MP põe 11 acusados no banco dos réus

postado em 19/02/2014 00:00
São Paulo ; Após denúncia do Ministério Público Federal em São Paulo, a Justiça Federal decidiu ontem processar criminalmente 11 réus acusados de participação em esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propinas por parte da Alstom a políticos e servidores públicos. São eles: José Sidnei Colombo Martini, ex-presidente da Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE); Celso Sebastião Cerchiari, ex-diretor da EPTE; Jonio Foigel, ex-diretor superintendente da Cegelec (empresa que participava do consórcio com a Alstom); Thierry Charles Lopes de Arias, ex-diretor financeiro da Alstom; Cláudio Luiz Petrechen Mendes, lobista; Sabino Indelicato, ex-secretário municipal de São José dos Campos; Jean Pierre Charles Antoine Courtadon, representante da Cegelec; Daniel Maurice Elie Huet, ex-diretor de Marketing da Alstom; Romeu Pinto Júnior, lobista; Jorge Fagali Neto, ex-secretário estadual de Transporte; e José Geraldo Villas Boas, ex-presidente da Companhia Energética de São Paulo.

Os crimes de corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro, imputados aos réus, teriam sido praticados entre 1998 e 2002, durante as gestões de Mário Covas, morto em 2001, e de Geraldo Alckmin, ambos do PSDB, no governo de São Paulo.

Conforme a denúncia do MPF, a Alstom pagou R$ 23,3 milhões, em valores atuais, para ser a fornecedora de equipamentos de três subestações elétricas da Eletropaulo e da EPTE. Conforme acusação dos procuradores, a multinacional francesa, em troca, ganhou um contrato de R$ 181,3 milhões. De acordo com a investigação, o suborno teve como objetivo eliminar a possibilidade de concorrência. Ainda de acordo com o MPF, o grupo atuou em conjunto para lavar o dinheiro sujo, com o objetivo de ocultar sua origem. Os 11 réus têm 10 dias para apresentar defesa. O processo não deve permanecer em sigilo. Todos alegam inocência.

A Justiça autorizou ainda ontem a abertura de inquérito para investigar o vereador Andrea Matarazzo (PSDB-SP). Ele foi secretário de Energia do governo estadual e existe a suspeita de que possa ter participado do esquema. Também serão investigados Eduardo José Bernini, ex-presidente da Eletropaulo, e ex-executivos da Alstom Michel Louis Charles Mignot, Yves Jaques Marie Barbier de La Serre e Patrick Paul Ernest Morancy.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação