SUPERCOPA

Supercopa reúne campeões olímpicos de Fla e Palmeiras de olho na Seleção

Palco da estreia do Brasil nos Jogos do Rio-2016, Mané move nova ambição dos medalhistas Weverton, Rodrigo Caio e Gabigol: a taça da Supercopa e convencer Tite

Maíra Nunes
postado em 08/04/2021 00:08 / atualizado em 09/04/2021 12:35
Weverton, do Palmeiras; e a dupla Gabigol (foto) e Rodrigo Caio, do Flamengo, foram titulares na conquista do inédito ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 -  (crédito:  Lucas Figueiredo/Mowa Press  )
Weverton, do Palmeiras; e a dupla Gabigol (foto) e Rodrigo Caio, do Flamengo, foram titulares na conquista do inédito ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 - (crédito: Lucas Figueiredo/Mowa Press )

Cinco anos depois da conquista da inédita medalha de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, Flamengo e Palmeiras aparentam ser o limite para quatro promessas daquela Seleção. Não há interesse de clubes de ponta da Europa pelos astros rubro-negros Gabriel Barbosa, Rodrigo Caio e o lesionado Thiago Maia. Muito menos ofertas para contratar o ídolo alviverde Weverton. Imprescindível naquela formação de Rogério Micale, o quarteto também não consegue se firmar na Seleção principal. A Supercopa do Brasil, domingo (11/4), às 11h, no Mané Garrincha, é mais uma chance para convencer Tite de que eles podem ser úteis nas Eliminatórias e na Copa do Qatar-2022.

Weverton é o mais apreciado por Tite. Foi titular contra Bolívia e Peru nas duas rodadas iniciais das Eliminatórias. Nos Jogos do Rio-2016, era um dos jogadores acima dos 23 anos. Tinha 28 quando o técnico Rogério Micale o escolheu para substituir Fernando Prass — cortado devido a uma lesão no cotovelo direito. Sem passagens pelas categorias de base do Brasil, Weverton agarrou firme a primeira oportunidade de vestir a amarelinha e se tornou um dos heróis da conquista inédita do ouro olímpico pelo Brasil no futebol. Em toda a competição, Weverton sofreu apenas um gol e defendeu a cobrança do alemão Petersen na decisão por pênaltis da final.

Dois meses após o feito nas Olimpíadas, Weverton foi convocado por Tite pela primeira vez para a Seleção principal para dois jogos pelas Eliminatórias da Copa 2018. Mas a estreia só viria depois, no amistoso contra a Colômbia, em janeiro de 2017. Naquele ano, voltou a atuar sob comando de Tite contra a Argentina, em setembro. Em 2018, Weverton trocou o Athletico-PR pelo Palmeiras e foi um dos destaques das conquistas da Libertadores e da Copa do Brasil 2020. O desempenho deixou o goleiro de 33 anos na mira de Tite. Virou titular nas vitórias sobre a Bolívia, por 5 x 0, e o Peru, por 4 x 2. Porém, foi reserva de Ederson nos últimos dois jogos.

Outro candidato na briga por uma vaga na Seleção é Gabriel Barbosa. Artilheiro do Brasileirão em 2018 e 2019, Gabigol acumulava passagens pelas Seleções sub-20 e sub-17 quando disputou os Jogos do Rio-2016. Prestes a completar 20 anos, atuou nos seis jogos da competição olímpica e marcou dois gols na competição, ambos na vitória por 4 x 0 sobre a Dinamarca. Aos 24, acumula cinco partidas e dois gols pela Seleção principal. Porém, fracassou na Europa com as camisas da Inter e do Benfica. De volta ao Brasil, é o melhor atacante em ação no país.

Após ser artilheiro do Brasileirão no Santos em 2018 com 18 gols, repetiu o feito com o Flamengo em 2019, quando balançou as redes 25 vezes. Com o clube carioca, a façanha veio com a conquista do bicampeonato brasileiro (2019 e 2020), uma Libertadores (2019), uma Supercopa (2019) e uma Recopa Sul-Americana (2020). Na temporada passada, Gabigol sofreu com lesões. Mesmo assim, balançou a rede 14 vezes em 25 jogos disputados no Nacional. Portanto, a Supercopa é uma nova oportunidade de mostrar o poder decisivo de artilheiro.

Rodrigo Caio também é um dos xodós de Tite, mas o zagueiro sofre com lesões. Em 2016, estava no São Paulo quando disputou as Olimpíadas. Havia realizado um amistoso pela Seleção, contra o Panamá. Na Rio-2016, entrou nos seis jogos como titular. Foi substituído apenas na goleada sobre Honduras, por 6 x 0. Desde então, atuou em outras quatro partidas com Tite, três delas, em 2017, e uma pelas Eliminatórias para a Copa do Qatar, em outubro de 2020, contra o Peru. O zagueiro do Flamengo entrou na etapa final da vitória do Brasil por 4 x 2.

Mas, desde então, Rodrigo Caio sofre com problemas clínicos e físicos. Em 2019, chegou ao Flamengo e adaptou-se rapidamente à equipe. Figurou entre os atletas que mais atuaram, com 60 partidas sob comando de Jorge Jesus. Após um 2020 difícil devido às lesões, o zagueiro de 27 anos estreou na atual temporada na última segunda-feira, na goleada sobre o Madureira. pelo Carioca. Teve bom desempenho ao lado de William Arão e deve estar disponível para o técnico Rogério Ceni na Supercopa do Brasil.

Programe-se

Flamengo x Palmeiras
Quando: Domingo (11/4), 11h
Onde: Mané Garrincha (Brasília)
*Portôes fechados
Transmissão: Globo e SporTV

  • ads
    ads Foto: Lucas Figueiredo/Mowa Press
  • Weverton, do Palmeiras; e a dupla Gabigol e Rodrigo Caio, do Flamengo, foram titulares na conquista do inédito ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016
    Weverton, do Palmeiras; e a dupla Gabigol e Rodrigo Caio, do Flamengo, foram titulares na conquista do inédito ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 Foto: Lucas Figueiredo/Mowa Press
  • asds
    asds Foto: Lucas Figueiredo/Mowa Press

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE