BRASILEIRÃO

Clássico valioso

De volta ao time, Gabigol tenta manter Flamengo na briga pela taça, enquanto Fluminense busca desencantar por vaga no G-6. Com metas distintas, equipes prometem jogo aberto e ofensivo no Maracanã

Correio Braziliense
postado em 05/01/2021 22:39
 (crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)
(crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)

Flamengo e Fluminense prometem realizar um clássico quente, às 21h30, hoje, no Maracanã. Por metas distintas no Brasileirão, ambos necessitam dos três pontos, o que sugere um jogo aberto e ofensivo. Com o retorno de Gabriel Barbosa, o time rubro-negro não quer deixar a briga pelo título. Ainda sem Nenê, a equipe tricolor tenta voltar à disputa de vaga na Copa Libertadores.

Será o sétimo clássico entre ambos em menos de um ano. E com ampla vantagem do time dirigido por Rogério Ceni. Com os titulares, o Flamengo ganhou quatro jogos e empatou uma vez no período. A única derrota aconteceu no começou de 2020, num duelo no qual os flamenguistas atuaram com a equipe sub-23 e levaram 1 x 0.

Manter o desempenho contra o rival significa ao Flamengo seguir na briga pelo título. Até a rodada passada, o clube dependia apenas das próprias forças. Mas o empate com o Fortaleza tirou essa vantagem e irritou os torcedores.

São sete pontos de desvantagem em relação ao líder São Paulo e o retorno de Gabriel é a esperança para o Flamengo apagar a má impressão no Castelão. No jogo da rodada passada, a equipe deixou bastante a desejar na parte ofensiva.

Pedro desperdiçou um pênalti, Bruno Henrique pouco criou e Arrascaeta e Everton Ribeiro ficaram devendo futebol. Descansados, prometem volta por cima. Gabriel quer se redimir após expulsão infantil diante do Bahia, quando xingou o árbitro.

Depois do clássico, o Flamengo encara Ceará e Goiás e a meta é somar seis pontos para tentar encostar no São Paulo. Além de Gabriel, Rogério Ceni terá, também, o retorno de Filipe Luís. O goleiro Diego Alves, machucado, segue fora.

Em queda livre no Brasileirão e sem vitórias desde a saída do técnico Odair Hellmann, o Fluminense deixou a zona de classificação à Libertadores e precisa desencantar para voltar a sonhar com uma vaga. A começar pelo clássico. Mesmo ganhando, o time tricolor não entra no G-6. Tem quatro pontos a menos do que o Palmeiras. Mas a meta é seguir entre os melhores e o elenco buscará a superação no Maracanã.

O time terá um desfalque de peso para o clássico. O técnico Marcão foi diagnosticado com a covid-19 e está em isolamento. O auxiliar Ailton Ferraz dirige a equipe. Sem o treinador, o atacante Fred deve comandar o grupo dentro de campo. Experiente, ele promete se esforçar para ajudar a recolocar o time na luta pela Libertadores, a meta no Brasileirão.

O meia Nenê, lesionado, continua fora da equipe. O zagueiro Nino cumpre suspensão. Luccas Claro e Michel Araújo iniciam o clássico no Fluminense.

A provável escalação do Flamengo terá: Hugo Souza; Isla, Rodrigo Caio, Natan e Filípe Luis; William Arão, Gerson, Éverton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabriel Barbosa. O Flumiense deve jogar com: Marcos Felipe; Calegari, Matheus Ferraz, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Yuri, Hudson e Yago; Michel Araújo, Wellington Silva e Fred.

Líder pega Bragantino

O São Paulo se incomodou com a saída da Copa do Brasil diante do Grêmio, como ficou exposto pela irritação apresentada com a arbitragem no fim do jogo. Líder disparado do Brasileirão, a equipe volta a jogar uma semana depois daquela eliminação com a missão de mostrar que está com a cabeça no lugar. Hoje, às 21h30, visita o Bragantino, que vem sendo um rival incômodo na temporada 2020.

Disposto a manter os sete pontos de vantagem na liderança, o São Paulo terá de se sobressair diante do oponente. Foram dois confrontos no ano e resultados nada animadores no Morumbi. Perdeu no Paulistão, por 3 x 2, e, no Brasileirão, ficou no 1 x 1.

Assim como na eliminação na Copa do Brasil, mais uma vez o técnico Fernando Diniz terá problemas no setor ofensivo. Luciano ainda não se recuperou da inflamação na perna esquerda e Pablo está com uma contratura muscular. Para piorar, Toró foi diagnosticado com a covid-19.

Fernando Diniz poderia simplesmente repetir a escalação que foi muito bem diante do Atlético-MG. O problema do treinador, contudo, é a ausência de Luan, suspenso. Sem o primeiro homem de marcação, Tchê Tchê seria a opção imediata como volante. A provável escalação terá: Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê (Diego Costa), Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes; Brenner e Vitor Bueno (Hernanes).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE