Botafogo trabalha para resolver ausência na zaga

Correio Braziliense
postado em 06/05/2022 00:01

Alheio ao dia turbulento no Flamengo, o Botafogo se prepara para voltar ao Distrito Federal pouco mais de duas semanas depois de vencer o Ceilândia, por 3 x 0, pela Copa do Brasil. Ao contrário do rival rubro-negro, o alvinegro teve uma semana mais tranquila. Com todos os dias livres para treinamentos, o técnico português Luís Castro concentrou forças apenas para definir questões relacionadas a ausências no elenco do Glorioso.

A principal dúvida do Botafogo está no sistema defensivo. Sem o zagueiro Philipe Sampaio, fora do clássico no Estádio Nacional Mané Garrincha por lesão, Castro promoveu uma intensa disputa para definir o companheiro de zaga de Victor Cuesta. As opções do português são variadas e se concentram em cinco nomes: Kanu, Kawan, Klaus e Lucas Mezenga disputam a posição.

Outro nome do setor, o experiente argentino Joel Carli retomou os treinos ontem, mas ainda não tem condições físicas ideais para entrar em campo e não será utilizado contra o Flamengo. O defensor está sendo preparado para voltar ao alvinegro quando atingir os melhores índices de condicionamento físico. Por outro lado, o lateral-esquerdo finlandês Niko Hämäläinen resolveu os problemas relacionados ao visto de trabalho e pode ser relacionado pela primeira vez por Luís Castro.

Quem também jogará o primeiro clássico contra o Flamengo é o volante Luís Oyama. O jogador, comprado em definitivo pelo Botafogo junto ao Mirassol, demonstrou otimismo para o confronto no Mané Garrincha. "Expectativa é a melhor. Deixamos de conquistar alguns pontos em casa. Então, vamos em Brasília para buscar esses pontos que ficamos devendo. Estou muito motivado por ser meu primeiro clássico e pretendo sair vitorioso", destacou o alvinegro.

Na primeira passagem, Oyama viveu um Botafogo diferente do cenário implementado pela Sociedade Anônima do Futebol (SAF). "Estamos vivendo esse momento, uma reconstrução, buscando sempre uma melhora, na parte de cima, um estado em que o clube nunca deveria ter saído. É a oportunidade da minha vida. Minha primeira Série A, tenho que trabalhar bastante para buscar meu espaço e estar cada vez melhor física e tecnicamente", ressaltou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE