SELEÇÃO BRASILEIRA

Weverton comemora titularidade na Seleção e diz que jogo contra a Argentina ficou para trás

Um dos pilares da solidez defensiva brasileira, o goleiro disse vestir as cores do Brasil com muito orgulho. Para ele, a situação no clássico diante dos argentinos não pertence mais aos jogadores

VICTOR PARRINI*
postado em 08/09/2021 21:22 / atualizado em 08/09/2021 21:34
 (crédito: Lucas Figueiredo/CBF)
(crédito: Lucas Figueiredo/CBF)

Sinônimo de segurança, o goleiro Weverton, dono da meta brasileira na rodada tripla das Eliminatórias da Copa do Mundo, comemorou o fato de poder atuar mais uma vez como titular da amarelinha. O camisa 12 disse estar orgulhoso com as chances recebidas e falou na valorização dos sentimentos.

“Feliz com a oportunidade. É um orgulho muito grande. Hoje, antes de vir treinar, eu estava tomando banho, lembrando que tem algumas sensações da vida que a gente tem que valorizar muito. Lembro que, quando era criança, ia para a escola, lá a gente era ensinado a cantar o hino nacional, e cantávamos com orgulho”, lembrou.

Weverton conta que vestir a camisa da seleção e cantar o Hino Nacional, agora, representando torcedores, não tem preço. “É uma alegria, uma satisfação enorme, de poder ter oportunidade de entrar em campo, ouvir o hino e representar milhões faz você olhar para trás e ver que todo teu esforço e toda sua dedicação valeram a pena”, ressaltou.

Além de mostrar alegria em defender o Brasil, Weverton comentou o episódio no clássico diante da Argentina no último domingo (5/9), em São Paulo. “É sempre uma grande alegria e um grande prazer entrar em campo vestindo a camisa da Seleção. A gente se preparou muito bem para o jogo contra a Argentina, e jogar apenas cinco minutos realmente não era o que a gente esperava, mas são coisas que fogem da nossa vontade”, ponderou.

“Tudo isso já ficou para trás quando a gente saiu de São Paulo, isso é assunto que não pertence mais a gente. Cabe a nós focarmos no Peru, que é o próximo adversário, fizemos isso nos próximos dias. A equipe está focada, sabemos da nossa responsabilidade, do nosso compromisso, para fazer uma grande partida para performar bem e, se Deus quiser, fazer uma grande vitória”, disse confiante.

Saída de bola com os pés

“Isso é muito importante, ter a qualidade na saída de bola, os atletas poderem contar contigo é sempre um jogador a mais na saída, é 11 contra 10. O goleiro quando tem essa facilidade ajuda nessa saída e eu sempre procuro aperfeiçoar esse fundamento para ajudar. Mas gosto de lembrar que a principal função é embaixo da trave. O restante é um plus.”

Abraço com o técnico Tite

“O abraço que ele me deu foi em todos, de uma grande vitória diante de um grande adversário, esse foi o sentimento que todos saímos, de que é difícil ir até o Chile e vencer uma grande equipe. As outras coisas são nossas, do nosso ambiente, daquilo que lutamos para conhecer. Vamos em frente porque não dá para dar muitos detalhes da conversa.”

*Estagiário sob supervisão de Marcos Paulo Lima

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE