UNB

Alunos da UnB reclamam do auxílio de inclusão digital

Auxílio para alunos vulneráveis é alvo de reclamações para quem recebeu a ajuda de R$ 1.500 e para quem aguarda receber o equipamento da instituição

Mateus Salomão*
postado em 12/08/2020 20:38 / atualizado em 12/08/2020 20:57
Auxílio de inclusão digital para alunos da UnB é liberado, mas gera polêmicas -  (foto: Vinicius Cardoso Vieira/CB/D.A Press)
Auxílio de inclusão digital para alunos da UnB é liberado, mas gera polêmicas - (foto: Vinicius Cardoso Vieira/CB/D.A Press)

Em 12 de março, após decisão do Conselho de ensino, pesquisa e extensão (Cepe), as aulas na Universidade de Brasília (UnB) foram suspensas em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Por decisão do mesmo colegiado, as aulas em modo remoto foram marcadas para serem retomadas em 17 de agosto. Uma vez que nem todos os alunos estão equipados, a UnB liberou auxílio em 3 modalidades: quantia em dinheiro, doação e empréstimo de equipamentos. Porém, o auxílio está sendo motivo de reclamação dos discentes.


Os estudantes alvo da medida foram definidos após pesquisa interna realizada entre alunos, técnicos e professores da universidade constatar que 6% dos discentes que responderam não tinham acesso a tablets ou computadores, somente smartphones. Na consulta também foi mapeado que 30% dos alunos afirmaram ter acesso à internet lento ou precário.


Como a proposta de amparar o contingente de alunos sem acesso a equipamentos (notebooks e tablets e sem internet), a Diretoria de Desenvolvimento Social (DDS) da UnB lançou edital de inscrição para o auxílio emergencial de apoio à inclusão digital. O edital oferecia auxílio de internet e equipamentos.

 
O auxílio de internet somente seria dado por meio de depósito em conta bancária. Já o auxílio de equipamentos poderia ser dado por meio de empréstimo, doação ou quantia em dinheiro para compra. A quantia fornecida para alunos comprarem equipamentos foi de R$ 1.500. E R$ 160 foi concedido para o pagamento de plano de internet para os quatro meses que o semestre irá durar.


Contudo, o valor é motivo de polêmica por ser considerado abaixo do valor de mercado para comprar um equipamento de qualidade.


Ajuda insuficiente

A estudante Raquel Moraes recebeu o auxílio para compra de um equipamento, mas acabou gastando mais que o previsto
A estudante Raquel Moraes recebeu o auxílio para compra de um equipamento, mas acabou gastando mais que o previsto (foto: Arquivo pessoal)


A aluna do segundo semestre de ciências sociais, Raquel Ferreira, 20 anos, se inscreveu para receber o auxílio de compra de equipamentos e auxílio de internet. Ao todo, recebeu R$ 1.660,00 para comprar um equipamento e pagar quatro meses de internet. Mas disse que o dinheiro não é suficiente.


Raquel considera que o processo para receber o benefício foi sem burocracia. Porém, encontrou problema na etapa de comprar o equipamento. Ela teve que gastar mais dinheiro. “O notebook mais barato que encontrei foi de R$ 1.899 nas lojas, tive que completar o que faltava”, afirma.


A estudante entende que o valor fornecido para pagar um pacote de internet durante os quatro meses pode não ser suficiente para uma internet de qualidade. Ela encara como preocupação o valor do auxílio e teme ficar impossibilitada de continuar com os estudos longe da universidade.


“Nossa internet foi cortada mês passado. Estou com um plano de R$ 35, mas não creio que com esse pacote eu vou conseguir acompanhar as aulas on-line com qualidade.”, disse Raquel.

Espera

 

Myllena Alves dos Reis conta com o equipamento fornecido pela Unb para conseguir assistir às aulas remotas
Myllena Alves dos Reis conta com o equipamento fornecido pela Unb para conseguir assistir às aulas remotas (foto: Arquivo pessoal)

Para outras modalidades de auxílio também há inquietações. É o caso da estudante do segundo semestre de ciências sociais Myllena Alves dos Reis, 20. Ela se inscreveu para a modalidade de empréstimo de equipamento. Mas acompanha com preocupação o cumprimento dos prazos estipulados pela UnB.


“Você tem que olhar todos os dias a página da DDS pra ver se tem alguma atualização, pois eles não estão seguindo o cronograma disponibilizado por eles mesmo”, afirma. “Se a pessoa não tem nenhum tipo de acesso à Internet e computador, essa pessoa vai perder todos os prazos?”, questiona a estudante.


A partir da data prevista para o início das entrega de equipamento, 7 de agosto, Myllena procurou a DDS pelo Facebook e foi informada que a entrega ocorrerá antes do início das aulas. Além da incerteza dos prazos, a estudante também está insegura quanto à performance dos equipamentos.

A estudante de serviço social, Raphaela Santana de Sousa, 20, também aguarda. Da mesma forma, realizou cadastro para a modalidade de empréstimo de equipamentos e não encontrou dificuldades no cadastro, considerou até menos burocrático do que o esperado. Porém, ela se preocupa com o prazo para a entrega.

 

A estudante Raphaela Santana de Souza se preocupa com os prazos de entrega de equipamentos da UnB
A estudante Raphaela Santana de Souza se preocupa com os prazos de entrega de equipamentos da UnB (foto: Arquivo pessoal)

“Ainda não entraram (em contato comigo) e (isso) está me deixando preocupada, já que as aulas estão perto de começar”, pontua a estudante do terceiro semestre. Além disso, aponta a falta de comunicação direta com os alunos contemplados pelo auxílio. “Eu entrei no site da DDS e tinha um formulário para preencher. Nunca iria saber e ia perder o auxílio porque não avisam nada”, afirma.


Posição da UnB


“O valor do auxílio de inclusão digital (R$ 1.500) foi estabelecido a partir de pesquisa de mercado para a compra de equipamento com configurações mínimas, definidas pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI/UnB). Essas configurações permitem que os estudantes tenham plenas condições de acompanhar as atividades de ensino. Vale destacar que a UnB, ao lado da UFMG, é a universidade com o maior valor estabelecido para o auxílio de inclusão digital no país”, afirma a Administração Superior da Universidade de Brasília por meio de nota.


Sobre a condição dos equipamentos, a universidade afirmou que eles estão passando por revisão antes que sejam entregues aos estudantes. E assegura que os discentes receberão os equipamentos até o dia 17 de agosto, data prevista para a retomada do calendário acadêmico. A universidade pontuou que, em concordância à decisão do Cepe, o período atual ainda é de adaptação para todos. “Trata-se de uma situação inédita e desafiadora para qualquer instituição de ensino, mas, com a colaboração de todos, a UnB terá o melhor semestre possível”, conclui a nota


*Estagiário sob a supervisão da editora Ana Sá

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação