Conversa Por Escrito

Projeto capacita professores com técnicas de leitura e escrita criativas

Voltado a professores de escolas públicas do DF, projeto oferece oficinas de leitura e produção de textos

Eu Estudante
postado em 09/05/2022 18:27
Doutor em educação, J. Simões tem mais de 30 livros publicados e vasta experiência pedagógica -  (crédito:  Vera Lúcia Damásio Simões/Divulgação)
Doutor em educação, J. Simões tem mais de 30 livros publicados e vasta experiência pedagógica - (crédito: Vera Lúcia Damásio Simões/Divulgação)

A leitura e a escrita são habilidades essenciais à construção do pensamento crítico e interpretativo do ser humano, além de desenvolver a capacidade intelectual e inserir o leitor em um mundo repleto de desafios. Essa percepção motivou a realização do projeto Conversa Por Escrito, com o patrocínio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC-DF). O projeto oferecerá oficinas de leitura e produção de textos em Escolas Públicas de Ensino Fundamental do Distrito Federal, para professores do 5º ao 9º anos.

A ideia é, por meio da escrita criativa, resgatar o interesse e o hábito pela leitura dos professores, tornando-os promotores e divulgadores de cultura. Serão cinco oficinas, sendo que a primeira será realizada nos dias 11, 18 e 25 de maio, na Escola Classe 50 de Taguatinga. Para cada escola será oferecido um total de 16 horas aulas, sendo 8 horas de atividades virtuais e 8 horas de presenciais.

As oficinais são gratuitas e direcionadas a profissionais de educação das regiões administrativas de Taguatinga, Arniqueiras, Vicente Pires, Águas Claras e Guará. As inscrições podem ser realizadas via e-mail (conversaporescrito@gmail.com) ou diretamente com a coordenação pedagógica das escolas que sediarão as etapas.

Objetivo

O principal objetivo das oficinas é difundir técnicas de leitura e de produção de texto a professores da rede pública de ensino do DF, como forma de motivar e incentivá-los como agentes de transformação em suas escolas e cidades para atingir, posteriormente, o maior número de alunos possível.

À frente do projeto está o escritor José Ferreira Simões (J. Simõe), bacharel em Letras, mestre e doutor em educação, com uma longa carreira em docência tanto na rede pública do Distrito Federal e em universidades particulares, como a Universidade Católica de Brasília e a UniEuro.

Teórico

J. Simões Tem vasta experiência pedagógica. Percorreu vários caminhos literários e publicou 22 livros impressos e 11 E-books.

O escritor acredita na produção escrita como ferramenta de transformação do indivíduo em todas as suas esferas: pessoal, profissional, familiar e social. “O propósito é ajudar os professores a retransmitirem conhecimentos e estimularem a escrita de autores jovens. Nosso projeto visa formar escritores acadêmicos e artísticos, além de criar um público interessado pela leitura de escritores regionais dos mais diferentes estilos”, diz.

Segundo ele, a metodologia de ensino proposta é a experimentação prática, “o aprender a fazer - fazendo”, por meio de exercícios e diálogos explicativos sobre o que é ler e escrever, com apresentação de técnicas de leitura e escrita, presencial e eletrônica, com exibição de áudios e vídeos.

“Queremos promover uma rede em “bola de neve” para a multiplicação do conteúdo que, inicialmente, será transmitido por meio dos conhecimentos a professores das escolas públicas de ensino fundamental, para que possam ensinar o que aprenderam a seus alunos, atuando como agentes multiplicadores de estratégias, conteúdos e metodologias aprendidas”, afirma.

 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação