Cerveja no ano novo? Sim!

rodrigo ferraz, proprietário do Haus München e apreciador de cervejas
postado em 29/12/2013 00:00

O réveillon é, para muitos, sinônimo de festa. Um dia para celebrar as alegrias vividas no ano que termina e uma oportunidade para começar com o pé direito um novo ciclo. É um ótimo motivo para reunir os amigos, a família e curtir o alto astral. Normalmente, as ceias e comemorações são sempre acompanhadas de vinhos, espumantes e champanhe. Mas quero fazer um convite para você, leitor: que tal festejar a chegada de 2014 "estourando" uma cerveja? Sim! Esse exótico tipo de cerveja existe e tem cara, jeito e estilo de champanhe.


As cervejas do estilo bi;re brut são elaboradas pelo método conhecido como champenoise (forma de produção do champanhe) e podem ser facilmente confundidas à primeira vista. O formato da garrafa é bem parecido, as rolhas e a cor amarelo-ouro, com bolhas finas e persistentes, também lembram muito as bebidas com as quais normalmente se comemora a passagem do ano.


A fabricação dessas cervejas é lenta e trabalhosa. O método champenoise consiste basicamente em, após a fermentação tradicional (alcoólica), submeter a cerveja a uma segunda fermentação na garrafa, descansando vários meses em adegas, tal como o champanhe e alguns espumantes. Esse descanso aumenta a liberação de gás carbônico e, consequentemente, a carbonatação, evidenciando aromas e sabores. Depois, a cerveja recebe o mesmo tratamento da produção do champanhe: remuage (girar a garrafa dia a dia e incliná-la de cabeça para baixo para concentrar a levedura no gargalo) e degorgement (retirada da levedura). Concluído esse processo, a garrafa recebe a rolha. O resultado é uma cerveja normalmente dourada - mas a intensidade da cor pode variar - aromas frutados e florais, com gosto que varia entre o levemente adocicado ao seco.


As cervejas belgas DeuS e Malheur são as principais referências nesse estilo. A DeuS, produzida pela cervejaria Bosteels, foi fundada em 1791 e é a pioneira e o ícone do estilo bi;re brut. Após sua produção na Bélgica, todo o processo de segunda fermentação é feito na região de Champagne, na França.


No Brasil, há duas cervejarias que fazem rótulos nesse molde: Eisenbahn e W;ls. A primeira é de Blumenau e lançou em 2006 a Eisenbahn Lust, produzida pelo método champenoise, sendo a terceira no mundo e por alguns anos, a única no Brasil. Depois da fermentação e maturação normal dentro da cervejaria, o líquido é enviado para uma vinícola, onde fica por três meses. A Lust Prestige, outro rótulo da Eisenbahn, fica um ano maturando.


sJá a mineira W;ls, inspirada nas cervejarias belgas, lançou em 2011 a W;ls Brut. A cervejaria faz todo o processo do método champenoise; a remuage por 45 dias e o dégorgement manual. A receita tem como base outra cerveja da marca, a W;ls Tripel, também de inspiração belga. A W;ls Brut leva nove meses para ficar pronta e são produzidas em torno de 200 garrafas por ano. Essas cervejas harmonizam bem com frutos de mar e pescados, queijos (tipo brie, e grana padano), risotos de molhos suaves e sobremesas a base de frutas, principalmente as cítricas. Refrescantes, leves e aromáticas, as biére brut podem dar um toque especial nas comemorações de fim de ano, agradando cervejeiros e não cervejeiros. Que tal inovar e brindar 2014 apreciando uma cerveja com o charme de champanhe?

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação