Rubro-negro renasce

Brasileirão No domingo de Páscoa, Flamengo volta a jogar bem e vence o São Paulo em uma tarde onde nomes em baixa, como Isla e Marinho, tiveram participação importante na construção do primeiro resultado positivo na competição nacional

Danilo Queiroz
postado em 18/04/2022 00:01
 (crédito: Gilvan de Souza/Flamengo)
(crédito: Gilvan de Souza/Flamengo)

O domingo de Páscoa proporcionou um novo um sinal de renascimento do futebol do Flamengo. Após semanas de questionamentos por um desempenho esportivo abaixo do esperado, mesmo quando venceu partidas da Libertadores, o rubro-negro voltou a performar bem. Diante de sua torcida, no Maracanã, no Rio de Janeiro, o time do técnico Paulo Sousa acumulou bom momentos e venceu merecidamente o São Paulo, por 3 x 1.

O espírito de renascimento do rubro-negro também se estendeu para peças individuais do elenco flamenguista. Utilizado por poucos minutos somente cinco jogos na temporada e vindo de um período igual sem nem sequer entrar em campo, o chileno Isla teve uma tarde para se revigorar. Acionado no segundo tempo, o lateral-direito tirou confiança de onde não tinha e, em uma jogada individual, marcou o segundo gol do time. Gabigol anotou o primeiro e Arrascaeta, desviando bola após jogada de Marinho, outro nome em baixa, fechou o placar. Calleri fez o dos são-paulinos.

Durante toda a partida no Maracanã, o Flamengo demonstrou uma intensidade em falta há bastante tempo. Com indícios de estar mais adaptado às ideias de Paulo Sousa, o rubro-negro pressionou o São Paulo no campo de ataques e não se abateu nem mesmo quando tomou o gol de empate em cochilada da defesa em jogada aérea ainda no primeiro tempo. Na etapa final, os gols praticamente seguidos de Isla, chutando bem de pé trocado, e Arrascaeta, meio na sorte por estar na trajetória de chute de Marinho, deram tranquilidade e o time encaminhou a vitória diante de mais de 50 mil rubro-negros.

No fim do jogo, Paulo Sousa elogiou o crescimento, mas não deixou de pontuar erros para corrigir no futuro. "Quando o resultado é ruim, nem tudo está ruim. Quando é bom, nem tudo está bom. Há muita coisa no processo para continuarmos a sermos consistentes. "Projetos têm princípio, meio e fim, e os processos têm princípio, meio e nunca têm fim. É uma evolução constante e tem sempre desvios, sobretudo no futebol", explicou o treinador português.

O comandante rubro-negro também abordou sobre o retorno de Maurício Isla ao time após período que envolveu até mesmo uma punição disciplinar após alegar sintomas gripais para ficar fora de uma partida, mas, de noite, publicou vídeos e fotos curtindo uma festa com os amigos "Naquela altura, utilizamos o Isla pela necessidade que tínhamos de zagueiros. É um lateral com capacidade de construção. Que defende em profundidade e, dentro das dificuldades, vimos como opção. Mas, depois, fomos corrigindo e estamos tomando outras decisões", explicou.

Agora, o time rubro-negro espera seguir a evolução diante de um grande desafio pela competição nacional. Na quarta-feira, às 19h30, o Flamengo recebe o Palmeiras, em partida antecipada da quarta rodada do Brasileirão, no Estádio do Maracanã.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE