Hegemonias... e Cano!

ESTADUAIS No Rio de Janeiro, atacante argentino marca mais uma vez sobre o Flamengo, garante o empate e dá título carioca ao Fluminense. Com novas taças, Grêmio e Atlético-MG ampliam domínio no Rio Grande do Sul e em Minas Gerais

Danilo Queiroz
postado em 03/04/2022 00:01
 (crédito: Mailson Santana/Fluminense FC)
(crédito: Mailson Santana/Fluminense FC)

Venceu a vontade tricolor. Munido da vantagem de dois gols conquistada sobre o Flamengo na partida de ida, o Fluminense fez mais uma apresentação consistente, empatou com o rival, por 1 x 1, no Maracanã, e conquistou o Campeonato Carioca pela 32ª vez, encerrando um período de 10 anos desde o último triunfo em âmbito estadual. A taça renova o fôlego do tricolor e aumenta a hegemonia recente sobre o rubro-negro: agora, são nove jogos sem derrotas.

Mesmo fragilizado com a dolorida eliminação da Libertadores, o Flu soube se impor contra um Fla desnorteado sob o comando do português Paulo Sousa. Com exceção do momento em que viu o rival sair na frente com Gabigol aproveitando cruzamento de Arrascaeta, o tricolor não teve o resultado em risco.

Novamente nos pés do argentino Germán Cano, o Fluminense encontrou o alívio ainda no primeiro tempo. Ao contrário das últimas partidas contra o rubro-negro, o tricolor mudou a postura, teve a bola nos pés durante boa parte dos 90 minutos de jogo e perdeu algumas chances — inclusive um pênalti com Cano, herói do título ao marcar os três gols da decisão. O Fla, mais uma vez, não conseguiu pressionar de forma efetiva para ameaçar a conquista do rival.

"Sou muito grato à torcida do Fluminense por ter me brindado com carinho desde o primeiro momento. Estou muito feliz por todos os meus companheiros, o técnico e a torcida. Trabalho muito bom, estamos felizes. Agora, é comemorar com os torcedores, a família e continuar. Está só começando", prometeu Cano.

Ídolo tricolor, o atacante Fred vibrou pelo primeiro título no Maracanã. "Faltam poucos meses para acabar minha carreira. Se tivesse como escolher o momento desse fim, seria com um título. A gente sabe da importância do título, pela força do adversário e pela necessidade de 10 anos sem ganhar. Estamos felizes com nossa casa cheia, que é o Maracanã, e demos alegria para essa torcida", vibrou.

No Flamengo, o clima após o vice-campeonato foi de velório pela sexta oportunidade perdida de conquistar um inédito tricampeonato estadual e pelo futebol ruim apresentado nas finais contra o Fluminense. O técnico Paulo Sousa destacou o futuro, com as disputas da Libertadores, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil nos próximos meses.

"Teremos uma nova competição e queremos chegar a mais uma final. E de uma forma diferente das outras duas. Nessa decisão, merecemos mais do que conseguimos. Na Supercopa, estivemos superiores ao adversário, mas não conseguimos. Todos os resultados positivos fazem com que o processo seja mais rápido. Infelizmente, não foi assim nessas duas finais", lamentou o português.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE