SAP Fórum 2014 e o futebol

B.Piropo
postado em 20/02/2014 00:00
 (foto: SAP/Reprodução)
(foto: SAP/Reprodução)

No anúncio da décima oitava edição do SAP Fórum 2014, realizado semana passada no Transamérica Expo Center de São Paulo, a empresa alardeou que seria ;o maior evento de negócios e tecnologia da América Latina; e reuniria ;nove mil participantes;. Ora, considerando que a SAP é uma empresa de software empresarial e que seus clientes são computados aos milhares (pouco mais de 250 mil em todo o mundo), enquanto os clientes de empresas como Intel e Microsoft, são computados aos milhões, não era fácil acreditar. E, de fato, estavam enganados. Que o evento foi, se não o maior, um dos maiores da América Latina não duvido. Mas erraram feio no número de participantes. No imenso salão de eventos do Transamérica se acotovelavam mais de 11 mil pessoas. E admito que nos mais de vinte anos em que escrevo sobre tecnologia, eventos deste porte promovidos por uma única empresa só vi as edições internacionais de fóruns da Intel, Microsoft e IBM, esta última quando realizava a Lotusphere.

No evento, a SAP e seus (muitos) parceiros apresentaram mais de 700 sessões técnicas sobre os mais diversos temas, mas três tópicos concentraram maior interesse: processamento do chamado ;big data;, computação em nuvem e plataforma HANA.

Por processamento de ;big data; entende-se a captura, o armazenamento e a análise dos imensos volumes de dados gerados pelas empresas. Já a computação em nuvem não mais se restringe a armazenar dados em servidores remotos. É muito mais do que isso. Hoje, um cliente SAP pode não apenas armazenar dados nos servidores da empresa como rodar os aplicativos de gerenciamento empresarial oferecidos pela SAP nestes servidores. É como se estivessem ;alugando; o software. Esta modalidade, denominada ;uso de software como um serviço; (SaaS, ou ;Software as a Service;), oferece imensas vantagens principalmente para as pequenas e médias empresas (atualmente, o principal campo em que a SAP e seus parceiros garimpam novos clientes) que não precisam investir seja na compra de hardware, seja na de software. Segundo a SAP, o SaaS é hoje uma tendência mundial no sentido de evitar gastos pesados com a aquisição de software e da infraestrutura necessária para rodá-lo, preferindo pagar mensalmente pelo uso.

Finalmente, o terceiro tópico, HANA (;High Performance Analytic Appliance;), o atual carro-chefe da SAP, é uma plataforma capaz de analisar dados e processar informações em tempo real usando software especialmente desenvolvido rodando em um sistema onde o armazenamento de massa é feito diretamente em um imenso repositório na própria memória RAM, o que permite uma rapidez de acesso e processamento sem precedentes. O problema é que a SAP e seu software despertam o interesse dos empresários. Como atrair a atenção dos leitores desta coluna, dirigida principalmente a usuários individuais?

É preciso encontrar algo que tenha a ver com a SAP e interesse a todos. Que tal futebol? Sabe aquela velha mania americana de criar estatísticas sobre esportes que permitem ao torcedor saber que no ano tal o recordista de pontos no campeonato de basquete foi fulano, que conseguiu enfiar tantas bolas na cesta? Pois a SAP fez algo parecido com o futebol, só que com um objetivo em mente: melhorar o desempenho em campo de uma equipe, além de, naturalmente, gerenciar toda a estrutura financeira do clube, dos estádios, das transações de jogadores como se o clube fosse uma grande empresa. Afinal, esta é a praia da SAP. Mas o que nos interessa é o que rola em campo, além da bola, naturalmente.

E para isto a SAP desenvolveu um software que pode melhorar a classificação de um time no campeonato. Se você acha que futebol é uma arte e não há nada melhor para isto que bons jogadores, vai se surpreender: o software foi testado no Hoffenhein alemão e o levou, em menos de 10 anos, de uma divisão inferior a um dos melhores colocados na Bundesliga, a primeira divisão alemã.

Repare, na figura abaixo, um dos instrumentos de análise utilizados e espere por mais na próxima coluna.


PERGUNTE AO PIROPO
Não consigo imprimir, só criar arquivos PRN

Meu computador começou a transformar arquivos .pdf em arquivos .prn quando eu mando imprimir. Assim, em vez de executar esta ação, exibe a caixa de diálogo ;SALVAR; com o arquivo que seria impresso, agora com extensão .prn. E nada acontece. Como desfazer?

Sergio Domingos Pittelli ; Belo Horizonte/MG

;PRN; é a abreviação de ;impressora; (;PRiNter;) desde os tempos do DOS. Um arquivo PRN contém a ;imagem; codificada do material a ser impresso. Basta ;encaminhá-lo; à impressora para que a impressão seja feita. Quando você manda imprimir um arquivo, a janela ;Imprimir; se abre oferecendo diversas escolhas, como quantas e quais páginas imprimir, número de cópias e coisas afins. Dentre elas, está a impressora a ser usada (no caso de haver mais de uma conectada ao computador ou à rede) e uma caixa adicional ; que no seu caso deve estar marcada ; que em vez de imprimir o arquivo, cria sua ;imagem; PRN. Esta caixa se denomina ;Imprimir em arquivo; ou algo semelhante. Basta desmarcá-la para que a impressão seja feita normalmente. Outra possibilidade é o micro não ter impressora instalada (e, por não saber onde imprimir, cria uma imagem PRN). Neste caso basta instalar o gerenciador da impressora usando o atalho ;Adicionar uma impressora; da janela ;Dispositivos e impressoras;. Boa sorte!

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação