Defesa das operadoras

Defesa das operadoras

postado em 20/03/2014 00:00
As operadoras defendem que a neutralidade apresentada no Marco Civil na Internet vai prejudicar usuários que atualmente têm um ;benefício; para acessar as redes sociais, por exemplo, sem usar o banco de dados disponibilizados pelas empresas. ;As operadoras dão um atrativo para alguns usuários das redes sociais, por exemplo, sem cobrar nada deles e de lá, ganhar quando o usuário navega para outra página;, diz uma fonte do setor. Ele defende que cerca de 50 milhões de usuários poderiam ter que pagar a mais pelo serviço. ;Temos que fugir dessa coisa de discutir a internet dos ricos e dos pobres e começar a defender quem usa muito e quem usa pouco. Se tiver que discriminar o tráfego na internet, o usuário terá que pagar por tudo o que usar, quem usar mais terá de pagar mais caro por tudo que usar, o que não favorece a grande massa de pessoas e principalmente os mais pobres;, esclarece, sem preferir se identificar.

Um contraponto analisado pelo especialista das operadoras é a possibilidade de limitação da criatividade caso seja impedida a neutralidade na internet. ;O relatório (apresentado pelo deputado Alessandro Molon (PT-RJ)) diz que o futuro da internet estará comprometido se não houver a tal neutralidade. Isso é uma mentira. Achar que hoje há neutralidade é uma mentira. Não há neutralidade, e as pessoas são livres para criar, sem inibição da internet;, defende o especialista das operadoras. (NT)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação