professores

Secretaria de Educação solicita devolução de professores à disposição do IFB

Servidores criaram abaixo-assinado on-line pedindo a permanência dos professores devolvidos

Vitória Silva*
postado em 23/09/2020 19:04
SEEDF solicita devolução de professores que estão em vigência no Campus de Planaltina do IFB -  (crédito: Francisco Ferreira de Carvalho/IFB/Reprodução)
SEEDF solicita devolução de professores que estão em vigência no Campus de Planaltina do IFB - (crédito: Francisco Ferreira de Carvalho/IFB/Reprodução)

Em pleno momento pandêmico e de adaptação ao novo formato remoto, a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF) publicou na última quarta-feira (16/9) um ofício solicitando a devolução de professores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB), Câmpus Planaltina. “O IFB foi surpreendido com a decisão, uma vez que desde agosto do ano passado está tratando da renovação de dois acordos de cooperação com a SEEDF.”, afirma o diretor do Câmpus Planaltina, Nilton Nélio Cometti. O termo de cooperação formalizado nesse ofício publicado pela pasta na semana passada é o de nº 19/2014, expirado em 17 de dezembro de 2019. “Neste momento, foi formalizado o pedido de devolução apenas dos servidores GDF do então Colégio Agrícola (Câmpus Planaltina).”, explica o diretor.

Em nota, a SEEDF confirmou o encerramento do termo de cooperação, justificou a chamada e também afirmou que está em tramitação um novo termo para novos funcionários: “O Termo de Cooperação nº 19/2014, por meio do qual oito professores e 17 profissionais da carreira assistência da Secretaria de Educação do Distrito Federal foram cedidos ao Instituto Federal Brasília - Câmpus Planaltina, foi encerrado. Diante disso, a pasta solicitou a devolução dos servidores. Está em tramitação um novo Termo de Cooperação para a cessão de servidores ao IFB, mediante processo seletivo interno na Secretaria de Educação.”

De acordo com o diretor do cãmous de Planaltina, os professores citados no documento estão em vigência, desenvolvendo projetos de pesquisa, com exceção de dois docentes que foram readaptados para trabalhos administrativos.


Para que os professores não sejam retirados de seus atuais cargos, os servidores do câmpus criaram abaixo-assinado on-line, pedindo a revogação da devolução dos docentes;. “As atividades pedagógicas estão em plena vigência, de forma remota, e os professores envolvidos neste acordo estão ministrando disciplinas em meados do semestre. Assim, a saída desses professores causará grande ruptura no calendário acadêmico dos cursos e no atendimento aos estudantes.”, diz parte do texto no formulário da petição. Para acessar e assinar, clique aqui.


“Os servidores envolvidos no acordo estão prestando um serviço essencial à comunidade tanto na manutenção do câmpus quanto nas atividades acadêmicas, com turmas em andamento e ações que vão muito além do câmpus”, reforça o diretor.

Caso não tenha a confirmação da renovação do acordo entre a Secretaria de Educação e o IFB para a permanência dos profissionais, os profissionais deverão se apresentar ao GDF. "O câmpus e a Reitoria estão trabalhando para celebrar um novo acordo com a Secretaria de Educação.”, disse o diretor.


Nilton Nélio Cometti comenta ainda que, no momento, não há vagas e nem autorização do governo para a execução de um concurso para contratar novos professores, e por esse motivo é importante que esses docentes que foram chamados permaneçam à disposição do câmpus.

*Estagiária sob supervisão de Ana Sá

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação