Mãe em silêncio e apoio da namorada

Gustavo Werneck
postado em 20/03/2014 00:00
Eram 14h30 quando Fernanda Sales, mãe de G.F.S., de 17 anos, chegou ao Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional (CIA), no Bairro Barro Preto, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, para acompanhar o depoimento do filho. O adolescente é suspeito de ter assassinado um vizinho e também acusado da morte do funcionário da Câmara Municipal de Belo Horizonte, Christiano D;Assunção Costa, de 34 anos, em 28 de janeiro, no Bairro Buritis. Na recepção, informou que não falaria com a imprensa.

Do lado de fora, no entanto, a namorada de G.F.S, a jovem T., de 19 anos, esperou com paciência por Fernanda. A princípio reticente, dizenda apenas não saber de nada, T. acabou defendendo o namorado e disse que ;logo ele vai sair; ; o rapaz está acautelado no Centro de Internação Provisória (Ceip) Dom Bosco, no Bairro Horto, na Região Leste. A certeza decorre, segundo ela, de que não cometeu infração nenhuma e são necessárias ;provas; para ficar privado da liberdade. Quando um agente da Polícia Civil saiu do prédio, a jovem perguntou sobre a situação do rapaz e ouviu a resposta: ;No mínimo, três anos;.

Com uma garrafa de água mineral nas mãos e conferindo o tempo todo o telefone celular, T. disse que namora há um ano, tem aprovação dos pais e gosta muito de G. F. Para provar, mostrou a tatuagem no antebraço esquerdo: o nome do namorado e o símbolo que representa o infinito. ;É amor para sempre. E ele tem o meu nome e o mesmo símbolo;, afirmou, com um sorriso. Às 15h50, vestindo blusa preta e calça jeans, Fernanda deixou o Cia falando ao celular. T. a acompanhou pela Rua Mato Grosso. De acordo com o TJMG, o teor do depoimento não pode ser divulgado, nem qualquer outro tipo de informação sobre a vida do menor.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação