Grita geral

postado em 29/12/2013 00:00

BAIRRO DE LOURDES
Leitora questiona regras
de ocupação dos passeios

Lúcia Pinheiro ; por e-mail

;As inúmeras denúncias feitas à Regional Centro-Sul e ouvidoria da PBH não foram levadas em consideração. Na Rua Curitiba, no Bairro de Lourdes, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, os proprietários de imóveis foram obrigados a colocar sinalização na calçada para deficientes visuais em frente aos números 2.069, 2.067 e 2.035 (foto). No entanto, a PBH autoriza bares da região a ocupar as calçadas com mesas e cadeiras, que, mesmo antes dos frequentadores chegarem, já impedem a passagem. Os pedestres ficam obrigados a enfrentar o trânsito violento do asfalto assim que esses bares abrem.;

A PBH RESPONDE
A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Regional Centro-Sul, esclarece que foi realizada uma ação fiscal nos endereços citados pela cidadã, ambos situados na Rua Curitiba. Dois dos três estabelecimentos visitados possuíam alvará de localização e funcionamento dentro do prazo de validade. O bar que funcionava sem alvará apresentou licença vencida para a colocação de mesas e cadeiras e o responsável foi multado. Os demais estabelecimentos apresentaram licença. Contudo, a situação será encaminhada para a gerência de licenciamento a fim de verificar o espaço adequado para a utilização de mesas e cadeiras.

BAIRRO SANTO AGOSTINHO
Morador pede vistoria
em casa abandonada


Enaldo Antônio Moreira ; por e-mail


;O imóvel de número 3.045 da Rua Gonçalves Dias, no Bairro Santo Agostinho, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, está abandonado e foi invadido por moradores de rua. Inclusive, já houve até um homicídio no imóvel. Equipes da prefeitura foram ao local diversas vezes, mas nada foi resolvido. No dia 22 uma nova denúncia foi feita, espera-se novamente que o poder público mude a realidade desse espaço.;

A PBH RESPONDE
A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Regional Centro-Sul, informa que a equipe de fiscalização integrada vai realizar uma vistoria no endereço citado. Caso sejam verificadas irregularidades, medidas cabíveis serão tomadas em relação ao proprietário do imóvel. A administração municipal ressalta ainda que a equipe do serviço especializado de abordagem social nas ruas mantém o monitoramento no entorno do logradouro. O mesmo ocorre por parte da gerência de controle de zoonoses.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação