Compra de droga em veículo oficial

Vereador de Bom Sucesso e motorista da Prefeitura de Itaúna, flagrados em morro de BH, são condenados a prestar serviços

Pedro Ferreira
postado em 20/02/2014 00:00
 (foto: Túlio Santos/EM D.a press)
(foto: Túlio Santos/EM D.a press)

Da rotina no gabinete e no plenário da Câmara de Bom Sucesso para a prestação de serviços gratuitos à comunidade, durante dois meses, por quatro horas semanais. Foi esse o acordo firmado ontem com o Ministério Público pelo vereador da cidade do Centro-Oeste de Minas Gledson Júnio Paixão Gonçalves (PSDB), de 32 anos. Ele foi flagrado com Milton Henrique de Magalhães, de 43, ; motorista da Prefeitura de Itaúna ;, após comprar cocaína com traficantes no Aglomerado Morro das Pedras, Região Oeste de Belo Horizonte. O condutor, que estava em veículo oficial do município, recebeu a mesma punição.

Os dois foram presos em flagrante às 11h24 de ontem, na esquina das ruas Braz e Esperança. O vereador teria transportado pacientes para tratamento médico em Belo Horizonte e seu amigo Milton havia levado dois funcionários da Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo de Itaúna, cidade também na Região Centro-Oeste, para uma palestra na Cidade Administrativa. Enquanto os servidores estavam na sede do governo estadual, Milton saiu para comprar uma peça na Avenida Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Carlos Prates, Região Noroeste da capital, mas depois foi ao encontro do vereador. Juntos, eles foram ao aglomerado no Vectra preto placa HFA 0013, da Prefeitura de Itaúna, para comprar a droga. Foram presos por militares quando retornavam ao veículo.

Os PMs disseram que estavam em patrulhamento de rotina pelo aglomerado e que os suspeitos desistiram de entrar no carro quando perceberam a presença deles. Segundo os militares, o vereador tentou jogar um tubo com cocaína fora. Duas embalagens foram apreendidas no bolso da calça do motorista. Gledson e Milton confessaram que haviam pago R$ 30 por embalagem e que tentaram se afastar do carro para evitar envolver a Prefeitura de Itaúna. O carro, segundo a PM, também estava estacionado em local proibido.

No Juizado Especial Criminal, os suspeitos confessaram ao juiz Pedro Cândido Fiúza Neto que são viciados em cocaína. Os dois não tinham antecedentes criminais e concordaram com a proposta de transação penal apresentada pela promotora de Justiça Denise Guerzoni Coelho. A representante do Ministério Público determinou que a Justiça das duas cidades sejam notificadas do acordo, para indicar a instituição para cumprimento da medida. Nos próximos cincos anos, os dois não terão mais direito a qualquer outra transação penal. As promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Itaúna e de Bom Sucesso serão notificadas sobre o uso de carro oficial na prática de delito.

Em nota, a Prefeitura de Itaúna informou que abriu processo disciplinar para apurar o incidente. De acordo com o Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura, Milton é funcionário concursado desde 13 de julho de 2005. Nesse período, recebeu sete multas de trânsito e teve R$ 942 descontados do salário. Na Câmara de Bom Sucesso, o presidente, vereador Júlio César, não foi localizado para falar sobre o assunto. O advogado dos presos, Marcos Oliveira, disse que seus clientes costumam trazer pacientes para tratamento médico na capital e que sempre se encontravam na região hospitalar.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação