imprensa

Correio ganha prêmio do Sebrae com matéria sobre jovens nem-nem

Ana Lídia Araújo produziu a reportagem Pandemia desencoroja ainda mais jovens nem-nem na busca de emprego e foi vencedora da etapa distrital

Ana Luisa Araujo
postado em 28/10/2021 21:48 / atualizado em 28/10/2021 22:10
 (crédito: Arquivo Pessoal)
(crédito: Arquivo Pessoal)

O Correio Braziliense ganhou a etapa distrital do 8º Prêmio Sebrae de Jornalismo na categoria texto com a reportagem Pandemia desencoraja ainda mais jovens nem-nem na busca por emprego, e autoria de Ana Lídia Araújo. 

A premiação, que tem o objetivo de reconhecer profissionais da imprensa local que desenvolveram trabalhos a respeito de pequenos negócios, ainda passará pelas etapas regional e nacional. “Levar um prêmio desse, ainda como estudante de jornalismo, é uma honra que não dá para se definir em palavras. Se você me falasse há dois anos que eu ganharia um prêmio, aqui do Distrito Federal, eu não acreditaria”, diz.

A reportagem contou com a colaboração da jornalista Ana Paula Lisboa, à época subeditora do caderno Trabalho&Formação. A matéria retrata o aumento da população, durante a pandemia, entre 15 e 29 anos que não trabalha nem estuda. Além disso, essas pessoas, à época, se sentiam desmotivadas a procurar um emprego. Essa população correspondia, em 2020, a 24% da população dessa faixa etária.

A orientação de Ana Paula, conforme suas palavras, foi no sentido de auxiliar. "Eu auxiliei mais na parte da pesquisa, porque os números da matéria não eram dados que estavam disponívels. A gente pediu, especificamente, para os órgãos, e muitos deles vêm brutos e a gente precisa refinar. A minha orientação foi ao longo de toda a matéria, mas o grande mérito é da Ana Lídia de ter se esforçado para fazer a pauta com exemplos práticos dos nem-nem", declara.

A jornalista lembra que a vencedora ainda é uma estudante e "isso mostra como o trabalho do Eu, Estudante e do caderno de Trabalho & Formação é de qualidade e exigente, que consegue, mesmo com um estagiário, fazer uma reportagem de altíssimo nível".

Ana Lídia cita os motivos pelos quais teria ganho: “Tudo isso é fruto de um trabalho muito duro. Fruto de uma mentoria muito incisiva da editora Ana Sá e da subeditora Ana Paula, que me ajudaram demais”. A ganhadora ficou surpresa com a premiação. “Foi um choque, me tremi toda, tive que ler várias vezes para saber que eu realmente tinha ganho”, afirma.

Ana Lídia destaca que a apuração da matéria não foi nada fácil. Segundo a jovem, a reportagem buscou e filtrou dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). “Tem que destrinchar os números, ler bastante. Eu sempre fui muito metódica, tinha medo de errar, de colocar algum número errado, então passei horas com a Enid Rocha, pesquisadora do Ipea, ao telefone. Lembro-me direitinho”, conta.

Depois das etapas estaduais e distritais, os classificados irão para a fase regional, depois nacional. Os vencedores de cada categoria (texto, vídeo, áudio e fotografia), na fase nacional, ganharão um notebook e um smartphone de última geração, com configurações de alto desempenho. Os resultados dessa última parte serão divulgados em janeiro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação