Raras águas tranquilas no mar continental

Danilo Queiroz
postado em 28/04/2022 00:01
 (crédito: Gilvan de Souza/Flamengo)
(crédito: Gilvan de Souza/Flamengo)

Há tempos a fase de grupos da Libertadores da América deixou de ser um problema para o Flamengo. Assombrado pela etapa em várias temporadas — com direito a eliminação precoce em cinco oportunidades de 17 participações, três delas recentes em 2012, 2014 e 2017 —, o rubro-negro carioca tem, hoje, a oportunidade de dar um grande passo para uma classificação antecipada às oitavas de final. Para isso, precisa vencer a Universidad Católica, às 19h, no Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile.

Navegar em águas tranquilas na fase de grupos é algo raro no Flamengo. Nem mesmo na mágica temporada de 2019, o time teve tranquilidade. Ainda sob o comando de Abel Braga, o rubro-negro correu risco até a última rodada e avançou com um empate suado, por 0 x 0, fora de casa, com o Peñarol. O cenário começou a mudar no ano passado. Com Rogério Ceni, o clube venceu as três primeiras, encaminhou a vaga, e se deu o direito de empatar as três últimas sem sofrer sustos quanto a classificação.

O confronto com a Católica pode repetir o 100% de aproveitamento no turno, encaminhar a classificação e deixar o time com chances reais de fazer a melhor campanha geral e carregar a vantagem de definir o mata-mata como mandante até as semifinais. Ainda oscilando sob o comando do português Paulo Sousa, o rubro-negro tem no desequilibrado grupo H a chance de, enfim, convencer. Nas rodadas anteriores, o Flamengo ganhou de Sporting Cristal e Talleres devendo um futebol convincente.

Após o último jogo na Libertadores, Paulo Sousa reconheceu a dívida. "Os processos de construção têm momentos que parecem de estagnação e isso eu percebo. O resultado implica muito na avaliação (externa). Mas em termos de dinâmica e processos de jogo, os conceitos estão lá. Nos outros jogos, sempre esses conceitos estiveram lá. Em uns melhores e outros piores. Em tempos de construção, é natural isso acontecer", ressaltou o português.

Na tentativa de manter os 100% de aproveitamento no Chile, os cariocas terão retornos e desfalques importantes. Fora dos últimos jogos do time, o atacante Bruno Henrique voltou a ser relacionado. Poupados na derrota contra o Athletico-PR, Filipe Luís, Everton Ribeiro e Gabigol são outras novidades previstas entre os 11 titulares contra a Universidad Católica. Santos também pode iniciar jogando.

A principal ausência será David Luiz. Segundo informe do Flamengo, o zagueiro foi liberado para resolver problemas particulares. Ontem, ele não participou do último treino antes da viagem ao Chile. Com poucos zagueiros disponíveis, Paulo Sousa deve utilizar Pablo ao lado do improvisado Willian Arão como dupla defensiva.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE