Hipismo

Brasil garante vaga na final de saltos por equipes no hipismo

Equipe brasileira terminou a classificatória na 8ª colocação, suficiente para disputar mais uma decisão por medalha em Tóquio

VICTOR PARRINI*
postado em 06/08/2021 10:05 / atualizado em 06/08/2021 10:21
 (crédito: Júlio César Guimarães/COB)
(crédito: Júlio César Guimarães/COB)

O Brasil segue vivo na briga por medalha no hipismo. Na manhã desta sexta-feira, o país garantiu a vaga na grande final dos saltos por equipes. Marlon Zanotelli, Pedro Veniss e o experiente Rodrigo Pessoa foram os representantes que colocaram a bandeira verde-amarela entre as 10 melhores da categoria. O time brasileiro fechou a classificatória na 8ª colocação, com o tempo total de 260.81 segundos e 25 faltas. A final valendo o pódio olímpico acontece neste sábado (7/8), às 7h.

» Acompanhe a cobertura completa das Olimpíadas de Tóquio na página especial do Correio Braziliense

Marlon Zanotelli foi o cavaleiro responsável por abrir os trabalhos brasileiros na competição por equipes. Os primeiros cinco obstáculos foram superados com maestria. Na sequência, muito focado, passou bem pelo triplo e muro. Com muita suavidade, saltou bem sobre as paralelas, impôs um bom ritmo de galope e terminou o percurso com 81.37 segundos, abaixo do limite de 82 e, ainda, sem cometer um erro sequer durante todo o trajeto. A performance deu ainda mais ânimo à equipe. O Brasil fechou a primeira rodada atrás apenas da Suécia, que fechou a etapa na marca de 79.52 e sem penalidades.

Na segunda etapa da prova, Pedro Veniss foi o responsável por conseguir mais uma boa participação para o Brasil. O cavaleiro mostrou tranquilidade durante boa parte do percurso e superou com autoridade a maioria dos obstáculos. As únicas penalidades sofridas pelo brasileiro vieram após derrubada da penúltima barreira e pela violação do tempo limite de 82 segundos, que custaram cinco pontos. Veniss encerrou sua participação com 82.96, deixando o país em situação favorável à classificação para a grande final. A equipe verde-amarela encerrou as segundas voltas na 5ª colocação, atrás de Suécia, Suíça, Bélgica e Alemanha.

O encarregado de fechar a participação brasileira na classificatória por equipes foi o experiente Rodrigo Pessoa. O cavaleiro de 48 anos encontrou grandes dificuldades durante o percurso. Seu cavalo, Carlinhos Way, refugou, perdeu tempo na prova e derrubou uma série de obstáculos. No entanto, o mais importante era conseguir completar o trajeto. O cavaleiro soube controlar a adversidade e ir até o fim, fechando a participação com o tempo de 96.48 segundos. A marca garantiu o Brasil na grande final dos saltos do hipismo por equipes.

O Brasil terminou a classificatória na 8ª colocação, atrás de Suécia, Bélgica, Alemanha, Suíça, Estados Unidos, França e Grã-Bretanha. Entre todos os atletas, apenas os suecos zeraram a prova, ou seja, não cometeram nenhum erro durante suas três voltas.

*Estagiário sob supervisão de Marcos Paulo Lima

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE