ELIMINATÓRIAS

Brasil vence a Colômbia e carimba passaporte para a Copa do Mundo

Gol construído em jogada de Neymar e Paquetá garantiu triunfo do time de Tite para o Mundial do Catar, em 2022. Na terça-feira, equipe brasileira enfrenta fecha a temporada contra a Argentina

Marcos Paulo Lima
postado em 11/11/2021 23:30
 (crédito: NELSON ALMEIDA / AFP)
(crédito: NELSON ALMEIDA / AFP)

Uma conexão de Neymar com Lucas Paquetá oficializou o embarque do Brasil rumo à Copa do Mundo do Catar daqui a um ano, a partir de 21 de novembro de 2022. Com uma exibição pálida, longe de arrancar suspiros como na goleada por 4 x 1 contra o Uruguai, a Seleção venceu a Colômbia por 1 x 0, ontem, na Neo Química Arena, em São Paulo, pela 13ª rodada das Eliminatórias. Futebol ruim à parte, a turma de Tite tem 34 pontos em 12 jogos. Onze vitórias e um empate.

O primeiro tempo da Seleção foi um convite para vestir o pijama, programar o despertador para acordar cedo e dormir. O time esteva lento, sem o dinamismo da bela exibição anterior, em Manaus. Mérito da proposta de jogo da Colômbia. Reinaldo Rueda não deu corredor para Raphinha na direita e isolou o ponta. Neymar abusava de lances individuais. Lucas Paquetá não dava dinamismo ao meio de campo. Marcado, Casemiro tinha pouco espaço para trabalhar articular. Presos à marcação, os laterais Danilo e Alex Sandro não ofereciam opções ofensivas aos extremos Neymar e Raphinha. Gabriel Jesus ficava encaixotado na marcação adversária.

A melhor chance do Brasil no primeiro tempo foi por acaso. Em uma rara escapada de Danilo, ele tentou cruzar, a bola desviou em Tesillo e triscou na trave de Ospina. Marquinhos finalizou em uma cobrança de escanteio e Luis Díaz ameaçou em uma perigosa finalização.

Descontente com o desempenho, Tite mudou o time no intervalo, mas foi no mínimo incoerente. Ele não havia convocado Vinicius Junior. Chamou porque teve de cortar o lesionado Roberto Firmino. Mesmo assim, o atacante do Real Madrid furou a fila e voltou para o segundo tempo na vaga do volante Fred. Mais à frente, Tite sacou Gabriel Jesus, que completou 12 jogos sem fazer gol pela Seleção por Matheus Cunha; e trocou Raphinha por Antony.

Apesar do troca-troca, coube a quem já estava em campo decidir. Tesillo saiu jogando mal, Marquinhos interceptou, acionou rapidamente Neymar e o camisa 10 deixou Lucas Paquetá de frente para o gol. O meia não desperdiçou a oportunidade e tocou no canto direito do goleiro Ospina para decretar a vitória.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE