Redes de incertezas

VICTOR PARRINI*
postado em 17/05/2022 00:01
 (crédito: Marcelo Cortes/Flamengo)
(crédito: Marcelo Cortes/Flamengo)

Qual é o peso de vestir as camisas dos times mais populares do Brasil? Segundo pesquisa do ano passado, Corinthians e Flamengo somam, juntos, 72,4 milhões de torcedores. Quando a bola rola, os números dão lugar à pressão de representar quase 34% da população do país. Na atual temporada, ninguém vem sentindo tanto quanto os goleiros. Hoje, paulistas e cariocas entram em campo pela Libertadores dividindo o sentimento de incertezas debaixo das traves, em meio à missão de garantir a classificação às oitavas do torneio.

As páginas da evolução corintiana com o técnico Vítor Pereira e as lideranças no Campeonato Brasileiro e no Grupo E da Libertadores passam, necessariamente, pelas mãos de Cássio. O arqueiro é o destaque na caminhada por grandes objetivos no ano. Porém, no mês passado, o enredo era totalmente adverso. Diante das falhas, o ídolo passou a ser questionado e até ameaçado de morte. Naturalmente, o camisa 1 ficou assustado e chegou a avaliar o encerramento precoce do vínculo.

Para a alegria da Fiel, Cássio seguiu e voltou a jogar bem. Nos últimos jogos, o goleiro sofreu apenas dois gols, contra o Inter, no sábado. Hoje, a boa fase será colocada à prova novamente. Às 21h30, o Timão visita o Boca Juniors, na La Bombonera, valendo a liderança da chave na Libertadores. Os paulistas não devem ter vida fácil. Há exatos quatro anos, a equipe alvinegra não sabe o que é marcar fora de casa e, consequentemente, vencer longe de São Paulo. A última foi em 2018, quando goleou o Deportivo Lara, por 7 x 2. Na Argentina, a missão é mais complicada.

Se no Corinthians a turbulência parece ter ficado para trás, no Flamengo o clima é instável. Nem o torcedor mais pessimista imaginaria o rubro-negro tão próximo da zona do rebaixamento. Com o maior valor de mercado do país, as atuações ruins e resultados questionáveis são as principais broncas da torcida, que busca culpados.

Tentando virar ídolo, Hugo Souza vem em momento ruim. As falhas recentes deixam o jovem na berlinda. Embora seja cria da Gávea e conte com o apoio do também pressionado técnico Paulo Sousa, ele vem sentindo o peso das traves rubro-negras. O Flamengo é a equipe da Série A com mais gols sofridos em falhas individuais: 10. Para retomar a confiança, somente a vitória interessa, hoje, às 21h30, contra a Universidad Católica, no Maracanã. Os cariocas estão a um empate da classificação antecipada.

* Estagiário sob a supervisão
de Danilo Queiroz

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE