Giro pelo Mundo

postado em 03/03/2014 00:00
 (foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters)
(foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

VENEZUELA
Estudantes fazem grande protesto em Caracas
Milhares de estudantes e opositores venezuelanos realizaram uma marcha (foto), em mais uma das manifestações iniciadas há quase um mês e que deixaram 18 mortos, mais de 250 feridos e dezenas de denúncias de violação dos direitos humanos. Os estudantes reivindicam a libertação dos manifestantes detidos e o fim da repressão, além de um espaço em cadeia nacional de TV para expor suas demandas. O presidente Nicolás Maduro estendeu o feriado de Carnaval. O governo também libertou as 41 pessoas detidas na véspera, incluindo três jornalistas estrangeiros. Apesar de ter sido em grande parte pacífica, a marcha terminou com confrontos entre manifestantes e policiais, que usaram bombas de gás lacrimogêneo.

NIGÉRIA
Ataques matam dezenas
Ataques atribuídos aos militantes islâmicos do grupo Boko Haram no Nordeste da Nigéria deixaram pelo menos 90 mortos. Explosões de duas bombas na cidade de Maiduguri mataram pelo menos 51 pessoas no sábado, enquanto a cerca de 50 quilômetros dali, dezenas de atiradores arrasaram um vilarejo rural, matando mais 39 pessoas. O grupo Boko Haram, que já matou milhares de pessoas em suas luta por um Estado islâmico no Norte da Nigéria, vem aumentando os alvos entre a população civil do país. Mustapha Musa, um morador da vila, afirmou que o local ficou em ruínas e que cada casa foi incendiada.

PAQUISTÃO
Após o anúncio positivo feito pelo Talibã, o governo decidiu suspender os ataques aéreos contínuos dos últimos dias
Chaudhry Nisar Ali Khan, ministro do Interior paquistanês, em resposta à declaração do grupo militante islâmico Talibã de cessar-fogo. O anúncio poderá reanimar as negociações de paz entre o governo e o grupo.

l LÍBIA
Dois membros do Parlamento interino da Líbia foram feridos por manifestantes que invadiram o Congresso Nacional Geral (CNG), no Centro de Trípoli. O Congresso Nacional líbio, eleito após o levante armado de 2011 que derrubou o líder Muamar Kadafi, provocou a ira popular, ao estender seu mandato do início de fevereiro para até o final de dezembro. Sob pressão dos manifestantes, o Congresso, a mais alta autoridade política da Líbia, anunciou que as eleições serão antecipadas, mas ainda não definiu uma data.

l ISRAEL
Centenas de milhares de judeus ultra-ortodoxos promoveram uma protesto em Jerusalém (foto) contra uma proposta de lei que prevê a obrigatoriedade de alistamento no exército israelense. Os jovens judeus ultraortodoxos estão isentos do serviço militar desde 1948, para poder prosseguir com os estudos religiosos. A mídia israelense estimou que entre 250 mil e 400 mil pessoas participaram do protesto. Os haredim afirmam que o estudo das escrituras sagradas é a fundação da vida judia.

l CHINA
A China acusou militantes muçulmanos da região de Xinjiang, no Oeste do país, de envolvimento no ataque em uma estação de trem na cidade de Kunming, que deixou 33 mortos na véspera. É a primeira vez que pessoas de Xinjiang são responsabilizadas pela realização de um ataque em grande escala tão longe de sua terra natal. Xinjiang é um reduto do povo muçulmano uigur, muitos dos quais se irritam com as restrições chinesas em relação à sua cultura e religião. A segurança na província foi reforçada.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação