Libertadores

Mais gols para a eternidade

Contra LDU e altitude de 2.850m, Gabi tem chance de igualar Zico. Barcelona flerta com Gerson

Correio Braziliense
postado em 03/05/2021 23:07 / atualizado em 04/05/2021 00:56
 (crédito: Alexandre Vidal, do Flamengo)
(crédito: Alexandre Vidal, do Flamengo)

 A temporada de Gabriel Barbosa começou tumultuada na vida pessoal pela presença em um cassino clandestino em São Paulo e o pagamento de uma multa de R$ 110 mil por infringir as regras da quarentena em tempos de pandemia, mas, dentro do campo, o ídolo do Flamengo não para de assumir o protagonismo. Não falhou nas cobranças de pênalti na decisão da Supercopa do Brasil contra o Palmeiras, tem três gols na Libertadores e hoje, às 21h30, pode quebrar o recorde de Arthur Antunes Coimbra, o Zico.

Símbolo da conquista do primeiro título, em 1981, o deus da Gávea marcou 16 gols com a camisa rubro-negra em participações na Libertadores. Ícone da virada sobre o River Plate e o bi na final de 2019, Gabriel Barbosa chegou a 14 bolas na rede pelo Flamengo na goleada por 4 x 1 sobre o Union La Callera. Logo, com dois gols, hoje, na altitude de 2.850m de Quito, alcançará o Galinho. Se balançar a rede três vezes, deixará o camisa 10 na saudade.

Gabi fez história na semana passada. Com um gol marcado pelo Santos contra o Estudiantes em 2018, ultrapassou o técnico Rogério Ceni e tem 15. O goleiro coleciona 14 bolas na rede nos tempos de goleiro do São Paulo. O agora técnico, inclusive, exaltou o feito do comandado. “Ele me passou, está evoluindo”, brincou.

Ambicioso, Gabi projetou mais gols depois da vitória contra o Union La Callera. “Espero bater (o recorde), passar o nosso rei. Mas acho que ele sempre será nosso rei, estará no nosso coração independente de marca. Não vai tirar o mérito dele, é nosso ídolo. Falei com ele há poucos dias e ele estava torcendo por isso”, contou.

Poupado na vitória por 3 x 0 sobre o Volta Redonda no jogo de ida da semifinal do Campeonato Carioca, Gabi coleciona marcas impressionantes em pouco mais de dois anos no clube: 101 participações diretas em gols em 110 jogos, 77 gols e 24 assistências.

Flamengo desembarcou em Quito com um suspense quanto ao substituto de Gerson no meio de campo e dúvidas na zaga. Se Willian Arão for adiantado para o meio de campo, Rogério Ceni colocaria, em tese, Bruno Viana na defesa ao lado de Gustavo Henrique. No entanto, a decisão do treinador ainda é uma incógnita.

Dúvidas à parte, o atacante Bruno Henrique tem uma estratégia para o Flamengo exorcizar os fantasmas de Quito. Em 2019, perdeu de virada por 2 x 1 para a LDU. No ano passado, foi humilhado por 5 x 0 pelo Independiente del Valle. A altitude de 2.850m pesou nos dois casos.

“Eles vão imprimir um ritmo forte para cansarmos mais rápido e eles fazerem o jogo deles. Temos que estar bem fisicamente e saber conduzir o jogo na hora certa, imprimir um ritmo forte", completou o parceiro de Gabi na frente.

Barça sonda Gerson

Fora do jogo em Quito por lesão, o volante Gerson virou alvo do Barcelona. Ontem, a imprensa espanhola especulou um acerto do jogador com o clube catalão. A ideia seria contar com o rubro-negro no início da próxima temporada europeia, em agosto.

Porém, o negócio ainda não estaria tão avançado. Segundo apuração do jornalista Pedro Henrique Torre, da ESPN, empresários ligados ao Barcelona contactaram o representante de Gerson, mas não ofereceram valores, tampouco chegaram a um acordo.


“Espero passar o nosso rei. Não vai tirar o mérito dele, é nosso ídolo. Falei com ele há poucos dias e ele estava torcendo por isso”

Gabi, atacante do Flamengo, depois da goleada sobre o Unión La Callera pela segunda rodada


21h30

Casablanca Quito (EQU)
Libertadores 3ª rodada
Transmissão SBT e Conmebol TV


LDU
Gabbarini; Quintero, Guerra, Corozo e Cruz; Alcívar, Piovi, Zunino e Billy Arce; Adolfo Muñoz e Cristian Martínez Borja
Técnico: Pablo Repetto

FLAMENGO
Diego Alves; Isla, Bruno Viana (Gustavo Henrique), Willian Arão e Filipe Luís; Hugo Moura (João Gomes), Diego, Everton Ribeiro e Arrascaeta;
Bruno Henrique e Gabriel
Técnico: Rogério Ceni

Árbitro: Esteban Ostojich (Uruguai)

 

Santos em apuros

À espera de um técnico, pressionado e sem pontuar na Libertadores, o Santos busca a primeira vitória para seguir vivo no torneio do qual é o atual vice-campeão. Comandado pelo auxiliar Marcelo Fernandes, o time alvinegro tem jogo tenso diante do The Strongest, da Bolívia, hoje, às 19h15, na Vila Belmiro. O Peixe acumula duas derrotas por 2 x 0 para Barcelona de Guayaquil e Boca Juniors e só não está na lanterna do Grupo C porque o The Strongest, outro que ainda não venceu, perde no critério de desempate. O placar de hoje, portanto, pode manter as esperanças de classificação ou encerrar as chances de seguir no torneio continental.


A temporada de Gabriel Barbosa começou tumultuada na vida pessoal pela presença em um cassino clandestino em São Paulo e o pagamento de uma multa de R$ 110 mil por infringir as regras da quarentena em tempos de pandemia, mas, dentro do campo, o ídolo do Flamengo não para de assumir o protagonismo. Não falhou nas cobranças de pênalti na decisão da Supercopa do Brasil contra o Palmeiras, tem três gols na Libertadores e hoje, às 21h30, pode quebrar o recorde de Arthur Antunes Coimbra, o Zico. 

Símbolo da conquista do primeiro título, em 1981, o deus da Gávea marcou 16 gols com a camisa rubro-negra em participações na Libertadores. Ícone da virada sobre o River Plate e o bi na final de 2019, Gabriel Barbosa chegou a 14 bolas na rede pelo Flamengo na goleada por 4 x 1 sobre o Union La Callera. Logo, com dois gols, hoje, na altitude de 2.850m de Quito, alcançará o Galinho. Se balançar a rede três vezes, deixará o camisa 10 na saudade. 

Gabi fez história na semana passada. Com um gol marcado pelo Santos contra o Estudiantes em 2018, ultrapassou o técnico Rogério Ceni e tem 15. O goleiro coleciona 14  bolas na rede nos tempos de goleiro do São Paulo. O agora técnico, inclusive, exaltou o feito do comandado. “Ele  me passou, está evoluindo”, brincou. 

Ambicioso, Gabi projetou mais gols depois da vitória contra o Union La Callera. “Espero bater (o recorde), passar o nosso rei. Mas acho que ele sempre será nosso rei, estará no nosso coração independente de marca. Não vai tirar o mérito dele, é nosso ídolo. Falei com ele há poucos dias e ele estava torcendo por isso”, contou. 

Poupado na vitória por 3 x 0 sobre o Volta Redonda no jogo de ida da semifinal do Campeonato Carioca, Gabi coleciona marcas impressionantes em pouco mais de dois anos no clube: 101 participações diretas em gols em 110 jogos, 77 gols e 24 assistências. 

Flamengo desembarcou em Quito com um suspense quanto ao substituto de Gerson no meio de campo e dúvidas na zaga. Se Willian Arão for adiantado para o meio de campo, Rogério Ceni colocaria, em tese, Bruno Viana na defesa ao lado de Gustavo Henrique. No entanto, a decisão do treinador ainda é uma incógnita. 

Dúvidas à parte, o atacante Bruno Henrique tem uma estratégia para o Flamengo exorcizar os fantasmas de Quito. Em 2019, perdeu de virada por 2 x 1 para a LDU. No ano passado, foi humilhado por 5 x 0 pelo Independiente del Valle. A altitude de 2.850m pesou nos dois casos. 

“Eles vão imprimir um ritmo forte para cansarmos mais rápido e eles fazerem o jogo deles. Temos que estar bem fisicamente e saber conduzir o jogo na hora certa, imprimir um ritmo forte", completou o parceiro de Gabi na frente.

Barça sonda Gerson

Fora do jogo em Quito por lesão, o volante Gerson virou alvo do Barcelona. Ontem, a imprensa espanhola especulou um acerto do jogador com o clube catalão.  A ideia seria contar com o rubro-negro no início da próxima temporada europeia, em agosto.

Porém, o negócio ainda não estaria tão avançado. Segundo apuração do jornalista Pedro Henrique Torre, da ESPN, empresários ligados ao Barcelona contactaram o representante de Gerson, mas não ofereceram valores, tampouco chegaram a um acordo.


“Espero passar o nosso rei. Não vai tirar o mérito dele, é nosso ídolo. Falei com ele há poucos dias e ele estava torcendo por isso”

Gabi, atacante do Flamengo, depois da goleada sobre o Unión La Callera pela segunda rodada


21h30

Casablanca Quito (EQU)
Libertadores  3ª rodada
Transmissão  SBT e Conmebol TV


LDU
Gabbarini; Quintero, Guerra, Corozo e Cruz; Alcívar, Piovi, Zunino e Billy Arce; Adolfo Muñoz e Cristian Martínez Borja
Técnico: Pablo Repetto

FLAMENGO

Diego Alves; Isla, Bruno Viana (Gustavo Henrique), Willian Arão e Filipe Luís; Hugo Moura (João Gomes), Diego, Everton Ribeiro e Arrascaeta; 
Bruno Henrique e Gabriel
Técnico: Rogério Ceni

Árbitro: Esteban Ostojich (Uruguai)



Santos em apuros

À espera de um técnico, pressionado e sem pontuar na Libertadores, o Santos busca a primeira vitória para seguir vivo no torneio do qual é o atual vice-campeão. Comandado pelo auxiliar Marcelo Fernandes, o time alvinegro tem jogo tenso diante do The Strongest, da Bolívia, hoje, às 19h15, na Vila Belmiro. O Peixe acumula duas derrotas por 2 x 0 para Barcelona de Guayaquil e Boca Juniors e só não está na lanterna do Grupo C porque o The Strongest, outro que ainda não venceu, perde no critério de desempate. O placar de hoje, portanto, pode manter as esperanças de classificação ou encerrar as chances de seguir no torneio continental.
 
 

Palmeiras enfrenta fantasma argentino

 (crédito: Andre Penner/AFP)
crédito: Andre Penner/AFP

O Defensa y Justicia, adversário do Palmeiras hoje, na terceira rodada da fase de grupos da Libertadores, traz ao menos duas lembranças ao torcedor alviverde. A primeira é a disputa da Recopa Sul-Americana, em abril, quando os argentinos venceram nos pênaltis. A segunda, as pichações dos muros do Allianz Parque por causa de uma sequência de resultados ruins, diante do Flamengo (Supercopa do Brasil), do próprio Defensa e do São Paulo (Paulistão).

Com esse histórico recente, o Palmeiras reencontra seu algoz argentino fora de casa. A partida das 21h30 não chega a ser propriamente uma revanche, ainda é a fase de classificação, mas não pode ser tirada desse contexto.

Depois de quase um mês daquela final, o Palmeiras lidera o Grupo A com 100% de aproveitamento. Criticado por parte da torcida por utilizar um time praticamente sub-20 no Paulistão, o técnico Abel Ferreira deu a resposta certeira na última rodada com uma atuação impecável na Libertadores: amassou o Independiente del Valle por 5 x 0, em casa.

A tendência é de que o português mantenha a formação com três zagueiros e coloque em campo o que tem de melhor no elenco que foi campeão do Paulista, da Copa do Brasil e da Libertadores na temporada passada. A formação ainda carece de treinamentos, mas o treinador indicou que pretende adotá-la ao longo da temporada.

O principal motivo da mudança de Abel é a flexibilidade. Se o Palmeiras marca no campo de ataque, os alas podem avançar. Se fica encolhido para explorar contra-ataques, um dos zagueiros pode ir ao meio-campo sem desproteger o time. O time se ajusta conforme o momento do jogo.

Antes da vitória sobre o Del Valle, Abel chegou a ser citado em uma pichação de protesto de torcedores palmeirenses. Depois da goleada, o treinador afirmou que vai mudar o lema do time para 2021. “Este ano vou inverter o lema. Ano passado eu disse que todos somos um. Este ano vai me faltar o lema, tem que ser contra todos. Este ano, contra tudo e contra todos. Vamos procurar fazer nosso trabalho, contra tudo e contra todos. Vai ser o lema deste ano”, afirmou Abel Ferreira.

O time argentino, vice-líder, com quatro pontos conquistados, terá uma escalação improvisada. Devido a um surto de covid-19 no elenco, o time comandado por Sebastian Beccacece não vai contar com 15 atletas, seis deles titulares na final da Recopa no Mané Garrincha, em Brasília. Além disso, sete membros da comissão técnica também contraíram o novo coronavírus e não viajaram.


21h30

Norberto Tomaghello
Florencio Varela (ARG)

Libertadores

3ª rodada

Transmissão
FOX Sports


Defensa Y Justicia

Unsain; Matías Rodríguez, Breitenbruch, Juan Rodríguez, Britez e Gallardo; Tripichio e Loaiza; Rius, Bou e Hachen
Técnico: Sebastián Beccacece


Palmeiras

Weverton; Luan, G. Gómez e Renan; M. Rocha, Danilo, Patrick de Paula, R. Veiga e V. Luis; Rony e Luiz Adriano
Técnico: Abel Ferreira

Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)

Galo busca segunda vitória com a força do incrível Hulk

O planejamento feito pela comissão técnica do Atlético-MG vem sendo cumprido praticamente à risca, pois o time chega à terceira rodada do Grupo H da Libertadores podendo ser líder. Hoje, recebe o Cerro Porteño, às 19h15, no Mineirão, buscando mais uma vitória, em jogo que marca a estreia do técnico Cuca na edição 2021 da competição continental — nos dois primeiros duelos ele não ficou no banco de reserva por causa da suspensão imposta por ser expulso na final de 2020, entre Santos e Palmeiras.

Coube ao treinador traçar algumas metas, como utilizar reservas no Campeonato Mineiro. Com vantagem nas semifinais, o time deve repetir a fórmula pensando na sequência da Libertadores. Apesar de não ter alguns jogadores importantes, como os armadores Zaracho e o atacante Marrony, contundidos, ele espera ver o time se desdobrando para assumir a liderança da chave. A busca pela segunda vitória na Libertadores será sob a batuta do atacante Hulk. Na última rodada, o camisa sete marcou duas vezes e chutou para longe o princípio de má-fase que o assombrava. O jogador deve iniciar entre os 11.

“Tem de ter muito cuidado, ainda mais em Libertadores, porque é uma competição que é uma delícia, mas é muito perigosa. Temos que estar ligadaços”, argumenta o treinador atleticano, recordando algumas falhas cometidas nos dois primeiros jogos que não podem se repetir para que o Galo não corra riscos desnecessários. Para o jogo de hoje, além dos atletas que estão no departamento médico, Cuca não terá o meio-campista Nathan. Ele foi expulso diante do América de Cali.


19h15

Mineirão Belo Horizonte (MG)


Libertadores 3ª rodada
Transmissão FOX Sports

ATLÉTICO-MG

Everson; Mariano, Igor Rabello, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Alan Franco), Tchê Tchê e Nacho Fernández; Savarino, Hulk e Keno
Técnico: Cuca


Cerro Porteño

Jean; Espínola, Patiño, Duarte e Arzamendia; Giménez, Villasanti, Cardozo e Carrizo; Aquino e Morales Técnico: Arce

Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE