Intercâmbio

Colégio Poliedro dá dicas para alunos que desejam estudar no exterior

A preparação para o processo seletivo de universidades estrangeiras deve começar ainda no ensino médio para aumentar as chances de sucesso

EuEstudante
postado em 08/12/2020 09:52
Em média, estudantes se candidatam para 12 universidades estrangeiras diferentes -  (crédito: Vladislav Klapin/Unsplash)
Em média, estudantes se candidatam para 12 universidades estrangeiras diferentes - (crédito: Vladislav Klapin/Unsplash)

De acordo com dados de uma pesquisa da FPP Edu-Media/The Student World, que entrevistou 4,5 mil pessoas, 83% dos entrevistados desejam estudar fora do país. Para ajudar os brasileiros que querem entrar em universidades estrangeiras, o Colégio Poliedro, em parceria com a consultoria Daqui Pra Fora, preparou algumas dicas, confira:


1. Comece a preparação o quanto antes


Quando o estudante inicia sua preparação para a candidatura na 3ª série do ensino médio, ainda é possível ingressar em excelentes universidades. Mas um tempo maior de preparação é indicado para que você possa construir um currículo melhor durante o ensino médio e identificar as melhores opções de universidades em que você terá chance de ser aprovado, levando em conta fatores como os seus objetivos de estudo, seu perfil como estudante e as suas possibilidades financeiras.


2. Procure opções diversas de universidades


Tente explorar mais universidades para se candidatar. Em média, os alunos se candidatam para 12 instituições. Vale abrir o leque de opções e começar a se informar sobre como funciona a seleção de cada uma delas.


3. Invista em atividades extracurriculares


Dedique parte do seu tempo a atividades que lhe dão prazer, mas que também agreguem valor para a sua candidatura. As atividades extracurriculares são bastante valorizadas internacionalmente.


4. A redação é critério de desempate


O que muitas pessoas não sabem é que a redação é utilizada como critério de desempate. Não negligencie a importância dessa etapa. Pense com calma sobre os pontos da sua história que você deseja destacar, especialmente para que o leitor perceba sua sinceridade e quais são os seus diferenciais que o tornam uma pessoa única e especial.


5. Não perca os prazos, documentações e taxas de vista


Não perca de vista os prazos das candidaturas. Lembre-se de que as aulas nos Estados Unidos começam por volta de agosto/setembro, diferentemente do ano letivo brasileiro. Logo, as datas-limite para os processos seletivos geralmente são entre dezembro (do ano anterior ao ingresso) e janeiro. Mantenha a atenção às taxas e documentações exigidas nas provas. Tenha certeza de que tudo está atualizado e dentro do prazo de validade, assim, garante que irá participar do processo seletivo.


6. Muita atenção com a carta de recomendação


Suas cartas de recomendação terão uma grande influência na percepção do seu perfil. Por isso, é importante que seus professores estejam instruídos sobre o tipo de conteúdo que é esperado em um documento como esse. É importante não explorar somente o lado acadêmico, mas também suas qualidades, como liderança, proatividade, curiosidade, criatividade, entre outras.


7. Treine bastante, simulados podem ser grandes aliados


Ao contrário dos vestibulares brasileiros e do próprio Enem, não há tantos minutos livres para realizar a prova. Cada seção tem um tempo predeterminado e lidar com essa situação pode ser bem desafiador. Devido a isso, a prática de simulados é muito indicada.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação