Certo por linhas tortas

Marcos Paulo Lima
postado em 05/05/2022 00:01
 (crédito: GABRIEL BOUYS/AFP)
(crédito: GABRIEL BOUYS/AFP)

A menos de 200 dias do início da Copa do Mundo, em 21 de novembro, no Qatar, os dois times classificados para a final da Liga dos Campeões da Europa, em 28 de maio, no Stade de France, em Saint-Denis, na França, ajudam o técnico da Seleção Brasileira a consolidar soluções e resolver pendências na convocação.

Na terça-feira, Tite viu o volante Fabinho, reserva do intocável Casemiro, assumir o papel de protagonista na vitória de virada do Liverpool por 3 x 2 contra o Villarreal. Ontem, foi a vez de Rodrygo usar dois gols improváveis em dois minutos, ambos nos acréscimos, para forçar a prorrogação no Estádio Santiago Bernabéu e ressuscitar o Real Madrid em mais um duelo épico com o Manchester City.

A trupe de Pep Guardiola havia vencido a primeira partida por 3 x 2 e abriu 1 x 0 na capital espanhola, ou seja, acumulava 4 x 2 no placar agregado. Quando a classificação parecia questão de tempo, Rodrygo entrou em cena no lugar de Toni Kroos e mudou a história da partida com uma virada épica antes do apito final. No tempo extra, Rodrygo sofreu pênalti e o centroavante Benzema cobrou com perfeição para fazer 3 x 1 e confirmar a presença do clube recordista de troféus na disputa pela 15ª Orelhuda.

Adversários na decisão da Champions League, Fabinho e Rodrygo vivem momentos opostos na Seleção Brasileira. O volante comandado por Jürgen Klopp é nome certo. Dificilmente deixará de ser o estepe de Casemiro na relação de 23 ou de 26 jogadores. O atacante do Real Madrid vive um drama. Concorre em um setor congestionado.

Tite tem opções a rodo para o ataque. A maioria, pontas. Rodrygo é diferente. Joga pelos lados, mas também tem característica de nove, uma das maiores carências do Brasil. Na partida de ontem, ele resolveu o a semifinal em dois lances de oportunismo, no papel de centroavante, nas assistências de Benezema e de Asensio. Aos 21 anos, foi perfeito.

Em fase de acabamento na definição dos atacantes para a Copa, Tite tem o imprescindível Neymar, além de: Rodrygo, Raphinha, Richarlison, Gabriel Jesus, Gabriel Barbosa, Matheus Cunha, Antony, Roberto Firmino, Gabriel Martinelli e Everton Cebolinha no radar. É impossível acomodar todos eles na lista final. Daí a relevância da atuação individual de Rodrygo ontem, no Estádio Santiago Bernabéu.

O menino da Vila tem uma relação de amor com a Liga dos Campeões. São 10 gols em 26 exibições no principal torneio de clubes do mundo. A maioria vindo do banco de reservas. Fez até hat-trick na primeira temporada em um triunfo contra o Galatasaray na primeira temporada dele com a camisa do Real Madrid. "Deus, obrigado por sempre olhar para mim. Eu me sinto abençoado", escreveu Rodrygo nas redes sociais depois do fim da partida na Espanha.

Na saída do gramado, atribuiu a virada à magia do clube. "Não tem explicação. São coisas que só acontecem no Real Madrid. Essa camisa ensina a gente a lutar até o fim, a não desistir. Depois que a gente tomou 1 x 0, eu olhei para o escudo e falei: 'Podemos virar, já viramos outras vezes". E foi! Tentei chamar os companheiros, incentivar, disse que viramos outras vezes e poderia ser igual", afirmou ao canal TNT Sports.

Rodrygo também falou sobre a possibilidade de figurar na convocação de Tite. "Acho que estou trabalhando para isso. Estou muito feliz pelo momento que vivo. Sei que indo bem no Real Madrid, aumentam muito as chances de ir para a Seleção. A Copa do Mundo está bem perto, sei que posso ajudar. Agora é continuar essa sequência, ajudando, para estar lá no Qatar", apontou Rodrygo, emocionado. Foi um dos dias mais felizes da minha vida, profissionalmente. Poder entrar e mudar a partida, fazer os dois gols".

Alegria e frustração

Tricampeão da Champions League como técnico à frente do Milan (2003 e 2007) e do Real Madrid (2014), Carlo Ancelotti está de volta à final pelo time merengue. O italiano explicou por que conseguiu virar a partida diante do favorito Manchester City. "Todo mundo achou que o jogo tinha acabado, um pequeno detalhe foi suficiente, o gol de Rodrygo. Além disso, tivemos sacrifício, sorte e energia", enumerou.

"A grande virtude deste clube, não só este ano, é não se render nunca. Até o fim, vamos Real, essa é a chave", disse à plataforma Movistar o volante Casemiro.

Vice-campeão no ano passado contra o Chelsea, Pep Guardiola frustrou mais uma vez a torcida do Manchester City. Tinha a vaga à final nas mãos e deixou escapar.

"Esta sensação de estar tão perto de conseguir e ainda nos últimos 10 minutos se sentir tão controlado pelo adversário é difícil de aceitar. Então eles cobraram o pênalti e tudo acabou", lamentou o técnico, referindo-se ao lance crucial em que o zagueiro Rubem Amorim derrubou Rodrygo dentro da área e Benzema decidiu a partida. "Temos que nos recuperar, nossos jogadores deram tudo. Estávamos perto, mas não foi possível, essas coisas acontecem no futebol", encerrou um perplexo Guardiola.

Real Madrid e Liverpool decidirão o título pela terceira vez. Os Reds triunfaram em 1981. Os galáticos, em 2018. Os dois clubes ostentam 19 taças: 13 da trupe merengue e seis do clube inglês.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE