MEC anuncia internet de graça para alunos de instituições federais

Programa do Ministério da Educação prevê fornecer bônus de dados móveis. Devem ser beneficiados 400 mil estudantes com renda de até meio salário mínimo

Isabella Almeida*
postado em 17/08/2020 16:34 / atualizado em 17/08/2020 19:03
Ministério da Educação tenta combater a falta de inclusão nas atividades de ensino a distância -  (foto: Diana Raeder/Esp. CB)
Ministério da Educação tenta combater a falta de inclusão nas atividades de ensino a distância - (foto: Diana Raeder/Esp. CB)

Nesta segunda feira (17), o Ministério da Educação (MEC) anunciou um programa para garantir o acesso de internet para alunos de universidades e de institutos federais em situação de vulnerabilidade social. A intenção é que esses estudantes possam acompanhar as aulas on-line durante o período de isolamento social.


O anúncio ocorreu em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (17) com a presença do ministro da Educação. Milton Ribeiro. Ao fazer o anúncio, o ministro disse que a demora para se implementar a medida, após cinco meses de isolamento em decorrência da pandemia do novo coronavírus, se deve à burocracia interna do Estado.


O objetivo do programa é viabilizar o acesso a dados móveis para 900 mil aluns em condição de vulnerabilidade com renda familiar inferior a 1,5 salário mínimo. Cerca de 797 municípios com cãmpus de Instituição Federal de Ensino Superior (IFES) ou Instituto Federal (IF) serão beneficiados. A ideia do MEC é compartilhar pacotes de dados durante o segundo semestre entre os diferentes recursos pedagógicos dos alunos que estão participando de atividades remotas.


O MEC fez um levantamento para obter o número de alunos em situação de vulnerabilidade. Nesse primeiro momento, serão atendidos alunos com renda familiar per capta de até meio salário mínimo, um total de 400 mil estudantes.Para fornecer internet serão disponibilizados bônus de dados móveis gerenciados pelas instituições com 90 dias de validade e créditos de dados que variam de 10G a 40GB, além disso o estudante poderá receber um pacote de dados móveis com um chip novo pré-pago com 30 dias de validade e créditos de dados entre 5G e 40GB.


Como disse o secretário de Educação Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, atualmente são 25 universidades que estão com atividades EAD, somando 72 mil jovens com renda de até meio salário mínimo que precisam de acesso a internet para acompanharem as atividades acadêmicas.


Aqueles que residem em zona rural ou em outra área que não dispõe cobertura de nenhuma operadora deverão receber tratamento específico por parte da instituição de ensino onde é matriculado.

 

Com informações da Agência Brasil

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação