Reunião discute denúncias contra CBV

Reunião discute denúncias contra CBV

postado em 20/03/2014 00:00

A série de denúncias de irregularidades na Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) fez o Banco do Brasil, principal patrocinador da modalidade, convocar uma reunião em Brasília com os dirigentes da entidade para esclarecimento dos fatos. Estiveram no encontro o gestor da Superliga, Renan dal Zotto, e o superintendente geral, Neuri Barbieri.


Apesar de os cartolas da CBV terem alegado que a reunião tratou de temas gerais, a empresa estatal admitiu que o assunto foi abordado. ;O Banco do Brasil confirma a realização de reunião ontem (terça-feira) com a CBV, na qual foram tratados assuntos relacionados ao patrocínio e sobre procedimentos da CBV para apurar denúncias recentes, especialmente a contratação de auditoria externa;, anunciou o banco em nota enviada ao site da ESPN, responsável pelas reportagens que denunciaram as irregularidades.


Já Renan dal Zotto procurou minimizar a situação e disse que o encontro estava pré-agendado. ;Eu vou praticamente toda semana a Brasília falar com eles. Claro que se fala sobre tudo, fomos de praxe. A pauta não era essa (as denúncias). Falamos de parceria mesmo. Nós estamos fazendo o nosso dever da casa dentro da CBV;, disse, também ao site da emissora.


Na segunda-feira, o BB divulgou comunicado no qual afirmou que só continuará apoiando a modalidade caso sejam esclarecidas as denúncias de que as empresas de dois ex-dirigentes da CBV, Marcos Pina e Fábio André Dias Azevedo, embolsaram R$ 10 milhões, cada uma, como comissão pela mediação do acordo com a estatal. No entanto, o acerto de R$ 24 milhões foi fechado sem intermediários.
Por conta das denúncias, Marcos Pina deixou o cargo de superintendente-geral da entidade. Dias depois, Ary Graça renunciou ao posto de presidente licenciado, apesar de ainda comandar a Federação Internacional de Vôlei. A CBV, por sua vez, prometeu contratar auditoria externa para avaliar os contratos.

Romário defende CPI
As denúncias motivaram o deputado federal Romário (PSB-RJ) a defender a criação de uma CPI para fazer uma ampla investigação. ;Apesar da proximidade da Copa do Mundo, consulto os nobres colegas parlamentares sobre a oportunidade de uma CPI do Esporte Olímpico, a fim de passarmos a limpo a realidade das entidades gestoras que são financiadas por verbas públicas;, declarou, em discurso na Câmara.


O craque lembrou que Marcos Pina e Ary Graça são ex-jogadores da Seleção Brasileira. ;Já representaram o nosso país em competições internacionais e agora mancham as cores nacionais que já defenderam. Uma vergonha!”, lamentou. ;Ora, se isso ocorre com o vôlei, premiadíssima modalidade, o que não estará ocorrendo nas confederações das demais modalidades?;

Grand slam adiado

Em meio à grave crise em que está envolvida, a CBV pediu, e a Federação Internacional de Vôlei atendeu. O Grand Slam de Fortaleza ; a única etapa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia que ocorreria no país ;, marcado para 13 a 18 de maio, foi adiado. Ainda não há data definida para a realização do evento.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação