CURTAS

CURTAS

postado em 20/03/2014 00:00
 (foto: AFP - 24/5/07)
(foto: AFP - 24/5/07)


; MISTÉRIO
CASO MADDIE:
POLÍCIA BUSCA
NOVO SUSPEITO



A Scotland Yard aposta em uma nova linha de investigação para tentar desvendar o desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann, ocorrido em 2007, na Praia da Luz, localizada em Algarve, região turística ao sul de Portugal. Os policiais estão à procura de um agressor sexual que atacou cinco meninas de 7 a 10 anos, entre 2004 e 2006, que passavam férias no mesmo local onde Maddie estava com os pais. As garotas dormiam quando foram violentadas pelo homem. Estavam em casas alugadas, a maioria por famílias britânicas. ;São crimes graves e nunca ninguém foi acusado por eles. Precisamos (...) estabelecer se esses crimes estão relacionados ao desaparecimento de Madeleine;, declarou o policial Andy Redwood, que dirige a investigação. O suspeito foi descrito como um homem de pele morena, cabelos escuros e espessos e que falava em inglês com sotaque estrangeiro, segundo a polícia.


; ITÁLIA
BERLUSCONI
NÃO É MAIS UM
CAVALIERe

Condenado em última instância por fraude fiscal, o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi perdeu seu título de Cavaliere. No dia seguinte à confirmação final da sentença, o magnata, líder do partido Forza Italia (direita), desligou-se da associação dos Cavaleiros do Trabalho. Berlusconi recebeu pena de quatro anos de prisão ; três deles anistiados ; e dois anos de impedimento para exercer cargo público. Não pode votar ou ser eleito. Segundo o jornal Corriere della Sera, isso levou alguns membros dos Cavaleiros do Trabalho a pedir a expulsão. O ex-premiê se antecipou e enviou uma carta de autossuspensão. Segundo o site da federação, 2.747 pessoas receberam a distinção desde a sua criação em 1901: 526 cavaleiros estão vivos.


; VENEZUELA
Prisão de
prefeito
oposicionista


Daniel Ceballos, prefeito de San Cristóbal, capital do estado de Táchira e foco da onda de protestos que sacode a Venezuela, foi detido pelo Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin) por fomentar uma ;rebelião civil; e estimular a violência, informou o ministro do Interior, Miguel Rodríguez. Ceballos é o segundo dirigente da Vontade Popular a ser detido sob acusação de promover a violência durante as manifestações. O primeiro foi Leopoldo López, líder do movimento Saída, que pede o fim do governo de Nicolás Maduro e, por isso, é acusado de golpista pelo presidente. Segundo o ministro do Interior, a prisão de Ceballos ;é um ato de justiça diante de um prefeito que não apenas deixou de cumprir as obrigações impostas pela lei e pela Constituição mas também facilitou e apoiou toda a violência irracional desatada na cidade de San Cristóbal;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação