Atlético

Galo fica no empate, mas lidera

Atlético fica outra vez na igualdade com o Nacional-PAR e desperdiça chance de disparar na ponta do Grupo 4. Torcida não perdoa atuação ruim e vaia o time no Horto

Roger Dias
postado em 20/03/2014 00:00
 (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

A missão era encaminhar a classificação às oitavas de final da Copa Libertadores, porém o Atlético não conseguiu fazer o dever de casa e ficou no frustrante empate com o Nacional-PAR por 1 a 1, ontem à noite, no Independência. A equipe mineira continua na liderança do Grupo 4, mas desperdiça dois pontos importantes em casa e agora terá de reagir diante do Santa Fe, na altitude de Bogotá, na próxima partida, para manter o sonho de terminar a primeira fase como dono da melhor campanha.

O que fica de preocupação é realmente a falta de mobilidade da equipe, que em nenhum momento mostrou poderio para vencer. O talento e a vontade marcantes na conquista do ano passado, sob o comando de Cuca, ficaram em segundo plano devido à má organização tática durante os 90 minutos, algo que o técnico Paulo Autuori precisa corrigir o quanto antes.

O caos começou antes mesmo de o dia escurecer. O torcedor enfrentou uma verdadeira peregrinação para chegar ao Horto. Por causa de greve do metrô, a maioria foi de carro para o estádio e as principais avenidas de Belo Horizonte ficaram congestionadas. Muitos atleticanos só conseguiram chegar ao Independência na metade do primeiro tempo, ainda assim percorrendo parte do trajeto a pé.

Como na vitória alvinegra sobre o Independiente Santa Fe por 2 a 1, há mais de um mês, pelo menos 50 cambistas lideraram as bilheterias nos primeiros dias de venda, mas acabaram morrendo com os ingressos na mão. A área VIP (ao preço de R$ 500) ficou com espaços vazios, enquanto os setores de R$ 160 também não estavam com lotação máxima.

Se o torcedor enfrentou dificuldades, o time do Galo teve trabalho para anular os valentes paraguaios. A marcação avançada do Nacional encurralou os donos da casa no campo de defesa em certos momentos, fazendo com que o goleiro Victor fosse ameaçado nos contra-ataques. Em relação ao duelo contra o Santa Fe, a equipe atleticana mostrou leve melhora na marcação e nas viradas de bola.

Os lances capitais no primeiro tempo tiveram o craque Ronaldinho Gaúcho como protagonista. Primeiro, R10 lançou Diego Tardelli no lado direito do ataque e o camisa 9 foi derrubado por Mendoza dentro da área. Na cobrança de pênalti, o armador mandou no canto direito e Ignácio Don fez excelente defesa. No entanto, Ronaldinho teve outra penalidade logo em seguida, depois que a bola bateu no braço de Melgarejo numa cobrança de falta. A estrela da companhia, desta vez, não desperdiçou, marcando seu primeiro gol em 2014. Em compensação, praticamente sumiu no restante da partida.

Os instantes finais da etapa inicial foram de tensão e drama para o torcedor atleticano. Em vez de tomar o controle do jogo, a equipe recuou muito e viu o Nacional assustar em investidas pelo meio ; Victor chegou a fazer grande defesa. Os anfitriões levaram uma ducha de água fria quando Riveros empatou em bela cobrança de falta, mas o que assustou foi a quantidade de passes errados na defesa. No ataque, para piorar, Jô desperdiçou três lances ao ficar em impedimento. No intervalo, Tardelli tentou explicar o que houve de errado: ;Libertadores é isso. Enfrentamos um time que fica fechado o tempo todo. É preciso mais pegada no meio e aproveitar os contra-ataques;.

SEM REAÇÃO O pragmatismo continuou a prejudicar o Atlético no segundo tempo. Não havia um jogador capaz de pensar e trabalhar bem o passe e os lançamentos ; nem mesmo Ronaldinho ou Tardelli. E nem a entrada de Leandro Donizete no lugar de Josué fez efeito, já que a equipe continuou a entregar de bandeja a posse de bola. Enquanto o Nacional só investia nos contragolpes, os alvinegros perderam duas oportunidades, com Tardelli e Neto Berola, enfurecendo a torcida nos minutos finais. O nervosismo foi um adversário a mais e acabou prevalecendo a inteligente estratégia do adversário. Os paraguaios se mantiveram eficientes na defesa até o fim e conseguiram arrancar um pontinho importante em Belo Horizonte. O Galo continua líder, mas o gosto real foi de derrota no caldeirão do Independência.


FICHA TÉCNICA

Atlético 1 x 1 Nacional-PAR

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Otamendi e Dátolo; Pierre (Guilherme 40 do 2;), Josué (Leandro Donizete 21 do 2;) e Ronaldinho Gaúcho; Diego Tardelli, Jô e Fernandinho (Neto Berola 36 do 1;)
Técnico: Paulo Autuori
Nacional-PAR: Ignácio Don; Coronel, Cáceres, Balbuena e Mendoza; Riveros, Orué, Melgarejo (Martinez 39 do 2;) e Torales; Benítez (Piris 19 do 2;) e Fredy Bareiro (Santa Cruz 8 do 2;)
Técnico: Gustavo Morínigo
Estádio: Independência
Gols: Ronaldinho Gaúcho 19 e Riveros 36 do 1;
Árbitro: Omar Ponce (EQU)
Assistentes: Carlos Herrera e Luís Vera (EQU)
Cartão amarelo: Melgarejo, Jô e Leonardo Silva
Pagantes: 17.513
Renda: R$ 1.011.025

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação