Matrículas em cursos on-line aumentaram com a pandemia

Estudo revela que 1,7 milhão de brasileiros se inscreveram em cursos a distância durante a quarentena, reflexo do isolamento e do desemprego

Vitória Silva*
postado em 07/08/2020 15:35 / atualizado em 07/08/2020 15:53
 (foto: Sergey Zolkin/Unsplash)
(foto: Sergey Zolkin/Unsplash)

O isolamento despertou em muitos brasileiros a vontade de ampliar os conhecimentos ou enriquecer o currículo. Segundo um estudo feito pelo Google, durante a pandemia do coronavírus a procura por cursos de especialização on-line cresceu 130% entre março e maio. Outra pesquisa mais recente, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), constatou que cerca de 1,7 milhão de brasileiros fizeram matrículas em cursos durante a quarentena.

Segundos dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising), o setor de redes educacionais apresentou, no primeiro trimestre de 2020, um crescimento de 3,5% comparado ao mesmo período de 2019, o que foi recebido com entusiasmo, visto o cenário econômico e sanitário vivido pelo Brasil em decorrência da covid-19.


Bons resultados


Leiza de Oliveira, especialista em carreiras e CEO da rede Minds Idiomas, conta que a preferência pela modalidade a distância já vinha em constante crescimento, mas a pandemia ampliou o quadro. “Essa pandemia deu um BOOM muito grande. A gente já vinha trabalhando e estudando para transformar o curso em algo híbrido”, diz. O novo quadro, segundo a CEO, ofereceu bastante aprendizado para toda equipe da Minds.

 

Leiza de Oliveira, CEO da rede Minds Idiomas
(foto: Arquivo pessoal)


O número de alunos que aderiram aos cursos on-line na Minds Idiomas também alavancou com a pandemia. Leiza relata que mais de 60% dos novos alunos matriculados na rede têm interesse no modelo remoto dos cursos. Além disso, após a pandemia, a executiva afirma que a oferta de curso remoto tende a aumentar. “Vai ser muito difícil voltar ao que era. Nós estamos fazendo pesquisas com os alunos para remodelarmos a oferta dos nossos cursos.”

A estudante e designer Valéria Ferreira, 20 anos, faz parte da contagem de brasileiros que se inscreveram em cursos on-line. Ela se matriculou em incontáveis cursos desde o começo da pandemia, a maior parte deles voltados a assuntos de estética e beleza. Entre eles, cursos de maquiagem, de design de sobrancelha, de limpeza de pele aplicada. Ela conta que tirou um ótimo proveito de todos. “Com os cursos que eu fiz, principalmente os voltados para área da beleza, que é a área que eu me identifico, melhorei muito o meu profissionalismo, meu desempenho e minha autoridade com os clientes”, afirma.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação