COPA AMÉRICA

Jogadores do Brasil: "Somos contra a Copa América, mas nunca diremos não à Seleção"

Atletas confirmam participação no torneio sob protesto. Jogadores publicaram texto simultaneamente nas redes sociais após vitória sobre o Paraguai, por 2 x 0, pelas Eliminatórias

Danilo Queiroz
postado em 09/06/2021 00:25 / atualizado em 09/06/2021 00:41
 (crédito: Lucas Figueiredo/CBF)
(crédito: Lucas Figueiredo/CBF)

A promessa foi cumprida. Após dias de suspense e silêncio, os jogadores da Seleção Brasileira manifestaram-se, na madrugada desta quarta-feira (9/6) sobre a transferência da Copa América para o o Brasil. Depois do apito final da vitória sobre o Paraguai, por 2 x 0, os convocados publicaram o mesmo texto nas redes sociais. Em síntese, os atletas garantiram a participação no torneio, mas fizeram críticas sobre a forma como a competição veio parar no país.

O texto, basicamente, repudiou a transferência do torneio de última hora. "Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil. Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização."

O manifesto dos jogadores cita que não houve a intenção de dar à discussão sobre a Copa América um viés político. Por fim, os atletas ressaltam o fato que são profissionais do futebol e ratificam a disputa do torneio. "Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira", conclui o texto.

Na saída do gramado estádio Defensores del Chaco, antes da publicação do manifesto, o zagueiro Marquinhos garantiu que os convocados não cogitaram deixar de disputar o torneio em solo brasileiro. "Sabemos todo o contexto da Copa América. Então, creio que foi muito discutido nesses últimos dias internamente e externamente. Vemos tudo que as pessoas falam sem saber a verdade. Em momento algum os jogadores negaram vestir essa camisa. É o nosso sonho de criança, o maior orgulho vestir a camisa da Seleção. A partir de agora, a gente vai ver o que vai ser decidido. Há uma hierarquia", ressaltou o defensor.

Inicialmente, a principal competição de clubes do futebol sul-americano seria realizada em conjunto por Argentina e Colômbia. Os argentinos desistiram devido ao quadro da pandemia de covid-19 no país. No caso colombiano, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) decidiu retirar a Copa América do país pelas fortes convulsões sociais promovidas pela população nas últimas semanas. Os protestos são contra um aumento de imposto proposto pelo governo.

No Brasil, o torneio será disputado em cinco estádios: Mané Garrincha, em Brasília, Olímpico, em Goiânia, Arena Pantanal, em Cuiabá, Nilton Santos e Maracanã, ambos no Rio de Janeiro. A competição será realizada entre 13 de junho e 10 julho. A partida inaugural será entre Brasil e Venezuela, na capital federal. Além da estreia, a cidade receberá, ainda, mais sete jogos da Copa América: quatro serão válidos pela primeira fase, enquanto outros três serão na etapa mata-mata.

Nas Eliminatórias, o Brasil segue na liderança isolada. O time do técnico Tite soma 18 pontos, com 100% de aproveitamento. A vitória desta terça-feira (8/6), com gols de Neymar, aos três minutos do primeiro tempo, e Lucas Paqueta, aos 47 do segundo, quebrou um tabu de 35 anos. O último triunfo brasileiro sobre o Paraguai em Assunção havia ocorrido em 1985. Na ocasião, o escrete canarinho venceu os paraguaios por 2 x 0, gols de Casagrande e Zico. O desempenho invicto da Seleção alcançou, ainda, outra marca histórica. As seis vitórias seguidas igualaram a campanha inicial do time canarinho na seletiva para a Copa do Mundo de 1970.

Nova convocação

A convocação da Seleção Brasileira para a disputa da Copa América será feita nesta quarta-feira (9/6). O técnico Tite pretende manter os 23 nomes envolvidos na disputa da rodada dupla das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo. Somente imprevistos ocasionados por lesões podem alterar a lista. Cortado por uma lesão muscular, Thiago Silva pode voltar ao grupo se estiver recuperado. Neste caso, Rodrigo Caio, em observação por dores no joelho direito, seria cortado.

Leia, na íntegra, o texto coletivo

 "Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto a realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia mídia estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE