Equilíbrio nos estudos preparatórios

Escolas e cursinhos podem ajudar estudantes a equilibrar a tensão resultante de levar exames como vestibulares, Enem e concursos a sério

Sala de aula de cursinho preparatório para concursos



Sejam provas do colégio, da universidade, teste de admissão a uma escola militar, vestibular, Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), seja concurso público... O processo de preparação para um exame pode envolver muito estresse para quem leva esse esforço a sério. Essas tensões do período, aliadas a características da sociedade moderna, podem ser adoecedoras para a mente se certas precauções não forem tomadas, como destaca o psicólogo Augusto Jimenez.

Hoje em dia, segundo ele, há mais dificuldade para identificar situações de adoecimento mental. "Tudo está muito virtual, até as amizades. Ter amigo é sair para bater papo, almoçar, tomar café, conversar, se ver, sentir que aquela pessoa é necessária para você. Não é se falar só por aplicativo. Com muito contato on-line e pouco físico, é mais difícil identificar algum sinal de problema", observa o diretor nacional da Minds English School. "É numa rede de convivência que é possível detectar indícios de que algo não está bem", completa.

"Até os pais, na correria do dia a dia, nem sempre conseguem perceber. Não é em toda casa que tem conversa, às vezes fica cada um no seu canto, na televisão, no celular... Então os amigos de verdade são os primeiros a notar manifestações de problemas." Algumas pessoas, quando estão estudando para uma prova, se isolam socialmente para focar os estudos. O que pode ser negativo. "Tem gente que sente que necessita cortar vários estímulos, inclusive saídas com amigos e família, para ser capaz de estudar, por dificuldades de concentração. Já outras pessoas funcionam melhor quando intercalam momentos de estudo e descontração", compara.

Os integrantes do primeiro grupo correm mais riscos. "O afastamento do convívio social é perigoso para a saúde mental. Isolado, às vezes, o indivíduo começa a pensar em coisa errada." Cenário que pode ser agravado se o estudante não conseguir resultados positivos e passar a se sentir mal por isso. "Cobrar-se demais é um perigo. A gente nunca pode se cobrar demais. A gente não ganha sempre e não é porque não passou em algo que a vida acabou", orienta.

Sofrer com a pressão de familiares, cônjuge e outras pessoas é também problemático, inclusive com relação a que vestibular ou concurso prestar, por exemplo. "Hoje, os pais influenciam muito a escolha, dizendo 'preste isso ou aquilo para ganhar bem'. Só que, se a pessoa entra numa carreira de que não gosta, isso pode gerar frustração, depressão e outros problemas", afirma. "Então, é importante se conhecer, saber do que gosta e quais são suas aptidões, pesquisar a área pretendida para entender se você se encaixa nela antes de se lançar naquilo", diz.

"Cada pessoa também tem de ter noção do curso ou da vaga a que está pretendendo e estudar a caráter. Quem vai prestar vestibular para medicina terá de se esforçar mais, por exemplo", aponta. Um efeito da cobrança exagerada, quando o estudante não obteve sucesso na prova que está tentando, é a autoestima diminuída. "É importante pensar que tudo tem 50% de chance de dar certo e 50% de chance de dar errado. Se você pensa logo no que vai dar errado, está no caminho errado de fato", ensina.

"O afastamento do convívio social é perigoso para a saúde mental. Isolado, às vezes, o indivíduo começa a pensar em coisa errada", Augusto Jimenez, psicólogo, diretor de uma rede de ensino de idiomas



Geração floco de neve?

"Se a pessoa tem autoestima baixa, precisa parar e pensar nos próprios atributos: não têm como todos eles serem ruins", estimula. Na avaliação de Augusto Jimenez, as gerações mais novas têm mais problemas com a autoconfiança."Os jovens vêm meio desprotegidos. Até estão chamando pejorativamente de 'geração floco de neve', que se machuca por pouco, briga por pouca coisa. Só que aquilo que alguns julgam como 'pouco' por de ser muito para outra pessoa", alerta. Nesse contexto, torna-se ainda mais importante a intervenção de instituições educacionais.

"A ansiedade, a depressão, o sofrimento psíquico precisa ser abordado em rede. Faculdades, escolas, cursinhos, pais, professores, alunos... Deve ser um ajudando o outro. É uma responsabilidade de toda instituição de ensino lidar com a pessoa não só na parte acadêmica, mas como ser humano, e ter uma equipe atenta a sinais de problemas", afirma.

"É importante detectar quando o aluno não está bem para conversar diretamente, oferecer apoio ou, se for o caso, entrar em contato com os pais e conversar", diz. O psicólogo ressalta que os docentes também precisam fazer a parte deles, já que muitos alunos se queixam da falta de compreensão dos educadores."A turma pode ter 100 alunos, mas, se o professor é interessado, conseguirá conhecer os estudantes e saber quando eles estão ou não bem", acredita.

Esses profissionais também têm papel importante para mostrar aos jovens que a vida não é só estudar: é fundamental ter tempo para lazer ou até para não fazer nada. "Tirar uma horinha do dia que seja para descansar a mente é necessário na vida de todo ser humano." Buscar ajuda de um psicólogo, participar de grupos de apoio nas redes sociais e organizar as horas que dedicará aos estudos, montando uma grade de disciplinas em local visível, são outras dicas de Jimenez para vestibulandos e concurseiros.

Leia!



A mente vencendo o humor - mude como você se sente, mudando o modo como você pensa

Autores: Dennis Greenberger e Christine A. Padesky

Editora: Artmed

R$ 113 (livro impresso) / R$ 90 (livro digital)

352 páginas

Aprenda passos simples, mas poderosos, que o auxiliarão a superar a angústia emocional e a sentir-se mais feliz, mais calmo e mais confiante. O livro, que está na segunda edição, é também um manual que mostra como a terapia cognitiva, uma forma de psicoterapia, pode melhorar a vida do leitor. Folhas de exercícios tipo passo a passo ensinam habilidades específicas a fim de ajudar pessoas a vencer depressão, ataques de pânico, ansiedade, raiva, culpa, vergonha, baixa autoestima, transtornos alimentares, abuso de substâncias, problemas de relacionamento e outras questões.



Confissões de um adolescente depressivo - a lutra contra a depressão que se transformou numa das TED Talks mais virais de todos os tempos

Autor: Kevin Breel

Editora: Grupo Editorial Pensamento

R$ 32,40

232 páginas

Este livro é um guia para adolescentes e pais para sobreviver à depressão ou entender melhor quem a enfrenta na adolescência, escrito por alguém que atravessou a escuridão e agora lança mão do seu estilo único para trazer luz e esperança à vida de milhões de jovens e adolescentes. As páginas apresentam a história de um jovem que se tornou referência ao se engajar contra a depressão. Kevin Breel é um dos seis membros mais influentes da geração do milênio, segundo a revista Parade, ao lado de Mark Zuckerberg e Malala Yousafzai. Sua apresentação TED Talk se tornou um fenômeno mundial.



Notas suicidas de belas garotas

Autora: Lynn Weingarten

Editora: V&R Editoras

R$ 42,90)

328 páginas

Depois que conheceu Delia Cole no sexto ano do colégio, a protagonista de 16 anos, June, deixou a solidão de lado. Amigas inseparáveis, June e Delia compartilharam as primeiras aventuras neste período tão singular que é a adolescência. Após uma temporada pouco explicada de afastamento entre as melhores amigas, chega uma notícia trágica: Delia está morta e, para surpresa de June, a ex-melhor amiga teria se suicidado ateando fogo no próprio corpo. Mas June não se convence com esta explicação e vai até onde pode para apurar a verdade. Os personagens aproximam o leitor de uma realidade infelizmente comum e abordam o lado de quem sobrevive ao suicídio de uma pessoa querida



Depois do azul

Autora: Élaine Turgeon

Editora: V&R Editoras

R$34,90

136 páginas

O livro, cuja parte das vendas é revertida para o CVV (Centro de Valorização da Vida), aborda com profundidade o suicídio e a depressão, temas caros aos dias atuais, possibilitando a reflexão sobre o assunto junto de personagens intensos que lutam com a morte e a vida no decorrer de uma trajetória repleta de amor, força e esperança. Na véspera do aniversário de 15 anos, Geneviève decide tirar a própria vida na piscina da escola, na tentativa de se livrar do tédio que sufoca seus dias. Uma história poderosa que traz à tona a delicada questão do suicídio juvenil.



Bullying - o que você precisa saber: identificação, prevenção e repressão

Autor: Lélio Braga Calhau

Editora: Rodapé

R$ 29,90

154 páginas

Ao longo de mais de 10 anos atuando na defesa da infância e da juventude, o promotor de justiça Lélio Braga Calhau, psicólogo e mestre em direito do estado e cidadania, se deparou com inúmeros casos de bullying. A vivência o inspirou a se aprofundar no assunto e o resultado é esse livro, que está na quarta edição. Trata-se uma obra simples, direta e objetiva, sugerindo medidas para identificar, prevenir e combater o problema. Segundo o autor, bullying é o ato de "desprezar, denegrir, violentar, agredir, destruir a estrutura psíquica de outra pessoa sem motivação alguma e de forma repetida". E, cabe destacar que não se tratam de pequenas brincadeiras próprias da infância, as chamadas "microviolências", mas sim de casos de violência física e/ou moral, muitas vezes velada.



Desafios reais do cotidiano escolar brasileiro - 22 dilemas vividos por diretores, coordenadores e professores em escolas de todo o Brasil

Coordenadora Katherine K. Merseth

Editora: Moderna

234 páginas

Disponível no link bit.ly/livrodesafiosreais

O livro, coordenado por uma professora da Universidade Harvard e organizado pelo Instituto Península, traz dilemas do cotidiano escolar escritos por professores, diretores e coordenadores de escolas públicas de diferentes partes do país, incluindo o Distrito Federal. O objetivo é mostrar a realidade das salas de aula brasileiras, permeada por problemas como bullying, violência e questões étnico-racionais. As páginas descrever práticas reais da educação que extrapolam a dinâmica de ensino-aprendizagem dos conteúdos curriculares, com observações do ponto de vista de professores, alunos, gestores e membros da comunidade escolar.



Pré-adolescente - um guia para entender o seu filho

Autora: Daniela Tófoli

Editora: Globo Livros

R$29,90

144 páginas

Trata-se de um manual repleto de dicas práticas para lidar com as transformações da pré-adolescência e, assim, ajudar meninos e meninas entre 8 e 12 anos a passarem por essa nova etapa do desenvolvimento. Além do desenvolvimento físico e mental, temas como autoestima, bullying, distúrbios alimentares, tecnologia, ansiedade, namoro, sono, a relação com os pais e o papel dos amigos estão presentes na obra, sempre com uma linguagem fácil e com dicas práticas que podem ser adaptadas no dia a dia de cada família. Como lidar, afinal, com tantas mudanças em tão pouco tempo? É para ajudar a enfrentar esse período que a autora, jornalista, entrevistou médicos, psicólogos, educadores e cientistas e compartilha estudos e descobertas mais recentes com os leitores.



Mais do que isso

Autor: Patrick Ness

Editora: Novo Conceito

R$ 39,90

432 páginas

A obra conta a história de Seth, um jovem cheio de conflitos que o levam a tomar a irreversível decisão de tirar a própria vida. Em meio a uma batalha contra si mesmo, a jornada do protagonista é repleta de dúvidas, medo, solidão e lembranças, principalmente de uma mãe que não aceitava a sua orientação sexual. Muitos adolescentes que precisam lidar com situações traumatizantes podem se identificar com o enredo. Apesar de dolorosa, a história é um romance intenso e cheio de surpresas que carrega uma importante mensagem para os tempos atuais e que instigará o leitor a se questionar sobre seus preconceitos e hipocrisias.



Imaginetrium - materializando sonhos

Autores: Daniel Jahchan e Andre Gayo Lima

Editora: Novo século

R$ 29,90

176 páginas

Nesse livro de ficção, um sistema onde todos podem ser iguais é aparentemente perfeito. Mas onde se encaixam aqueles que ignoram o roteiro para seguir os seus próprios sonhos? Eles não se encaixam. Apenas desaparecem. Imaginetrium é um mundo onde o sonho é poder. As viagens que você faz enquanto dorme são mais valiosas nesse mundo. Não à toa, é conhecido como o Mundo dos Sonhos, e o sonho é a moeda mais valiosa nesse universo fantástico. Os autores usam esse cenário como pano de fundo para mostrar uma história que mostra as consequências do bulliyng e do preconceito. Um dos vilões do livro, Duds, sofreu bullying no passado e passou a reproduzir essa forma de violência.



Fique forte - você pode superar o bullying (e outras coisas que o deixam para baixo)

Autor: Nick Vujicic

Editora: Novas ideias

R$ 34.90

192 páginas

Nick não tem braços nem pernas, enfrentou o bullying de várias maneiras por ser diferente e, hoje, tem uma vida absolutamente boa. Ele aprendeu que não se deve entrar no jogo de um intimidador nem se tornar um. No livro, ele mostra algumas estratégias para criar "um sistema de defesa" que permitirá enfrentar os valentões e o motivará a desenvolver autoconfiança. Portador de uma síndrome rara, Nick nasceu sem os membros superiores e inferiores, sendo alvo de muita zombaria durante boa parte de sua vida, até o momento em que ele resolveu dar basta à violência e desenvolver maneiras de bloquear os insultos.



Pense magro - a dieta definitiva de Beck: treine seu cérebro a pensar como uma pessoa magra

Autora: Judith S. Beck

Editora: Artmed

R$ 82 (livro impresso) / R$ 65,60 (livro digital)

317 páginas

A obra aplica os benefícios da terapia cognitiva a dietas de emagrecimento, trazendo um programa de seis semanas que oferece as ferramentas para pensar diferente e fazer mudanças comportamentais necessárias para emagrecer e manter a perda de peso. Apesar de o livro abordar dieta e emagrecimento, as técnicas apresentadas podem ser utilizadas para alterar outros tipos de comportamentos e pensamentos, inclusive relacionados a saúde mental.



Pela metade

Autora: Tânia Alexandre Martinelli

Ilustradores Dave Santana e Maurício Paraguassu

Editora: Scipione

R$ 82 (livro impresso) / R$ 65,60 (livro digital)

R$ 39,00

A obra juvenil traz a trajetória de duas garotas com narrativas que se alternam. Bia fará uma viagem ao exterior em breve, mas, antes, quer esclarecer alguns mistérios que rondam sua família. Já Suelen está grávida, e o pai da criança não quer se envolver. Em comum, as duas têm apenas a paixão pela literatura, mas, em certo momento, o caminho delas se cruza e o leitor confere o desfecho surpreendente desta trama que aborda assuntos importantes e próximos dos jovens, como estruturas familiares diversas, gravidez na adolescência, relacionamentos, tolerância e bullying.



Singular

Autora: Tathi Machado

Editora: Qualis

433 páginas

Depois do sucesso do livro Poder Extra G, sobre uma personagem plus size, Thati Machado conta, em nova obra, a história de Noah, um homem transexual passando por todas as dificuldades da transição e da autodescoberta do processo. Além disso, destaca, nas páginas Rafaella, uma ex-modelo que ganhou peso após uma cirurgia de endometriose em estágio avançado e tem de enfrentar amizades tóxicas e aceitação pela seu corpo.



Amor plus size

Autora: Larissa Siriani

Editora: Verus

R$ 41,50

"Odiava me olhar no espelho e ver aquela cara gorda me olhando de volta, de ter o mundo todo me julgando porque eu lutava para me enfiar em uma calça tamanho 48. Eu odiava os números na balança e tudo que vinha com eles: a dificuldade para caminhar, o fato de não caber direito na carteira da escola, o bullying, minhas inseguranças. Eu tinha nojo da minha fraqueza, me desprezava pela minha forma. Eu não estava feliz", relata a protagonista da história, Maitê, garota de 17 anos e mais de 100kg. Na obra, a autora aborda os impactos do bullying, da baixa autoestima e da falta de autoaceitação do corpo na vida de pessoas gordas e, por meio da história, instiga o leitor a se aceitar como é.