BRASILEIRÃO

Batida belga encerra jejum

Flamengo vence e segue caça ao Galo. Andreas quebra encanto de 1.221 dias sem gol de falta

Danilo Queiroz
postado em 14/10/2021 00:17
 (crédito: Marcelo Cortes/Flamengo)
(crédito: Marcelo Cortes/Flamengo)

Duas das últimas contratações do Flamengo foram primordiais na construção da vitória sobre o Juventude. Ontem, no Maracanã, no Rio de Janeiro, o time carioca teve atuação de gala no primeiro tempo e venceu os gaúchos, por 3 x 1, pela 26ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O atacante Kennedy marcou o primeiro dele com a camisa da nova equipe. No ponto alto da noite, o meia Andreas Pereira anotou uma pintura de falta e encerrou um jejum de 1.221 dias do clube sem bolas na rede com o recurso.

O resultado em casa manteve o panorama na corrida pelo título nacional da atual temporada. Como o Atlético-MG também venceu na rodada (leia mais abaixo), o rubro-negro segue 11 pontos atrás, com dois jogos e um confronto direto pela frente com o time mineiro. Os cariocas, porém, agora tem quatro pontos de vantagem na vice-liderança da competição nacional e estão consolidados na zona de acesso à Libertadores 2022.

A vitória foi construída com domínio no primeiro tempo. Aos 11 minutos, Kennedy tabelou com Pedro e bateu firme para abrir o placar no Maracanã. Com 25, Michael se desvencilhou da marcação e tocou na medida para o camisa 21 ampliar para o rubro-negro. Aos 34, Andreas Pereira fez o gol da noite. O meio-campista belga cobrou falta com perfeição e mandou a bola na junção da trave com o travessão. Um pintura para encerrar uma incômoda série de 237 jogos sem tentos utilizando o recurso.

O último havia sido anotado pelo meio-campista Diego, em 10 de junho de 2018, na vitória por 2 x 0 sobre o Paraná. Curiosamente, o tento foi na mesma baliza do golaço de Andreas. Na batida, a bola atingiu uma velocidade de 90 km/h e ficou longe do alcance do goleiro Douglas Friedrich. “É um orgulho fazer um gol no Maracanã. Quebrar esses jogos sem gols de falta, tomara que não somente eu, mas que outros parceiros possam fazer dessa forma”, ressaltou o camisa 18 do rubro-negro.

Na etapa final, o Flamengo reduziu o ímpeto ofensivo e viu William Matheus descontar de cabeça. Porém, em nenhum momento o Juventude ameaçou o resultado. Andreas ainda colocou duas bolas na trave, uma delas em nova cobrança de falta. “Ele tem uma batida na bola muito boa. E isso vai nos ajudar bastante. Além dele ter feito um golaço de falta, pela trajetória da bola, colocou outra no travessão. É importante ter esse jogador em campo porque preocupa o adversário. É mais uma jogada mortal que temos treinado bastante”, elogiou o técnico Renato Gaúcho.

Corinthians vence o Flu

O Corinthians não jogou bem, mas fez o suficiente para vencer o Fluminense, por 1 x 0, ontem, na Neo Química Arena, e alcançar os mesmos 40 pontos do Palmeiras no Brasileirão - perde o quinto lugar no número de vitórias. O time se reabilitou da derrota para o Sport e se mantém firme na luta por vaga direta na Libertadores.

O Corinthians começou pressionando o Fluminense, mas sofreu um duro golpe logo aos 6 minutos: Willian sentiu um desconforto na coxa esquerda e teve de sair. O time paulista rondava a área dos cariocas, mas não conseguia concluir com eficiência. João Victor e Gil perderam boas chances. O Fluminense assustou a primeira vez com Luiz Henrique após um escanteio. Pouco depois, Bobadilla chutou da grande área e Cássio encaixou. Caio Paulista exigiu grande defesa do goleiro alvinegro na sequência.

Apesar do domínio territorial e maior tempo de posse de bola, o Corinthians não era perigoso. Custou, mas o alvinegro fez uma boa jogada e foi recompensado. Gustavo Mosquito cruzou e encontrou Gabriel Pereira livre. O garoto bateu de primeira, sem defesa. Depois do gol, o time paulista se fechou, deixou o Fluminense ficar com a bola, mas soube bloquear as investidas e contou com Cássio para confirmar a vitória.

Atlético-MG vira para cima do Santos

 (crédito: Pedro Souza/Atletico)
crédito: Pedro Souza/Atletico

Belo Horizonte — Há jogadores que precisam de pouco tempo para decidir um jogo. É o caso de Nacho Fernández. Reserva pela segunda vez seguida, o meia argentino entrou no intervalo para assegurar a virada do Atlético-MG sobre o Santos, ontem, pela Série A do Campeonato Brasileiro. Com dois gols e uma assistência no período de apenas 12 minutos, garantiu o 3 x 1, no Mineirão, e a folga atleticana na liderança. O ex-cruzeirense Raniel marcou para os visitantes.

O primeiro tempo não teve muitas chances de gol. Empurrado pela torcida, o Galo quis ser protagonista: teve a bola (66%), tentou quase o dobro de passes (319 a 160) e finalizou mais que o adversário (seis a um). Mas o goleiro santista, João Paulo, pouco teve que trabalhar. Os 45 minutos iniciais ficaram marcados muito mais pelas críticas de atleticanos contra a arbitragem, com dois pedidos de pênalti.

O Atlético tomou um susto logo no começo do segundo tempo. Aos dois minutos, Raniel bateu de fora da área e abriu o placar. Na comemoração, em provocação, gritou para a torcida: “Eu que mando nesta p***”. Mas Nacho mudou o panorama ao empatar de pênalti. Depois, o argentino cobrou falta na cabeça de Nathan Silva, que virou. Por fim, em nova penalidade, parou no goleiro João Paulo, mas, no rebote, testou para as redes: 3 a 1.

“Uma partida difícil, especial. Fui colocado no banco, mas, por sorte, no segundo tempo pude entrar. O mais importante é que ganhamos. Mérito da equipe, que não perdeu a paciência quando estava atrás do placar, e pudemos dar a volta por cima”, vibrou Nacho Fernández em entrevista ao canal Premiere após o apito final.

Tricolor troca Crespo por Ceni

O São Paulo começa, hoje, a sua trajetória sem Hernán Crespo e dá início, ao mesmo tempo, a nova “era Ceni”. O clube anunciou, ontem, a saída do treinador argentino após 53 partidas e, pouco depois, trouxe de volta o ídolo Rogério Ceni após quatro anos. Sem tempo a perder, o ex-goleiro já quis iniciar sua segunda passagem como técnico no Morumbi diante do Ceará, às 19h, em casa, em duelo que encerra a 26ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

O desafio imediato é quebrar a série de empates e abrir distância da zona de rebaixamento. O São Paulo disse que abriu, imediatamente à saída de Crespo, feita em comum acordo, “um processo de busca no mercado pelo novo treinador.” A busca foi bastante rápida. Ceni recebeu a proposta minutos após o argentino perder o emprego e, segundo o presidente Julio Casares, não precisou de mais de 15 minutos para acertar essa volta para casa. O treinador encarou o convite como uma “convocação”. Essa será a segunda passagem pelo tricolor. A primeira, em 2017, durou sete meses.

Ceni teve primeiro contato com o elenco são-paulino assim que chegou e não quis esperar. Preferiu comandar a equipe diante do Ceará. “Até por se sentir em casa, ele quis começar o trabalho imediatamente”, disse Casares. O nome do treinador foi publicado no BID da CBF às 18h49. Por isso, está regularizado para fazer sua reestreia no Morumbi. No jogo, ele não terá Rigoni. O principal atacante do elenco sentiu dores musculares na coxa esquerda diante do Cuiabá e acabou vetado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE