VÔLEI

Bloqueio funciona e seleção feminina de vôlei arrasa Polônia na Liga das Nações

O novo triunfo deixa a seleção na liderança provisória da tabela, com seis pontos. O próximo desafio da equipe será contra a República Dominicana na sexta-feira (3/6), às 19h

Agência Estado
postado em 02/06/2022 18:33
 (crédito: Divulgação/FIVB)
(crédito: Divulgação/FIVB)

Mostrando força no bloqueio, a seleção brasileira feminina de vôlei venceu sua segunda partida na Liga das Nações. A equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães arrasou a Polônia por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 25/21 e 25/22, em Bossier City, nos Estados Unidos.

O novo triunfo deixa a seleção na liderança provisória da tabela, com seis pontos. Na terça, as brasileiras haviam estreado na competição vencendo a Alemanha por 3 sets a 1. O próximo desafio da equipe será contra a República Dominicana na sexta-feira (3/6), às 19h (de Brasília), na mesma cidade americana.

Em processo profundo de renovação, a reformulada seleção de Zé Roberto fez uma atuação ainda oscilante na noite de quinta-feira, com erros bobos, principalmente no segundo set, mas exibindo consistência em diferentes fundamentos, caso do bloqueio, dominante do início ao fim da partida.

Zé Roberto escalou a seleção com Diana, Lorenne, Carol, Julia Bergmann, Pri Daroit e Karina, além da líbero Nyeme. Macris, titular no jogo de terça, entrou no decorrer da partida, assim como Kisy.

O grande nome do duelo foi Carol, maior pontuadora do jogo, com 15 pontos. A central se destacou tanto no saque quanto no ataque, brilhando ainda mais nos bloqueios. A jogadora ditou o ritmo do Brasil e resgatou a equipe nos momentos de irregularidade, durante o primeiro set e na reta final da terceira parcial.

Brasil e Polônia fizeram um começo de jogo equilibrado. As brasileiras passaram a abrir vantagem a partir dos erros das rivais, também jovens. O bloqueio funcionou desde o início e as polonesas não conseguiram evitar o triunfo do Brasil no set inicial.

No segundo, elas reagiram e abriram 7/2. O empate veio apenas no 16/16, antes da virada brasileira em 23/20. A terceira parcial teve o time de Zé Roberto na frente e com boa vantagem até que seguidos erros quase complicaram a seleção em quadra. Carol, novamente, foi a responsável por levantar o time até a vitória.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE