APROVAÇÃO

Filho de gari e diarista é aprovado em medicina estudando em casa

Além da Universidade Federal do Pará, onde alcançou a terceira colocação,estudante também foi aprovado na Universidade Estadual

Mariana Albuquerque*
postado em 07/03/2022 19:38 / atualizado em 07/03/2022 20:00
Ageu dos Santos fez a preparação para as provas em sua própria casa, usando um telefone celular e um tablet, estudando entre 8 e 10 horas por dia -  (crédito: Arquivo Pessoal)
Ageu dos Santos fez a preparação para as provas em sua própria casa, usando um telefone celular e um tablet, estudando entre 8 e 10 horas por dia - (crédito: Arquivo Pessoal)

Estudando por conta própria, o filho de um gari e de uma diarista foi aprovado em duas concorridas universidades de medicina do Pará, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ele foi admitido nas universidades Federal (UFPA) e Estadual (UEPA).

Ageu Salgado dos Santos, 21 anos, conta que fez a preparação para as provas em  casa, usando como ferramentas um telefone celular e um tablet, onde acompanhava, pela internet, por meio de plataformas gratuitas, aulas e simulados. Ele investia entre 8 e 10 horas por dia nos estudos. O futuro médico foi aprovado em terceiro lugar na federal.

Em entrevista ao Correio, Ageu contou que os pais sempre o incentivaram a prosseguir os estudos, apesar das dificuldades financeiras. "Meus pais sempre me apoiaram, me encorajaram a seguir em frente. Com 20 anos eu sentia a necessidade de trabalhar para ajudar no sustento da casa. Felizmente, tive o privilégio de me preocupar apenas com a escola e a preparação para o Enem. Isso tudo graças ao esforço de meu pai e de minha mãe”, disse.

Ageu estudará no Campus de Belém, que fica a quase quatro horas de sua residência, no bairro Kanebo, município de Tomé-Açu. Ele conta que pretende se mudar para perto da faculdade, o que implicará em se candidatar a editais e bolsas da própria instituição. O Ministério da Educação (MEC) oferece três tipos de subsídios para alunos de baixa renda, entre eles auxílio moradia. “Como o curso é integral, não tenho como trabalhar. Esses auxílios, junto com a ajuda da minha família, serão importantíssimos para que eu consiga me manter fora de casa”, afirma.

Ele conta que o pai, Messias dos Santos, 53, e a mãe, Maria Salgado, 49, não concluíram o ensino médio. “As fichas deles não caíram até agora. Eles estão muito felizes com a ideia de ter um médico na família”. Segundo filho do casal, (o mais velho tem 24 anos e o mais novo 22), Ageu é o primeiro membro dos dois lados da família a cursar uma universidade. “Meu filho sempre foi assim, muito estudioso, humilde, obediente, nunca me deu trabalho. Os professores sempre falaram muito bem dele”, conta a mãe, orgulhosa.

Ageu revela que pretende se especializar em cirurgia geral. “Muitas vezes os nossos sonhos parecem distantes de nosso alcance. Vencer todas as adversidades em busca de um propósito é uma luta árdua, mas que valerá muito a pena quando eu chegar ao final”.

 

Estagiária sob a supervisão de Jáder Rezende

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação