Brasileirão

Hora do acerto

Flamengo e Goiás entram em campo, hoje, com desafios distintos. Enquanto o rubro-negro luta para afastar a má fase, o time goiano, que está na zona de rebaixamento, sonha em se manter na elite da competição

Correio Braziliense
postado em 17/01/2021 23:42
 (crédito: Antonio Lacerda/AFP - 2/12/20)
(crédito: Antonio Lacerda/AFP - 2/12/20)

Há tempos que o Flamengo não chegava sob tanta pressão para uma partida do Brasileirão. São três jogos sem vencer; os atletas vêm sendo cobrados pela apatia em campo e o técnico Rogério Ceni está sendo bastante questionado pelos resultados não satisfatórios dos últimos jogos. Hoje, às 20h, em visita ao Goiás, no estádio da Serrinha, os cariocas necessitam urgentemente reencontrar o caminho do triunfo para voltar a falar em título.

Desde as quedas na Libertadores e Copa do Brasil que o clube se fechou para apagar a má impressão na temporada, em busca do bicampeonato nacional. E tudo vinha bem, com três triunfos seguidos. Parecia que iria ameaçar o líder São Paulo. Até a visita ao Fortaleza.

Em uma partida de pouca inspiração ofensiva, o Flamengo não foi além do 0 x 0. Vieram as derrotas para o Fluminense e o Ceará. A partir dos resultados negativos, a paz no clube acabou de vez. Torcedores xingaram jogadores e picharam os muros da Gávea. A cabeça de Ceni foi pedida, mas a direção bancou a permanência.

Prestigiado, o treinador sabe que precisa de uma resposta imediata. Apesar de estar na zona de rebaixamento, o Goiás vem crescendo de rendimento e, no primeiro turno, deu enorme trabalho aos cariocas, que só venceram com gol nos acréscimos.

Ceni tem dúvidas sobre qual equipe mandará a campo. Gerson está suspenso e Diego pode ser escolhido para a posição, em uma escalação mais ofensiva. O meia ajudaria na armação e faria um revezamento na contenção com Éverton Ribeiro.

A grande questão, porém, está no ataque. No último jogo, Gabriel Barbosa foi reserva e não escondeu o incômodo. Assumiu odiar ficar no banco. Pedro ganhou chance e deixou a desejar. A dúvida sobre quem será o centroavante em Goiânia deve persistir até momentos antes de a bola rolar. Como ambos ainda não iniciaram juntos no Brasileirão, é pouco provável que o técnico invista nessa formação.

Diego Alves segue em recuperação de uma lesão muscular e César deve iniciar mais uma partida. Na defesa, Gustavo Henrique foi outro a decepcionar e pode abrir espaço para o retorno de Natan ao time.

O Flamengo sabe que não existe mais espaço para vacilos e promete uma resposta às críticas. O resultado em campo hoje dirá muito pelo que os cariocas brigarão nesta reta final de Brasileirão.

Lutando para não cair
Por sua vez, o Goiás vai atrás da reabilitação para manter vivo o sonho de se manter na elite.

Na zona de rebaixamento, o clube goiano está na 18.ª colocação, com 26 pontos. A missão não será nada fácil, já que o adversário vive um momento delicado e precisa do resultado positivo para seguir na briga pelo título brasileiro. Mas isso não ilude o time goiano.

“Independentemente da fase que eles estão vivendo, nós temos que estar ligados desde o começo. É entrar em campo focados porque sabemos que o Flamengo tem uma grande equipe e não podemos desmerecer isso, independente da crise que eles estão passando”, declarou o atacante Fernandão.

Apesar de o Goiás ter perdido para o Internacional, por 1 x 0, os técnicos Glauber Ramos e Augusto César não vão fazer mudanças entre os titulares. A avaliação é de que o time teve uma boa atuação e merecia um resultado melhor em Porto Alegre.

São Paulo segura liderança

 (crédito: Rubens Chiri/Sao Paulo FC)
crédito: Rubens Chiri/Sao Paulo FC

A vantagem do São Paulo na ponta do Campeonato Brasileiro está cada vez mais ameaçada. Ontem, pela terceira vez seguida, o time entrou em campo e não venceu. Diante do Athletico-PR, em Curitiba, a equipe paulista não saiu do empate, 1 x 1, abrindo mais uma vez a brecha para os adversários se aproximarem. Sem vencer em 2021, o time do Morumbi somou apenas um ponto dos nove possíveis.

A situação na Arena da Baixada poderia ter sido ainda pior. O São Paulo só conseguiu empatar no segundo tempo, graças a um gol de Tchê Tchê. Dias depois de um bate-boca público com o técnico Fernando Diniz, na derrota para o Red Bull Bragantino, o jogador voltou a ser titular e salvou a equipe de acumular o terceiro resultado negativo seguido.

Ainda sem contar com Luciano, machucado, o São Paulo se mostra mais dependente da presença do atacante. Diniz organizou o time com cinco jogadores no meio-campo. O objetivo era ter mais movimentação para servir a Brenner. Mesmo assim, a equipe não conseguiu atacar e no primeiro tempo não deu trabalho ao goleiro Santos.

O São Paulo viveu, na metade inicial, de investidas de Juanfran e dos berros do técnico à beira do gramado, para fazer a equipe reagir. Era pouco. Após estudar a proposta do adversário, o time de casa viu um caminho com a velocidade de Carlos Eduardo, aberto pela direita nas costas de Reinaldo.

A partir dos 20 minutos, o Athletico-PR passou a pressionar mais e encontrou muitos espaços. O São Paulo estava espalhado demais pelo campo e pouco organizado na retaguarda. Acabou levando um gol ao errar uma saída de bola. Aos 37 minutos, Gabriel Sara perdeu a bola no meio e em um contra-ataque rápido e Carlos Eduardo serviu para Renato Kayzer fazer 1 x 0.

Diniz fez uma mudança drástica no intervalo. Nos 10 primeiros minutos do segundo tempo, a equipe finalizou três vezes a gol e conseguiu igualar logo depois. Tchê Tchê chutou de fora da área aos 15 minutos e a bola entrou no canto do goleiro. Um alívio para o time e um prêmio para o jogador, que se envolveu recentemente em uma polêmica com o técnico.

Se para o São Paulo o empate significou o terceiro jogo seguido sem vencer, pelo menos a equipe somou um ponto e, agora, tem dois jogos seguidos como mandante para se recuperar.

Santos bate o Botafogo

Foi mais difícil que o esperado, com sustos, mas o Santos manteve o embalo na temporada, somando mais uma vitória na Vila Belmiro. Ontem, em dia de brilho de Soteldo, o time de Cuca venceu o Botafogo, por 2 x 1.

Depois de um gol rápido e um segundo tempo mais produtivo, o Santos chegou ao triunfo graças a um gol do grandalhão Bruno Marques quando o jogo estava difícil e os cariocas seguravam o empate.

Soteldo foi o destaque santista com um gol e o passe preciso para Bruno Marques definir. Com mais três pontos, o Santos está em oitavo lugar, com 45 pontos. E afundou o Botafogo na lanterna do Brasileirão, com 23.

Mais uma vez o Santos iniciou pressionando. Diego Pituca bateu estranho para o gol e Soteldo apareceu no meio do caminho para abrir o placar. Diego Loureiro, nada pôde fazer.

Na primeira chance, o atacante grandalhão parou em milagre de Diego Loureiro. Na segunda, o cabeceio foi preciso. Terceiro gol do centroavante no Brasileirão. No fim, o Botafogo ainda empatou, porém Matheus Nascimento, de somente 16 anos, estava impedido. A vitória foi de quem mais buscou o gol. O Botafogo segue na lanterna e o Santos, em estado de graça.

Galo mais próximo do líder

O Atlético-MG entrou de vez na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Ontem, com ótima atuação ofensiva, especialmente no primeiro tempo, venceu o Atlético-GO por 3 x 1, no Mineirão, e se aproximou do líder São Paulo. Hyoran, Alonso, Jair e Janderson marcaram os gols do jogo.

Com o triunfo, o Atlético-MG chegou aos 53 pontos, a quatro do primeiro colocado e com um jogo a menos. Já o Atlético-GO, derrotado, parou no 36, na zona intermediária da classificação.

O triunfo, com grande volume de jogo e uma marcante blitz no primeiro tempo, devolveu ao Atlético-MG a condição de melhor ataque do campeonato, com 51 gols marcados. E confirmou o ótimo desempenho do time como mandante - é o melhor do torneio, com 11 vitórias, 3 empates e 1 derrota.

O resultado também foi construído pela boa atuação de várias peças: Jair e Hyoran, que fizeram gols, e Savarino. Além disso, o Atlético-MG sobressaiu nas jogadas aéreas, tendo ido duas vezes às redes desse modo.

Supercopa da Espanha

O Athletic Bilbao conquistou a Supercopa da Espanha, ontem, a terceira de sua história, depois de virar o placar duas vezes e forçar a prorrogação para derrotar por 3 x 2 o Barcelona, que teve seu astro Lionel Messi expulso no último minuto. O Barça saiu na frente com um gol do francês Antoine Griezmann. Óscar de Marcos empatou pouco depois, Griezmann voltou a aparecer para fazer 2 x 1, mas Asier Villalibre empatou nos últimos instantes do tempo regulamentar. O gol do título foi marcado no início da prorrogação, por Iñaki Williams.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE