A quinta tentativa

Eliminado por quatro seleções europeias nas oportunidades anteriores de conquistar o hexa, Brasil terá chance de passar por terapia na fase de grupos contra Sérvia e Suíça. Rota rumo à sexta estrela pode ter campeões mundiais nas oitavas até a final

Marcos Paulo Lima
postado em 02/04/2022 00:01
 (crédito: Franck Fife/AFP)
(crédito: Franck Fife/AFP)

Adenor Leonardo Bachi é fã de Guilherme Arantes. Nos tempos de estudante de educação física, cantava Cheia de Charme no karaoké com os amigos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (SP). Lembrado pelo Correio dos tempos acadêmicos na entrevista coletiva antes da vitória sobre o Chile por 4 x 0, no Maracanã, e questionado pela reportagem quando o torcedor desfrutará de uma Seleção Brasileira encantadora, o técnico foi enfático na resposta. "Tomara que ela possa ser criativa, ofensiva, sólida, vença em um processo evolutivo e que o clímax seja a Copa do Mundo."

O sorteio dos grupos, ontem, em Doha, não dá margem a ensaios na quinta tentativa do hexa. Exigirá um Brasil "cheio de charme" desde a estreia contra a Sérvia, em 24 de novembro, às 16h (de Brasília), no Lusail Stadium. Palco da final em 18 dezembro, a arena está como a Seleção: em obras. Tem previsão de inauguração para 6 de junho.

Os últimos quatro sonhos do hexa foram frustrados por seleções europeias. França (2006), Holanda (2010), Alemanha (2014) e Bélgica (2018) eliminaram o Brasil. Carentes de duelos contra adversários do Velho Continente neste ciclo, os pentacampeões só duelaram com a República Tcheca nos últimos quatro anos. Em cinco dias, duelará com duas na Copa. O segundo jogo é contra a Suíça. A saideira será diante de Camarões. As duas primeiras rivais terminaram as Eliminatórias invictas. Mandaram Portugal e Itália para a repescagem. Os Leões Indomáveis lacraram a Argélia na prorrogação de um mata-mata dramático.

O Brasil não é eliminado na fase de grupos desde a Copa de 1966, na Inglaterra. Se mantiver a escrita e avançar em primeiro lugar, a quinta tentativa do hexa pode ter roteiro contra campeões mundiais no mata-mata: Se a lógica prevalecer, o que nem sempre tem acontecido acontece nas últimas edições, a rota inclui duelo com a Espanha (quartas) e Argentina (semifinal). Em tese, do outro lado ficariam a atual campeã, França, além de Inglaterra e Alemanha. Outra possibilidade de acordo com classificação seria Portugal nas oitavas e uma revanche com a Bélgica nas quartas.

Em meio a produção de um Brasil cheio de charme, Tite teve uma boa notícia no Qatar. A Fifa deixou encaminhada a liberação para a convocação de 26 jogadores. O técnico defende isso e quer tê-los todos disponíveis no banco.

Animado com a primeira Copa no Oriente Médio, Gianni Infantino emulou a ex-presidente Dilma Rousseff. Em 2014, no Brasil, ela profetizou a "Copa das Copas". Oito anos depois, o dirigente desafia: "Essa Copa será a melhor de todos os tempos. O maior espetáculo da terra, com mais de 5 bilhões assistindo. de mãos dadas, unidos, no Qatar", discursou o dirigente.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE