Ganhos podem ser maiores

postado em 02/02/2014 00:00
;As empresas têm desenvolvido ações de eficiência energética por questões de estratégia de sobrevivência e competitividade. Se houvesse um programa de estímulo governamental focado na indústria, os resultados seriam mais estruturados e consistentes. Empresas de fora do Brasil estão avançadas nisso porque têm cultura corporativa nessa área e atuam em países pressionados a conter os gases de efeito estufa. Aqui, a maioria das companhias está no estágio inicial de avaliar oportunidades no consumo de combustíveis, adotando mudanças de hábitos e revisão dos processos produtivos. Práticas de apagar a luz quando não se estiver no ambiente da produção e desligar máquinas têm impacto marginal. Há poucas empresas trabalhando nos outros dois estágios, de investimentos maiores na redução do consumo e de troca de equipamentos e uso de tecnologias novas.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação