Sarro alviverde e lamentação tricolor

Correio Braziliense
postado em 04/04/2022 00:01

A conquista do Palmeiras contra o São Paulo provocou sentimentos distintos nas duas equipes. Do lado alviverde, a euforia pelo 24º título do Campeonato Paulista, conquistado com uma goleada histórica, fez os jogadores fugirem do discurso padrão. Eles fizeram brincadeiras e piadas com os são-paulinos após o placar elástico que garantiu mais uma taça à equipe alviverde, a sexta em dois anos.

"Acho que (o São Paulo) tremeu. É sempre bom brincar. A torcida ali fez os "trikas" tremerem", falou Danilo, aos risos, na zona mista, em referência a um apelido gerado na própria torcida tricolor no início do ano, mas visto de maneira pejorativa por muitos. Antes de falar com os jornalistas, ainda no gramado, ele também já havia feito uma provocação aos jogadores do São Paulo

"Os caras estavam cagados. Só ali já deu para dizer", disse Danilo, em tom de chiste, ao ouvir de uma repórter do YouTube que ele havia colocado os jogadores do São Paulo "no bolso", uma expressão para dizer que o meio-campista protagonizou uma atuação memorável. Zé Rafael também provocou os são-paulinos ao afirmar que eles "vão ter pesadelos" com o Palmeiras depois da goleada aplicada no Allianz Parque.

Na coletiva pós-título, o técnico Abel Ferreira preferiu exaltar o feito dos palmeirenses. A virada de ontem foi apenas a segunda vez que uma diferença de dois gols foi revertida em uma final de Campeonato Paulista. "Esses jogadores nasceram para fazer história no futebol brasileiro e no Palmeiras. Não me pergunte onde eles vão buscar as forças. É mérito deles. Não sou eu que chuto a bola. Quem faz acontecer são eles. São eles que me fazem um melhor treinador. Eu sou 30% daquilo tudo que eles fazem, eles são 70%. Quem faz acontecer são os jogadores", destacou.

A festa da torcida também foi lembrada pelo português. "Sem eles, era impossível a virada. Fizeram a parte deles muito bem feita. Nós, com o empurrar deles, fomos o que assistimos em campo hoje."

Ceni lamenta

A avaliação do técnico Rogério Ceni foi de tristeza. Ídolo histórico do São Paulo, ele perdeu a oportunidade de conquistar o primeiro troféu como treinador da equipe profissional do tricolor. "Não conseguimos, infelizmente, jogar como vínhamos atuando em outras partidas importantes, como as quartas, as semis, contra o Corinthians, contra o Palmeiras, os dois clássicos da fase classificatória. Infelizmente, não fomos capazes de envolver o Palmeiras", afirmou.

O treinador são-paulino ressaltOU as qualidades do adversário e disse entender que importantes aspectos do jogo não foram bem desenvolvidos pelo seu time. "O Palmeiras é uma equipe que precisa ser marcada muito sob pressão. Nesse campo rápido, eles conseguem inverter muito a bola e jogar muito na direção do gol. Nós baixamos um pouquinho a linha de marcação. E acho que, dos três jogos, tivemos mais sucesso defensivamente nos 15 primeiros minutos. Não conseguimos criar tanto, mas não demos tantos espaços. E aí, depois, com essas bolas lançadas na área, com muitos rebotes, em momentos que não conseguimos nem tirá-la da área, para botá-la à frente. Tentamos a ligação direta com o Calleri para sair o jogo, mas não foi possível", argumentou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE