Mau tempo impede localização de avião

Militares da FAB vasculham rota que bimotor desaparecido fazia no interior da Amazônia com cinco pessoas a bordo

postado em 20/03/2014 00:00

Belém ; A Força Aérea Brasileira (FAB) retomou ontem as buscas a um avião bimotor que desapareceu na véspera no Sudoeste do Pará, com cinco pessoas a bordo. Um helicóptero e uma aeronave especializada em buscas e salvamento sobrevoam a região próxima à cidade de Jacareacanga (PA), a 1.150 quilômetros de Belém. Vinte militares estão envolvidos na operação, mas o mau tempo prejudica o trabalho. O bimotor decolou do aeroporto de Itaituba, às 11h40 de terça-feira, em direção ao município de Jacareacanga, na mesma região, com uma equipe da Fundação Nacional do Índio (Funai). Segundo a Aeronáutica, o avião desapareceu 80 minutos depois de o piloto ter feito o último contato pelo rádio. Cinco pessoas estavam na aeronave: o piloto Luiz Feltrin, dono da aeronave, as técnicas de enfermagem Rayline Sabrina Brito Campos, Luciney Aguiar de Sousa e Raimunda Lúcia da Silva Costa e um motorista de nome Ary, todos funcionários da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Eles seguiam para uma aldeia dos índios Mundurucus.

Rayline, durante o voo, enviou duas mensagens de SMS para o tio Rubélio Santos, que confirmou ontem o fato. Na primeira, enviada às 12h47, ela avisava que estava sob um temporal e que o motor da aeronave havia parado: ;Tio, to em temporal e um motr parou avisa a mae q amo muit tods ...to aflita..to em pânico...se eu sair bem aviso...to perto do jkre...reza por nos...n avisa a tia ainda... (sic);. Na segunda, às 12h48, Rayline pedia ajuda: ;O motor ta parando. socorro tio tio (sic);. Rubélio disse que, logo em seguida, respondeu a mensagem, pedindo que a sobrinha falasse alguma coisa, mas ela não respondeu

Rubélio informou ontem que a sobrinha fez contato com ele porque na cidade onde mora a mãe dela, Fordlândia, não pega celular. Ele descreveu a sobrinha, de 26 anos, como uma pessoa ;calma, muito esforçada no trabalho, alegre, divertida e especial;. Segundo ele, Rayline chegou a enfrentar a oposição da família quando decidiu trabalhar em Jacareacanga, mas optou por ir para lá devido à falta de oportunidades na região. ;Os pais dela sempre foram contra, a mãe principalmente. Com essa última viagem ela me falou ;tio, acho que vou ficar só esse ano lá e não vou mais;;, contou Rubélio.

TRIBO De acordo com Rubélio, o chefe da aldeia Sai-Cinza afirmou que integrantes da tribo viram o avião voar bem baixo. A família sustenta na prática do piloto a expectativa de encontrar os tripulantes do avião vivos. ;O piloto era experiente, todos estão dizendo isso. Não é possível que ele não tenha realizado um pouso forçado bem feito;, argumentou. O jornalista Jota Parente, amigo de Luiz Feltrin há mais de 20 anos, destacou que o piloto era muito prudente. ;Ele voou muito nos áureos tempos do garimpo, destacando-se tanto por sua perícia, quanto por sua responsabilidade. Por isso, é considerado um dos melhores da atualidade nessa atividade. Se aconteceu o pior, foi por pura fatalidade;, disse.

A unidade da FAB Salvaero da Região Amazônica é quem coordena as buscas. Segundo as informações, até agora a área coberta foi de 72 km; e a área de cobertura estipulada é de 1.165 km;. Além da FAB, também auxiliam nas buscas dois aviões da empresa da aeronave desaparecida e um helicóptero da Polícia Militar do Pará. A Força Aérea, divulgou por meio de nota, que os radares acusaram o desaparecimento do bimotor a, aproximadamente, 29 quilômetros a Nordeste de destino. A FAB vai retomar as buscas na manhá de hoje

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação