Entidades criam site para pressionar aprovação do Novo Fundeb

Se aprovado pelos senadores nesta quinta-feira (20), o Fundo permanente será uma grande conquista para toda a educação brasileira

EuEstudante
postado em 20/08/2020 15:10
 (foto: Defenda o Fundeb/Divulgação)
(foto: Defenda o Fundeb/Divulgação)

Para a votação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no Senado, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), em conjunto com a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG) criaram novamente um site para pressionar a aprovação do fundo. Acesse a plataforma clicando aqui.

A primeira versão do site foi criada no mês de julho, e a cada estudante inscrito, um e-mail reivindicando a aprovação era disparado a todos os deputados. Foram mais de 30 mil inscritos e a pressão surtiu efeito nos parlamentares.

Se aprovado pelos senadores, o Fundeb Permanente será uma grande conquista para toda a educação brasileira e seguirá o objetivo com o qual foi criado: reduzir desigualdades, distribuindo recursos para estados e municípios para o funcionamento das escolas e garantindo salário de professores. Serão cerca de R$ 3 bilhões destinados para a educação.


Preocupação com a proposta do orçamento de 2021 que pode impactar no FUNDEB

Prestes à aprovação do Fundeb, as entidades voltam a se posicionar contra o orçamento proposto em 2021 para e Educação. O Ministério da Economia propõe para o Orçamento de 2021 um corte de R$ 4,2 bilhões no Ministério da Educação, e que será repassado para todas as áreas da pasta.

O corte arquitetado pelo governo não prevê impacto nos salários, mas impacta os recursos da educação básica de forma que as escolas serão sucateadas, sem aprimoramento tecnológico, investimentos em inclusão digital, estruturas e também a adaptação aos protocolos sanitários para volta às aulas. Sendo assim, caso essa proposta seja aprovada, o investimento adquirido pelo Fundeb é anulado, com a perda de mais de R$ 3 bilhões para o ensino básico.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação