GINÁSTICA ARTÍSTICA

Júlia Soares conquista ouro no solo em Baku

Correio Braziliense
postado em 04/04/2022 00:01

Júlia Soares participou pela primeira vez de uma etapa da Copa do Mundo por Aparelhos de ginástica artística e já sentiu a alegria de ter uma medalha de ouro. A ginasta de 16 anos impressionou os jurados na disputa do solo, ontem, em Baku, capital do Azerbaijão, e ficou com o primeiro lugar do pódio, seguida pela húngara Dorina Boeczoego e a usbeque Dildora Aripova.

A brasileira conseguiu a classificação para a final ao terminar a fase anterior em primeiro lugar, com uma nota de 13.233. Com isso, chegou à decisão como grande favorita e competiu de acordo com a expectativa, atingindo a nota final de 13.433 para se tornar campeã, contra 13.166 de Boeczoego e 12.866 de Aripova.

Antes do ouro, Júlia vinha empolgando com boas apresentações, como no Pan-Americano de Ginástica do Rio de Janeiro, no ano passado. Na ocasião, homologou um novo elemento no código de pontuação da modalidade: o "candle mount" com meia volta, também chamado de entrada em vela com meia pirueta.

"A Júlia entrou no tablado sabendo que poderia ser campeã. Ela aqueceu bem e, assim que começou a série, foi para ganhar, com confiança. Fez um solo superbom, acrobático e se encheu de motivação para o restante da temporada. Teremos o Campeonato Pan-Americano, o Mundial, e ela mostrou do que é capaz", afirmou a técnica Iryna Ilyashenko.

A Seleção Brasileira também foi representada por Carolyne Pedro, de 21 anos, integrante da equipe que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019, junto com Flávia Saraiva, Lorrane Oliveira, Jade Barbosa e Thaís Fidélis. Ontem, ela terminou em quinto lugar nas barras assimétricas, com nota 12.800, em prova vencida pela francesa Lorete Charpy, com 13.866. As holandesas Naomi Visser (13.100) e Vera Van Pol (12.966) completaram o pódio.

Tanto Carol quanto Júlia competiram nas classificatórias da trave, mas não conseguiram vaga nas finais. Carol ficou com o 17º lugar, uma posição acima de Júlia, que terminou a disputa em 18º. Nomes expressivos da ginástica, como a brasileira Rebeca Andrade, a americana Jade Carey e a italiana Vanessa Ferrari não participaram do torneio.

"Todas as principais favoritas participam juntas apenas dos Jogos Olímpicos e do Mundial. Em Baku, tivemos uma etapa de Copa do Mundo com nível muito alto, com excelentes ginastas da França, da Alemanha, da Holanda e da Ucrânia, por exemplo. Não foi nada fácil. E cabe lembrar que a Júlia ganhou com bastante vantagem sobre a segunda colocada", completou Iryna.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE