Canoagem

Atletas do DF impulsionam o cenário brasileiro

Com sete medalhistas candangos, delegação verde-amarela retorna do Campeonato Sul-Americano, no Uruguai, com 30 pódios — 12 com a paracanoagem

VICTOR PARRINI*
postado em 13/01/2022 17:48
 (crédito: Juliana Cândida/IBRES-DF)
(crédito: Juliana Cândida/IBRES-DF)

O cenário da paracanoagem no Distrito Federal segue rendendo ótimos frutos para a modalidade no Brasil. Após pouco mais de cinco meses das duas conquistas douradas no Mundial de Canoagem Oceânica, realizado na Espanha, em dezembro, atletas de Brasília foram às águas de Montevidéu, no Uruguai, para trazer sete das 12 medalhas conquistadas pelo país na modalidade paralímpica.

Na capital uruguaia, Brasília foi representada por oito competidores, divididos em categorias da paracanoagem. Ao todo, o Brasil conquistou 30 medalhas no torneio, 12 na modalidade paralímpica, e sete delas com candangos. Das subidas do DF ao pódio, quatro foram para celebrar o ouro.

O primeiro veio com Mikaela Gomes, na KL2. O caminho dourado também foi percorrido por Luciano Lima, na KL1; Andrea Pontes, na VL1; Kássia de Sá, na VL2; e Erizangela Toniolo, na VL3. Além dos títulos, a canoagem do DF ainda conquistou duas pratas para o Brasil, com Aline Furtado, na KL3; e Uilian Mendes, na categoria KL2.

Mas, apesar dos feitos grandiosos em águas celestes, a delegação candanga precisou encontrar forças para superar obstáculos encontrados antes do início das disputas. Ao Correio , o técnico Paulo Salomão revelou o drama vivido para chegar ao país vizinho.

Salomão conta que as primeiras adversidades surgiram antes mesmo do embarque para Montevidéu, anteriormente previsto para 15 de dezembro. “Cancelaram nosso vôo duas vezes. Embarcamos uma parte da equipe no dia 16 e outra, 17. Ainda sofremos com atrasos de mais de 3 horas devido ao mau tempo em Guarulhos”, explica.

Além do atraso na logística, os atletas tiveram a bagagem extraviada — roupas e equipamentos necessários para adaptações dos competidores. O intervalo entre o desembarque no Uruguai e o início das competições era curto e impossibilitava a espera pelos itens.

“Todo o equipamento que seria utilizado na competição foi perdido e não chegou”, disse Paulo Salomão. Para não deixar de competir, comissão técnica e atletas tiveram de improvisar. “Passamos em loja e compramos isopor, cola de contato, madeira e areia para adaptar os barcos e colocar a equipe na água. Não eram as condições ideais, mas precisava estabilizar o emocional da equipe e garantir o melhor com o que tínhamos”, completou.

Mesmo com os obstáculos dentro e fora das águas, o Distrito Federal fez bonito e, mais uma vez, ajudou a impulsionar a canoagem e a paracanoagem brasileira. Para 2022, as expectativas verde-amarelas miram os lugares mais altos do pódio. Em março, está previsto para acontecer a Copa do Brasil, primeiro passo antes do Mundial na Alemanha, que garantirá vagas nas Paralimpíadas Paris-2024.

Títulos com suor e orgulho

Protagonistas da história de superação dentro e fora do esporte, Kássia de Sá e Luciano Lima não escondem a alegria em subir ao lugar mais alto do pódio e elevar o cenário do esporte candango.

"As dificuldades foram inúmeras, mas não só no esporte como em muitas situações na nossa vida sempre aparecerão empecilhos e inúmeros motivos para desistir, cabe a nós encararmos ou parar. Dessa vez, não foi diferente, mas sempre busco tirar os pontos positivos em tudo. Foi fácil? Com certeza, não, mas nossa força de vontade e determinação fizeram a diferença", ressaltou Kássia.

"Devido à toda a logística e percalços, fomos ao Uruguai com a garra de sempre e trouxemos bons resultados para o Brasil. O gostinho da vitória é do primeiro ouro em uma competição internacional, com sete países. Isso mostra que Brasília está bem representada na paracanoagem", declarou Luciano.


*Estagiário sob a supervisão de Fernando Brito

DF no Sul-Americano de Paracanoagem

KL3 200m
2º lugar: Aline Furtado
Tempo: 1:19:05

KL2 200m
1º lugar: Mikaela Gomes
Tempo: 1:11:43

KL1 200m
1º lugar: Luciano Lima
Tempo: 1:02:81

VL2 200m

1º lugar: Kassia de Sá
Tempo: 1:43:46

VL1 200m
1º lugar: Andreia Pontes
Tempo: 1:45:37

VL3 200m
1º lugar: Erizangela Toniolo
Tempo: 1:22:88

KL2 200m
2º lugar: Uilian Mendes
Tempo: 00:59:28

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE