Estatais puxam a bolsa

Estatais puxam a bolsa

postado em 20/03/2014 00:00
Os preços das ações de empresas estatais, entre elas, Petrobras, Eletrobras e Banco do Brasil, dispararam ontem e ajudaram a Bolsa de Valores de São Paulo (BM) a encerrar as negociações com alta de 0,9%, nos 46.567 pontos. A arrancada foi puxada por informações de que seria divulgada uma pesquisa de intenções de votos, na qual Dilma Rousseff apontaria queda na preferência do eleitorado. No entender dos investidores, uma possível derrota da presidente favoreceria as empresas, hoje sob forte intervenção do Palácio do Planalto.

As ações preferenciais (PN) da Petrobras subiram 2,85%. Já os papéis do Banco do Brasil apontaram valorização de 4,59%, e os da Eletrobras, de 6,14%. ;As companhias estatais se destacaram ontem, diante dos rumores de que uma pesquisa já estaria mostrando avanço dos candidatos da oposição sobre Dilma, e criou-se a perspectiva de que, se ela não for reeleita, poderia melhorar a situação (para a economia);, disse o especialista em renda variável Rogério Oliveira, da Icap Brasil.

Durante a tarde, o Ibovespa, principal índice de lucratividade do pregão paulista, reduziu momentaneamente a alta, acompanhando as bolsas de Wall Street, após declarações da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen (leia mais na página 14). As maiores baixas do mercado foram pelas ações da Natura (-4,17%) e da Ecorodovias (-2,23%).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação