Libertadores em Brasília

Flamengo goleia Olimpia em Brasília e vai à semifinal da Libertadores

Em noite de baile vermelho e preto, time carioca dá show no Mané Garrincha, vence por 5 x 1, acumula 9 x 2 no placar agregado e carimba passaporte para a quinta semifinal do clube na história da competição continental

VICTOR PARRINI*
postado em 18/08/2021 21:03 / atualizado em 18/08/2021 21:46
 (crédito: Adriana Machado/POOL/AFP)
(crédito: Adriana Machado/POOL/AFP)

Embalado pelo resultado conquistado no jogo de ida (4 x 1) e a vitória sobre o Sport (2 x 0) no último fim de semana, o Flamengo chegou ao Mané Garrincha confiante na classificação. Em ritmo avassalador, a equipe carioca não teve piedade dos paraguaios e voltou a golear no duelo. O placar de 5 x 1 fez a festa dos mais de 11 mil torcedores candangos na noite desta quarta-feira (18/8) numa noite de marcas importantes.

O time passou da marca de 100 gols na temporada. Tem 101 na soma das bolas na rede na Libertadores, Brasileirão, Copa do Brasil, Supercopa do Brasil e Carioca. O trio formado por Gabriel Barbosa, Arrascaeta e Bruno Henrique alcançou 202 tentos com a camisa rubro-negra. E o Flamengo está pela quinta vez na semifinal: três na Era Zico, nos anos 1980, e duas no modo Gabigol. O próximo adversário será conhecido nesta quinta-feira no duelo entre Barcelona e Fluminense no Estádio Monumental, em Guayaquil, no Equador. Houve empate por 2 x 2 na ida. 

Em entrevista na saída do gramado do Mané Garrincha, Gabigol valorizou não somente a vitória e a classificação, mas ímpeto e o futebol futebol do time. "Eu acho que todo mundo conhece o futebol do Flamengo, a gente quer vencer e sempre que puder fazer gols. Vencemos muito bem os dois jogos e vamos continuar assim porque domingo tem mais. Foram dois jogos difíceis, trabalhamos bastante, fizemos nosso futebol, trabalhamos e estamos bem. Todo mundo reconhece o futebol do Flamengo, todo mundo sabe os jogadores que o Flamengo tem, a Nação que o Flamengo tem. Vamos com os pés no chão para a próxima fase da Libertadores" disse.

Idolatrado pela torcida, ele evitou comparações com Zico, a maior referência do Flamengo. "Zico é nosso rei. Não precisamos comparar com ninguém. Vamos seguindo assim, trabalhando, tentando, não vai ser fácil. Vamos ver quem a gente enfrenta. Vamos lutar bastante, e tentando se divertir dentro de campo", afirmou. 

Dupla rubro-negra ataca novamente

O show do Flamengo em Brasília começou com o meia Diego aplicando uma linda caneta sobre o adversário. Da mesma maneira, as primeiras iniciativas da partida também partiram dos cariocas, que aproveitaram os primeiros instantes para povoar o campo paraguaio. Na tentativa de equilibrar o jogo, o Olimpia avançava bem pela esquerda, incomodando, principalmente, o lateral Rodinei. Na marca dos 11 minutos, os paraguaios subiram as linhas e acuaram brevemente o Flamengo. A defesa da equipe da Gávea recuou a bola para o goleiro Diego Alves que, pressionado, evitou problemas e mandou a bola pela linha lateral.

Com a vantagem no placar agregado, o Flamengo controlava bem as ações da primeira etapa. Arrascaeta e Bruno Henrique eram as principais referências ofensivas. Aos 20, o meia uruguaio avançou pela esquerda, chamou a responsabilidade e driblou dois marcadores, até sofrer falta dura. A torcida ficou na bronca e pediu o cartão amarelo, que não veio. Na tentativa de converter a troca de passes em gol, a equipe carioca ficou muito perto de inaugurar o placar com Gabigol. O artilheiro recebeu ótimo passe de Everton Ribeiro e ficou frente a frente com o goleiro Aguilar, mas chutou para fora. O lance, porém, não valia mais. O atacante estava em posição irregular.

A recompensa rubro-negra não demorou. Beirando os 30 minutos, Rodinei encontrou uma avenida pela ponta direita e cruzou rasteiro para Gabigol. Bem posicionado, o maior artilheiro do Flamengo na história da Libertadores teve apenas o trabalho de empurrar para o fundo das redes e inaugurar o placar em Brasília.

A balada carioca no DF não parou por aí: aos 35, Gabigol aproveitou roubada de bola para abrir na ponta direita para Everton Ribeiro. O camisa 7 repassou para Arrascaeta,que colocou a bola na cabeça de Bruno Henrique. O artilheiro da equipe no Brasileirão subiu mais do que toda a defesa paraguaia e tratou de ampliar a vantagem flamenguista no Mané Garrincha.

Sem desanimar, aos 44 minutos o Olimpia aproveitou bem um ótimo contra-ataque pelo setor canhoto do campo. O atacante Recalde recebeu o passe e, friamente, driblou o goleiro Diego Alves e finalizou firme para o gol. O alívio paraguaio foi o último ato na etapa inicial.

Dois vira, cinco acaba

A etapa final começou muito pegada, com algumas divididas duras por parte dos paraguaios. Uma delas resultou em falta cobrada na área por Arrascaeta. O Uruguaio contou com o desvio do zagueiro Léo Pereira, que viu Aguilar fazer ótima defesa. Na sequência do lance, a bola ficou viva e Willian Arão levou a melhor e estufou as redes adversárias. Sem tirar o pé do acelerador, aos nove minutos, o Flamengo quase aumentou a contagem com Rodinei em chute de fora da área. Instantes depois, em cobrança de escanteio, o zagueiro paraguaio Salcedo colocou a cabeça na bola e marcou gol contra.

Com a goleada no placar, o técnico Renato Gaúcho aproveitou para promover algumas mudanças na equipe. Uma delas, a saída de Bruno Henrique para a entrada de Vitinho. Autor do segundo gol flamenguista na noite, BH deixou o campo ovacionado pelo torcedor candango. Passados 20 minutos, Vitinho e Otálvaro se envolveram em uma pequena confusão e foram advertidos com o cartão amarelo.

Disposto a mostrar serviço, Michael recebeu a bola pela direita e cruzou rasteiro para Vitinho. O camisa 11 mirou no gol, mas o chute foi travado pela zaga paraguaia. Instantes depois, Derlis González dominou, caminhou com a redonda e arriscou um chute perigoso de fora da área. A finalização saiu pela linha de fundo. Faltando 14 minutos para o fim do jogo, Diego deu uma de ponta e cruzou de maneira perfeita para Gabigol. O camisa 9 cabeceou em cheio e decretou 5 x 1 no Mané Garrincha. 

Antes do apito final, o Flamengo ainda teve uma última grande chance de aumentar os números. Aos 35, Vitinho enfiou ótima bola para Michael, que chegava de frente para o gol em ótimas condições. O camisa 19, porém, não percebeu a marcação por trás e acabou sendo desarmado.  

O que vem por aí

Com a vitória sobre o Olimpia, o Flamengo está classificado às semifinais da Libertadores. O rubro-negro agora aguarda definição do duelo entre Barcelona de Guayaquil e Fluminense para conhecer o próximo adversário. O próximo compromisso da equipe da Gávea será no domingo (22/8), quando encara o Ceará, às 16h, na Arena Castelão, em Fortaleza.

 

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO - 5
Diego Alves; Rodinei (Matheuzinho), Léo Pereira, Bruno Viana e Filipe Luís (Ramon); Willian Arão, Diego, Arrascaeta (Michael) e E. Ribeiro (Pedro); Bruno Henrique (Vitinho) e Gabigol. Técnico: Renato Gaúcho
Gols: Gabigol (2x), Bruno Henrique, Willian Arão e Salcedo (contra)
Cartões amarelos:Vitinho e Bruno Viana

OLIMPIA - 1
Alfredo Aguilar; Sergio Otálvaro, Saúl Salcedo, Mateo Gamarra e Iván Torres; Richard Ortiz, Derlis González, Braian Ojeda; Ramón Sosa (Quintana), Jorge Recalde (Camacho) e Roque Santa Cruz (González). Técnico: Enrique Landaia
Gol: Recalde
Cartões amarelos: Ramón Sosa, Braian Ojeda, Otálvaro e Gamarra

Local: Estádio Nacional Mané Garrincha - Brasília, DF
Público 11.211
Renda: R$ 2.107.090,00
Árbitro:Jesus Valenzuela (VEN) 

*Estagiário sob supervisão de Marcos Paulo Lima

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE