke cabeceou firme, mas Cavachioli fez uma linda defesa. No rebote, Rony, de peixinho, mandou para o fundo do gol. Fim de jogo e Palmeiras classificado.

Grêmio tira o São Paulo

O Grêmio está classificado para mais uma final da Copa do Brasil. Ontem, segurou o São Paulo no Morumbi, empatou por 0 x 0 e se classificou para a nona decisão, pois havia triunfado em Porto Alegre por 1 x 0. Diante do Palmeiras, buscará o sexto título para se igualar ao Cruzeiro como o maior vencedor da competição.

Foi a terceira vez que o time gaúcho enfrentou o São Paulo em 2020, sem ser vazado — havia ficado no 0 x 0 no Morumbi pelo Brasileirão. O Grêmio também ampliou a invencibilidade diante do adversário para 11 jogos, com cinco vitórias e seis empates, sendo que a última derrota foi em 2013.

Muito disso foi conquistado pela consistência apresentada no Morumbi, tanto que a meta gremista praticamente não foi ameaçada pelo São Paulo. E se pouco atacou no segundo tempo, ainda teve as melhores oportunidades da primeira etapa.

Ao São Paulo, em jejum de títulos desde 2012 e sem nunca ter sido campeão da Copa do Brasil, resta o Campeonato Brasileiro para buscar uma taça nesta temporada. Mas a possibilidade é boa, afinal, o time está na liderança e com sete pontos de vantagem para Atlético-MG e Flamengo. E voltará a jogar pelo torneio em 6 de janeiro, quando visitará o Bragantino.

A decisão da Copa do Brasil ocorrerá em 3 e 10 de fevereiro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE