FUTEBOL FEMININO

Copa América: Brasil e Colômbia decidem final feminina neste sábado (30/7)

Seleção Brasileira joga pelo octacampeonato e a hegemonia continental. A partida final do campeonato será transmitida às 21h pelo SBT, na TV aberta, e pela SporTV

Monique Del Rosso*
postado em 29/07/2022 17:38
 (crédito: Thais Magalhães/CBF)
(crédito: Thais Magalhães/CBF)

Chegou a hora da decisão. A Seleção Brasileira feminina de futebol busca o nono título da Copa América, hoje, às 21h. Depois de eliminar o Paraguai na semifinal por 2 x 0, o time precisa vencer a anfitriã Colômbia para levantar o troféu. O jogo será no estádio Alfonso López, em Bucaramanga. O SBT e o SportTV anunciam a transmissão.

Os dois times estão invictos. Ambos venceram as cinco partidas. Além da desvantagem de decidir o título longe de casa, o Brasil terá de lidar com a pressão. Todos os 28 mil ingressos estão vendidos.

A técnica sueca Pia Sundhage avalia que a equipe brasileira precisa superar algumas fragilidades apresentadas na partida anterior contra o Paraguai. "Estou muito feliz com o resultado, mas desapontada com a performance. Acredito que poderíamos ter nos saído muito melhor no ataque. Vamos trabalhar e estaremos preparadas para a final”, disse a sueca em entrevista à CBF.

 Treino da Seleção Feminina Principal na Universidad Industrial de Santander
Treino da Seleção Feminina Principal na Universidad Industrial de Santander (foto: Thais Magalhães/CBF)

Contra o Paraguai, o Brasil teve muitas oportunidades desperdiçadas na cara do gol. Por isso, Pia afirma que a equipe está treinando para melhorar os passes, as finalizações e estudando pontos fortes e fracos das colombianas.

Dos 17 gols marcados, o trio Adriana Leal, Debinha e Bia Zaneratto anotaram 10 para o Brasil. Debinha, no último jogo, chegou aos 50 gols pela Seleção Brasileira, quatro nessa competição, em 100 disputas. Outra que tem notoriedade é Adriana Leal, que também marcou quatro.

Linda Caicedo comemora o gol da Colômbia sobre a Argentina na semifinal da Copa América
Linda Caicedo comemora o gol da Colômbia sobre a Argentina na semifinal da Copa América (foto: RAUL ARBOLEDA / AFP)

Uma das preocupações é a jogadora mais nova da Copa América, Linda Caicedo. A atacante de 17 anos teve ótima atuação na semifinal contra a Argentina e fez o gol decisivo na última segunda-feira. Linda foi titular da seleção colombiana nos cinco jogos da equipe no torneio e tem o maior índice de recuperações de bola, 15, com efetividade de 88,2%. Nos passes, os números são ainda mais impressionantes. A taxa de acerto é de 83,6%.

"Eu estava assistindo à vitória delas contra a Argentina e sei que enfrentá-las será difícil em vários aspectos. Ao mesmo tempo, precisamos ter em mente a nossa força. Será um jogo fantástico", projeta Pia. A treinadora ainda não deu detalhes sobre a escalação do Brasil, mas conta com todas as atletas disponíveis.

As jogadoras estão otimistas. “Elas estão no país delas, com a torcida delas e a gente sabe do potencial que elas têm, mas estamos concentradas, trabalhamos muito para esse momento e tenho certeza de que vamos fazer um bom jogo e sair daqui com esse título”, disse a zagueira Rafaelle ao Ge.

Independentemente do resultado da decisão, Brasil e Colômbia estão garantidos na Copa do Mundo Feminina em 2023, na Austrália e na Nova Zelândia, e nos Jogos Olímpicos de Paris-2024. A seleção campeã da América terá direito, ainda, a um tira-teima com o país vencedor da Eurocopa. O duelo à parte será contra Alemanha ou Inglaterra, protagonistas da decisão do Velho Continente, amanhã, às 13h, em Wembley.

 *Estagiária sob a supervisão de Marcos Paulo Lima

  •  Treino da Seleção Feminina Principal na Universidad Industrial de Santander
    Treino da Seleção Feminina Principal na Universidad Industrial de Santander Foto: Thais Magalhães/CBF
  • Linda Caicedo comemora o gol da Colômbia sobre a Argentina na semifinal da Copa América
    Linda Caicedo comemora o gol da Colômbia sobre a Argentina na semifinal da Copa América Foto: RAUL ARBOLEDA / AFP
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE