Assaltos disparam na conexão Confins

Tiago de Holanda
postado em 20/02/2014 00:00

A linha convencional do ônibus que faz a conexão entre Belo Horizonte e o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana, já foi assaltada cinco vezes desde o início do ano, duas em janeiro e três neste mês, todas no período da noite. O último ataque ocorreu às 18h30 de terça-feira, segundo o gestor comercial da Unir, empresa responsável pelo serviço de transporte, Murilo Sérgio. O número é mais que o dobro dos dois assaltos registrados em 2013. Quatro casos já estão sendo investigados pela Polícia Civil, mas nenhum suspeito foi identificado. Com a proximidade da Copa do Mundo, o problema preocupa até a Diretoria de Fiscalização do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG). A Polícia Militar afirma que operações e blitzes no percurso foram reforçadas.

Os ônibus da linha convencional saem da Rodoviária da capital, no Centro, e têm passagem mais barata que a executiva, que parte de um ponto na Avenida Álvares Cabral. Todos os assaltos foram executados à mão armada, mas ninguém foi agredido, segundo a Polícia Civil. O gestor comercial da Unir informa que o último roubo foi praticado por três homens que embarcaram na rodoviária e anunciaram o assalto na rodovia MG-010, em Vespasiano, Grande BH. Na altura do Bairro Angicos, os criminosos mandaram o motorista pegar um retorno e entrar em uma estrada que faz a ligação com a MG-424. ;Depois de recolherem pertences dos passageiros, desceram na estrada e fugiram;, conta Sérgio. Na noite de ontem a ocorrência ainda não havia sido encaminhada à Polícia Civil.

Segundo a delegada Nicole Perim, responsável pelos inquéritos dos outros quatro assaltos, dois deles foram praticados pelo mesmo homem, por volta das 21h30 de 8 de janeiro e das 21h40 de 2 de fevereiro. Ele foi filmado pelo circuito interno dos ônibus, mas ainda não foi identificado. O criminoso embarcou em um ponto próximo ao Hospital Risoleta Neves, em Venda Nova, e anunciou o assalto na MG-010. Ele ordenou que o motorista retornasse a BH e desceu na altura do Bairro Santa Clara, em Vespasiano.

;Para não levantar suspeitas, os criminosos sempre mandam o condutor manter o ônibus em movimento enquanto fazem um verdadeiro arrastão;, relata a delegada. Os outros dois assaltos ocorreram às 20h50 de 9 de janeiro e às 19h15 do último domingo, e foram praticados por duplas. ;Também anunciaram o assalto na MG-010 e mandaram o motorista voltar a BH. Não sabemos onde embarcaram ou desceram;, diz Nicole.

Segundo o gestor comercial da Unir, a linha convencional tem 25 ônibus e faz 136 viagens diárias, somados os dois trajetos. Cada veículo tem quatro câmeras. ;O número de assaltos aumentou muito, talvez porque os bandidos encontraram facilidade, viram que falta policiamento. Os clientes acham que temos capacidade de resolver, mas não podemos fazer nada;, diz.

Representantes da empresa se reuniram ontem com o diretor de Fiscalização do DER-MG, João Afonso Baeta. Segundo ele, o órgão entrará em contato com a Diretoria de Meio Ambiente e Trânsito da PM. ;Vamos adotar estratégias conjuntas;, diz. Ele também planeja entrar em contato com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) Regional de Minas. ;O centro será responsável pela segurança na Copa. Queremos que sejam intensificadas as ações na MG-010, especialmente à noite, quando estão ocorrendo os assaltos, para eliminá-los até o torneio;, acrescenta. ;As ocorrências aumentaram porque os bandidos descobriram que a presa é fácil;, acredita.

A PM informou em nota que desde o aumento do número de assaltos aos ônibus da conexão para Confins ;as operações e blitzes que já eram realizadas foram potencializadas;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação